Os segredos de construir sabores na cozinha – primeiros passos

Vamos iniciar aqui no blog “Lar, Doce Lar” uma série de postagens com dicas e informações para ajudar nossos leitores a se aventurarem mais na cozinha, ensinando questões importantes para o preparo de alimentos. Isto porque comer e comer bem são coisas diferentes – muitas vezes as pessoas aceitam comer qualquer coisa simplesmente para matar a fome. Mas comer bem é algo que não precisa estar fora de nossas vidas e nem representar aumento de custos em supermercados e feiras.

Algumas dicas são muito simples e, ao mesmo, tempo, essenciais para construir sabores complexos com os mesmos ingredientes que já temos em nossa geladeira e que já utilizávamos, mas não da melhor forma.

A grande maioria das receitas pode ser iniciada com uma base aromática. Para isso, você precisará, basicamente, de cebola e alho. Você poderá incrementar suas bases aromáticas com outros ingredientes sensacionais (e que certamente farão ainda mais diferença) como gengibre, cenoura e salsão (aipo). Para isso, você deverá cortar estes ingredientes em mirepoix – isso quer dizer, cortar os ingredientes em cubinhos pequenos, do menor tamanho possível. Não se preocupe em cortar muito pequeno desde o início – vá indo aos poucos e, com prática, você logo estará picando estes ingredientes como os cozinheiros de filmes.

Para o alho, você deve primeiro amassá-lo e remover a parte central, que é responsável por causar aquela sensação de indigestão e o mau-hálito. Se você quer aprofundar mais seu conhecimento sobre a utilização do alho, sugerimos a também leitura do texto “Será que você consumiu alho da maneira errada a sua vida inteira?” publicado aqui no blog. 

Se possível, corte os ingredientes da sua base aromática separados uns dos outros e coloque cada ingrediente cortado em um recipiente diferente. Isto porque os ingredientes possuem tempos de cocção diferentes entre si e você não quer que nenhum deles queime ou fique muito cru.

Aqueça o óleo na sua panela ou frigideira – o óleo a ser utilizado dependerá muito do sabor que você quer construir para o seu preparo e do ponto de fumaça do óleo. Para fritar não se recomenda a utilização do azeite de oliva ou da manteiga, que queimam muito rápido. Existem alguns óleos básicos e que são ótimos para este tipo de preparo, como o óleo de canola, o óleo de algodão e o óleo de soja – em ordem de suavidade, indo do mais suave para o menos suave. Assim, aqueça o óleo na sua panela e somente acrescente a cebola depois que o óleo estiver quente. Lembre-se que deve ser apenas um fio de óleo suficiente para que a cebola não grude na panela, e não grandes quantidades de gordura.

Mexa ocasionalmente a cebola e deixe que ela frite, acrescentando em seguida a cenoura, o aipo e/ou o gengibre, se você tiver optado por acrescentar todos ou alguns destes ingredientes na sua base aromática. Apenas acrescente o alho quando a cebola estiver dourando, pois o alho frita muito rápido e poderá queimar se você acrescentá-lo muito cedo.

Este processo fará com que os ingredientes da sua base aromática liberem os seus óleos e aromas naturais no óleo que você utilizou para a fritura. Assim, o óleo será responsável por transferir tais sabores e aromas para o seu preparo, sendo o passo essencial para a construção do sabor da sua comida.

Se você gostou dessas dicas, provavelmente também vá gostar dessas outras dicas e receitas:
Você sabe como engrossar seus molhos?
Você sabe fazer molho branco?
Como tirar facilmente a pele de tomates
Receita muito fácil de mousse de chocolate sem lactose
Receitas de sopas nutritivas para dias frios
O que são probióticos
Receita de Pão Sírio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *