Como cuidar de cães idosos?

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 9 minutos

O envelhecimento é uma situação normal da vida de todos os seres, portanto, assim como nós envelhecemos, nossos cãezinhos, que, para nossa alegria, não tenham tido nenhuma doença que os tenha levado precocemente, também se tornam idosos.

Cabe a nós identificar que isso está acontecendo, saber que os cães idosos têm necessidades e precisam de cuidados diferentes dos cães mais jovens e adotarmos medidas para acompanhar mais essa etapa da vida de nosso melhor amigo.


Assim como o ser humano está vivendo mais do que no passado, pelo avanço da medicina e da ciência, o mesmo está acontecendo com os cachorros. Há poucos anos atrás, um cão de 6 anos já era sênior, principalmente os de portes maiores, hoje, se não houver nenhuma doença grave, eles estão passando dos 10 anos de idade facilmente.

Acontece que, à medida que um cão envelhece, ele vai perdendo sua mobilidade, fica mais debilitado fisicamente, com menos energia, sua audição não é mais a mesma, começam a aparecer as cataratas para atrapalhar a visão e eles ficam mais suscetíveis a doenças pelo desgaste de seus órgãos.

Um cão idoso corre um risco maior de contrair doenças renais, hepáticas, diabetes e, quase sempre, se tornam obesos (justamente pela falta de energia que tinham antes, pois agora eles ficam muito mais tempo deitados).

Você observará também facilmente a nova condição do seu cão quando os seus pelos começarem a esbranquiçar ao redor dos olhos e do focinho.

É nesse momento que devemos perceber que chegou a hora de mudarmos a forma de tratá-lo para que tenha uma velhice mais saudável ​​e feliz, com o conforto necessário e mais amor ainda do que lhe oferecíamos até então.

Porque é importante ficarmos atentos aos sinais de velhice dos cães?

Nem todos os cachorros ficam velhos com a mesma idade. A velhice dos cães chega em momentos distintos porque ela vai depender muito do porte de cada cão, da raça, da genética, das condições de vida que teve, do tipo de alimentação que recebeu ao longo da sua vida, entre outras variáveis.

Se não percebermos logo nos primeiros sinais as novas necessidades de nosso cãozinho, demoraremos mais a tomar as providências necessárias e com isso ele poderá sofrer e, até ter sua vida abreviada. Por isso que é tão importante ficarmos atentos e entender o processo que ele está passando.

Os cães SRD (sem raça definida), nossos amados vira-latas, tendem a ser mais resistentes e dão sinais de envelhecimento em idade mais avançada do que os cães de raça pura, que pelo seu aprimoramento têm a saúde mais frágil. Os cães SRD geralmente são os sobreviventes mais fortes e o resultado da mistura de várias raças, mas mesmo assim requerem os mesmos cuidados e atenção na sua velhice.

Você já identificou os sintomas de velhice em seu cão, e agora, o que fazer?

A coisa mais importante nesse momento é ter uma boa dose de paciência e muito amor. Elencaremos abaixo uma série de medidas a serem tomadas, todas elas são importantes a ajudarão seu melhor amigo a permanecer saudável e feliz.

Como cuidar de um cão velho?

Defina uma alimentação apropriada a sua nova condição

Uma alimentação equilibrada desempenha um papel muito importante na preservação da saúde de um cão, principalmente quando ele envelhece. Como comentamos acima, cães idosos correm um risco maior de desenvolver obesidade por não terem o mesmo nível de energia de antes.

Para isso é importante pesquisar a melhor comida para cães seniores, se você costuma alimentá-lo com ração, existem muitas opções especialmente projetadas para cães idosos. Elas foram desenvolvidas para evitar ganho de peso, portanto geralmente são baixas em gorduras e têm menos calorias, suficiente para suprir a necessidade nutricional dos cães seniores.

Além disso, como geralmente os cães idosos começam a sofrer de alguma condição de saúde e têm uma redução no funcionamento dos órgãos, se for esse o caso do seu cão, o ideal é consultar um veterinário para ele indicar algum tipo de alimentação especial.

Com a idade avançada, a absorção e a digestão dos alimentos ocorre mais lentamente, portanto é importante também que a alimentação seja de fácil absorção e tenha uma carga nutricional completa.

Futuramente, se o seu cão for bem cuidado e, portanto, durar ainda muitos anos, ele vai acabar por perder seus dentes. Isso também passará a ser uma preocupação, disponibilizar uma alimentação adequada para seu “banguela”.

A disponibilidade permanente de água também é muito importante, verifique sempre se o pote de água dele está bem abastecido e com água limpa.

Faça visitas regulares ao veterinário

Quando nossos cães são ainda jovens, geralmente só os levamos ao veterinário para fazer as vacinas ou quando aparece uma doença que não consigamos resolver domesticamente, não é mesmo? Porém no caso de cães idosos, os cuidados veterinários regulares são uma das coisas mais importantes para que tenham um final de vida mais saudável.

À medida que um cão envelhece, seu sistema imunológico e seus órgãos se tornam mais frágeis, o que o torna mais propenso a vários tipos de doenças. É por isso que os veterinários recomendam levar um cão mais velho para exames regulares a cada seis meses.

Aumentar a frequência de consulta ao veterinário possibilitará que ele descubra se algo está errado já no início e providenciar o melhor tratamento possível para o seu cão.

Controle a saúde bucal de seu cão

Como comentamos acima, na velhice seu cão provavelmente começará a perder os dentes e terá problemas com gengivites. Isso acontece porque a maior parte dos cachorros idosos não recebeu a atenção odontológica adequada quando jovem.

Aliás, uma dica que queremos aproveitar para passar agora, se além do seu cão idoso, você também tem cães ainda jovens, o cuidado com a boca é uma condição importante da higiene canina e deve ser observado regularmente desde o início de sua vida. Se já é tarde demais para recuperar os dentes do seu idoso, tente prevenir para que isso não aconteça com os mais jovens.

Para manter os dentes de um cão saudáveis é preciso lavá-los – se possível escová-los – todos os dias. Se ele não permitir que você faça isso facilmente, pode tentar agradá-lo com petiscos como recompensa. Existem também brinquedos de morder que substituem a escova, como este, comercializado pela Inova Store.

Além de tomar este cuidado, se mesmo assim seu cão começar a formar tártaros nos dentes, o ideal é levá-lo ao veterinário uma vez por ano, ou quando a quantidade de tártaro for excessiva, para que seus dentes sejam limpos adequadamente.

Continue mantendo as vacinas e proteções em dia

Mesmo que em função da sua idade avançada seu cão não saia mais de casa, ou sai apenas esporadicamente, as vacinas devem permanecer em dia, assim como as proteções contra pulgas, carrapatos e vermes. Lembre-se que ele está mais frágil, portanto, você deve manter todos os tratamentos adequados como sempre fez.

Provavelmente as vacinas poderão ser administradas em intervalos mais longos, mas seu veterinário é a pessoa mais adequada para informar, a regularidade das vacinas vai depender do estilo de vida que seu cão idoso continuará levando.



Mantenha os banhos e a higiene regulares

Os banhos devem prosseguir sendo dados da mesma forma, pois a higiene regular protege contra doenças e parasitas.

Porém, na medida que um cão envelhece, sua pelagem, antes macia, farta e brilhante, vai se tornando rala, seca, opaca e quebradiça. Eles passam a ter também a pele mais seca, escamosa e irritada, o que pode se tornar ainda pior se não for tratada da forma correta.

Para resolver isso você precisará escovar seu cão regularmente, se não tinha esse hábito, isso vai evitar os emaranhados e pelos por toda a casa. Existem luvas para escovar o PET fazendo carinho, como esta, comercializada pela Inova Store. Também sugerimos que você passe a utilizar xampus naturais e específicos para nutrir e curar os problemas da pele irritada e dos pelos secos e quebradiços.

Auxilie nos problemas de mobilidade e limitações físicas do seu cão

Também como comentamos acima, é muito corriqueiro que os cães idosos passem a ter problemas de locomoção e mobilidade em função da degeneração dos órgãos, cegueira e enfraquecimento dos músculos, assim como pelo desenvolvimento de doenças como artrite, artrose ou problemas de coluna.

Se esse for o caso de seu amigo idoso, não force para que ele pratique exercício físico, lembre-se que cachorros são cheios de energia quando jovens e adoram brincadeiras brutas, mas se agora ele não está querendo brincar com atividades que exijam essa energia deve ter seus motivos.

Evite ele faça atividades que tenha que se mover bruscamente ou por mais tempo do que ele suporta. Suas pausas são o indicativo de que está no seu limite físico.

Facilite o acesso dele à comida, à água, à cama e ao local onde costuma fazer as suas necessidades, retirando obstáculos de seu caminho. Fazer isso é muito importante, pois os cães idosos precisam se hidratar melhor, comem mais vagarosamente e realizam suas necessidades fisiológicas com mais frequência do que antes.

Disponibilize acomodações adequadas as suas novas condições caso as atuais não mais as atendam. Além dos problemas de mobilidade, se seu cão estiver cego ele também terá dificuldades para pular na cama ou no sofá.

Evite também que um cão cego e com dificuldades de locomoção tenha que subir escadas. Se isso for inevitável, providencie um rampa para que ele possa utilizá-la. Se costuma ficar em um andar superior, bloqueie o acesso a escadas.

Não retire dele privilégios que já teve, se seu cão costumava subir no sofá permita que isso continue acontecendo, colocando-o no sofá ou providenciando um forma na qual ele possa subir sozinho.

Leve seu cão idoso para fazer exercícios regularmente

Não deixe-o ficar totalmente sedentário. O exercício regular ajudará a evitar a obesidade de seu cão e também será benéfico para sua saúde geral. Mas é claro que, como dissemos acima, você deverá respeitar suas limitações e não exagerar na dose.

Provavelmente seu veterinário poderá recomendar os exercícios adequados, baseado nas condições específicas do seu cão, tanto de saúde como de mobilidade.

Tenha paciência com o seu velhinho, se ele não puder correr, apenas o leve para caminhar, obedeça o ritmo dele e não o seu. Faça brincadeiras mais leves com ele, diminua a intensidade e a duração de outrora.

Caso seu cão chegue ao ponto de não conseguir mais se locomover sozinho por problemas de colunas ou articulações, providencie formas de que ele possa continuar fazendo isso da forma que seja possível, isso é muito importante.

Ensine ao seu cão novos truques, não é verdade que cachorro velho não aprende, eles aprendem sim e, da mesma forma que é interessante estimular a mente de pessoas idosas, com os cães isso não é diferente.

Existem várias pesquisas científicas que demonstram que cachorros idosos tem capacidade de aprender, portanto manter sua mente ativa será muito importante para eles. Segundo Ludwig Huber, biólogo cognitivo da Universidade de Medicina Veterinária de Viena, pesquisador e autor, “O sentimento positivo criado pela solução de um desafio mental por um cão é comparável ao sentimento que as pessoas idosas têm quando aprendem algo novo, fazendo algo que gostam”.

Redobre sua paciência com seu cão idoso e dê a ele muito amor

Paciência, amor e empatia são as palavras chaves para tratar com um idoso, você precisará estar muito mais atento as suas necessidades para que ele não precise realizar mais esforços e não passe por mais dificuldades do que as necessárias. Caso você tenha que mudar suas rotinas diárias em função dele, não exite.

Passe mais tempo dando carinho, amor e atenção. Faça-o participar das suas atividade se ele assim o quiser. É doloroso presenciar o envelhecimento dos nossos cães, mas deixá-lo envelhecer sem uma atenção especial de nossa parte piora ainda mais esse sentimento, se não nesse momento, certamente no futuro.

Um cão velho e acostumado o nos ter ao seu lado pode ficar ansioso e estressado. Mesmo que seu cão esteja surdo e cego ele sente a sua presença e amor e isso é muito importante para manter seu estado emocional e mental. A pior coisa que pode acontecer para um cão é sentir-se abandonado.

Entenda que isso é uma fase nova tanto para você como para ele e os dois precisam se adaptar à ela.

Deixe seu cachorro dormir mais do que antes se ele assim o quiser

Cães idosos tendem a dormir mais e passar mais tempo deitado do que os jovens. Portanto não espere que seu cão velhinho tenha a mesma disposição de quando era jovem, respeite seus momento de descanso.

Providencie para que ele tenha seu próprio cantinho de descanso e proteja-o mais do que antes das mudanças de temperatura. Quedas bruscas de temperatura os afeta muito. Se possível encontre um cantinho longe de correntes de ar e com luz solar direta, cães adoram o sol.

Gostou de nossas dicas? Se você colocá-las em prática temos certeza que tanto você como seu melhor amigo terão mais alguns anos de felicidade juntos.


Se você gostou deste assunto, provavelmente também vá gostar de ler sobre esses:
Que raças de cachorros podem ficar sozinhas?
Obesidade canina é um problema sério, saiba como resolver
A importância de adotar um animal de estimação em vez de comprar
Testamos o mordedor para cães que se propõe a substituir a escova de dentes
Como ensinar seu cachorro a não puxar a guia
Quanto o seu cão entende você?
Cachorros e jardins combinam?

Compartilhe...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *