Porque devo dar vermífugo para meu cão?

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 6 minutos

Vermifugar um cachorro periodicamente ajuda na prevenção, eliminando de seu organismo os vermes antes mesmo de você perceber o aparecimento dos sintomas.

Porém, ministrar vermífugos não impede uma nova contaminação de vermes, é necessário que outras medidas preventivas sejam tomadas. Fazer isso tem validade tanto para cachorros infectados, eliminando os ovos e larvas, como também para evitar que a nova contaminação aconteça.


Inicialmente é importante ressaltar que esse é um texto informativo, para que você entenda o diagnóstico, a prevenção e o tratamento para vermes, qual é o problema de ter seu cão contaminado por vermes e a gravidade de não tratá-lo.

Entretanto o ideal é que antes de iniciar qualquer tratamento sempre seja consultado um veterinário que conheça seu cachorro e os vermes mais comuns na cidade e no local onde você mora.

Quais os sintomas mais comuns de um cão com vermes?

Se você não tem o hábito de prevenir a infecção por vermes em seu cão, pode acontecer, de um dia para o outro, que ele perca a alegria, a fome, fique tristonho e aborrecido. Isso pode ser um indício de que ele esteja com algum tipo de parasita em seu organismo.

Filhotes de cachorro com parasitas geralmente ficam com a barriga redonda, desproporcional ao corpo e endurecida, se estiver muito infectado, alguma vezes chega a eliminar os parasitas através das fezes. Já nos cães adultos isso não é percebido com tanta clareza.

Os principais sinais de infecção por vermes em um cachorro dependem do tipo de verme que ele adquiriu, mas de uma maneira geral podem ser esses:

  • Diminuição do apetite;
  • Vermes visíveis em suas fezes;
  • Esfregar a bunda no chão repetidamente;
  • Sangue nas fezes;
  • Mudança na textura das fezes sem que tenha sido modificada a sua alimentação;
  • Diarreia persistente;
  • Perda significativa de peso;
  • Pelos fracos, quebradiços e opacos;
  • Fraqueza aparente e letargia;
  • Barriga distendida;
  • Vômitos.

Portanto, se seu cachorro apresenta esses sintomas, uma das possibilidades pode ser a contaminação por vermes, mas não deixe de considerar a possibilidade de ele estar com uma doença mais séria, como dissemos acima, o veterinário é a pessoa mais indicada para detectar o motivo real destes sintomas.

Para saber se realmente um cachorro está infectado por vermes é necessário fazer exames com fezes ainda frescas. Mas, mesmo fazendo isso o resultado pode dar negativo, pois nem sempre os ovos ou larvas são eliminados nas fezes. Dai a necessidade da prevenção.

Como prevenir e tratar vermes em cães?

Existem muitas opções de vermífugos disponíveis para venda, mas qual o melhor vermífugo para ser usado em cães?

Como explicamos acima, a resposta para essa pergunta depende do parasita que esteja infectando o seu cão. Os vermífugos não são todos iguais, além disso, muitos deles são para parasitas específicos, que se o seu cachorro não estiver acometido por eles, você acaba por jogar seu dinheiro fora, e o que é pior, não resolvendo o problema que está afetando a saúde do seu melhor amigo.

Existem algumas bases de princípios ativos mais populares em vermífugos e antiparasitários, os mais difundidos são a Ivermectina, o Praziquantel, o Febantel, o Pamoato de Pirantel e a Milbemicina.

Porque devemos ministrar vermífugos em cães?

A questão principal é entender como um cachorro contrai os vermes.

Os cachorros, por seus hábitos e comportamento têm muita facilidade em contrair vermes existentes no ambiente através da ingestão de ovos e larvas.

Os cães costumam lamber, cheirar tudo que desperta sua curiosidade e algumas vezes consomem alimentos (até mesmo cocô de outros animais) que estão ao seu alcance, sem nenhuma condição de higiene. Cachorros gostam também de deitar ao sol, em gramados ou terra e podem dessa forma entrar em contato com parasitas que estejam no chão.

Infelizmente – e para nosso desespero – os cães, apesar de terem um um excelente olfato, têm um péssimo paladar, qualquer coisa que pareça comida para eles se transforma em uma deliciosa iguaria. E não temos como mudar esse comportamento deles, precisamos prevenir as possíveis consequências.

Muitas vezes esses objetos e alimentos estão contaminados por parasitas, popularmente chamadas de lombrigas (apesar de que, nem todos os vermes e parasitas são lombrigas).

Os vermes adquiridos pelos cães comprometem principalmente o funcionamento sistema gastrointestinal, mas, dependendo do parasita contraído e do nível de infecção, eles também podem acabar se instalando em outros órgãos importantes do organismo canino, como o coração.

Em casos de contaminação mais graves, se esses parasitas não forem combatidos, o cachorro pode acabar morrendo.


Como prevenir ou tentar evitar a infestação de vermes em cães?

Conforme explicamos acima, os hábitos caninos são um potencial enorme para que eles fiquem contaminados por parasitas, porém algumas ações nossas podem diminuir a chance de que isso ocorra. Vamos descobrir quais são?

# Procure recolher o mais rapidamente possível as fezes lançadas por eles, principalmente se você tiver mais de um cachorro convivendo em um mesmo ambiente.

# Tente manter o recipiente onde seu cachorro bebe água sempre higienizado e, se possível que ele consuma apenas água tratada e, se possível, filtrada.

# Diariamente substitua a água que seu cão bebe e não apenas complemente a água que restou no recipiente do dia anterior.

# Elimine toda a água parada que possa estar contaminada e que esteja ao alcance de seu cão, como poças ou pratos de vasos de plantas. Os cães tendem a beber qualquer água que esteja disponível.

# Não permita que seu cão tenha acesso a recipientes com lixo doméstico, é quase certo que ele acabará abocanhando no seu lixo alguma coisa que não deveria.

# Há parasitas que são transmitidos pela picada de insetos, como pulgas e moscas, portanto outra forma de tentar reduzir as chances de que ele se contamine é mantê-lo sem pulgas e o ambiente onde ele fica sempre limpo e higienizado para que não atraia insetos e ratos, também transmissores de vermes.

# Evite que seu cão entre em contato com animais e pessoas que possam estar contaminadas, principalmente em praças e praias. Se você costuma passear com seu cachorro, esse cuidado deve ser redobrado e você não deve permitir que ele compartilhe a água com outros animais.

# E por fim, como explicamos acima, a prevenção, pela ministração de vermífugos, é fundamental, mesmo que você não veja sinais de que seu cão tenha vermes. Siga as orientações de qual vermifugo utilizar e em qual periodicidade definidos pelo veterinário.

E uma dica para você e não menos importante que as acima. Se você tem muita proximidade com seu cão e suspeitar que ele esteja com parasitas, você também pode ter se contaminado, portanto você também deverá tomar vermífugo, caso contrário de nada adiantará tratar seu cão.

Quando um cão deve tomar vermífugo?

Geralmente a vermifugação prescrita pelos veterinários começa a partir da segunda semana de vida de um filhote de cachorro, sendo administrada novamente a cada 15 dias. Quando o cãozinho atingir cerca de 12 semanas de vida, o vermífugo pode passar a ser ministrado somente uma vez por mês enquanto filhote.

Para cães adultos, geralmente a administração de vermífugo ocorre a cada seis meses ou em caso do aparecimento dos sintomas de que ele esteja contaminado por parasitas. Mas isso vai depender da orientação do veterinário, que conhece melhor o dia a dia do seu amigo.

Para cães já comprovadamente contaminados é necessário ministrar uma dose de reforço, pois é possível que, tanto o ambiente onde ele estava (e que deve ser limpo imediatamente) como as larvas dos vermes que já estejam em seu organismo voltem a se desenvolver.

Os ovos de vermes podem sobreviver por até cinco anos em ambientes quentes e úmidos, o que é mais uma das razões pelas quais a limpeza imediata dos locais que seu cão frequenta após uma contaminação ser tão importante.


Se você gostou deste assunto, provavelmente também vá gostar de ler sobre esses:
Que raças de cachorros podem ficar sozinhas?
Obesidade canina é um problema sério, saiba como resolver
A importância de adotar um animal de estimação em vez de comprar
Testamos o mordedor para cães que se propõe a substituir a escova de dentes
Como cuidar de cães idosos?
Quanto o seu cão entende você?
Cachorros e jardins combinam?

Compartilhe...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *