Você sabe qual parte do seu lixo é reciclável?

Existe muito incentivo da parte de entidades, governos, grupos ecológicos para que reciclemos o nosso lixo objetivando ajudar nosso planeta, mas a maioria das campanhas não esclarece o que pode e como pode ser reciclado. Você, por exemplo, sabe com certeza o que é e o que não é lixo reciclável?

A definição de reciclável é a seguinte: São considerados recicláveis aqueles resíduos que constituem interesse de transformação, que têm mercado ou operação que viabilize o seu reaproveitamento. Na prática, podemos afirmar que nem tudo o que é reciclável em um país ou região pode ser considerado reciclável em outro, ou por não haver tecnologia suficiente para essa reciclagem, ou por não haver interesse. A coleta seletiva precisa ser coerente com a realidade local, social, ambiental e econômica.

No texto “Você sabe qual o destino do lixo que você gera?“, que publicamos aqui no blog “Lar, Doce Lar”, fizemos um desafio aos nossos leitores que não têm o hábito de separar os tipos de lixo que geram em casa, para que fizessem uma experiência de proceder dessa forma durante uma semana e avaliassem o volume de cada tipo de lixo gerado. Fizemos essa provocação por termos a convicção que, certamente alguém que faça isso por algum tempo vai se tornar muito consciente sobre a necessidade de descartar corretamente os seus dejetos. O lixo seco é muito mais volumoso que o lixo úmido e é um grande causador de poluição do meio ambiente, pois é o que demora mais tempo para se decompor na natureza. Por isso, vamos abordar mais uma vez o assunto reciclagem aqui no blog.

Nem todo lixo seco é reciclável, mas a maior parte dele é. Veja abaixo a tabela que especifica o que pode ser reciclado. Na dúvida, pesquise em sites sérios da internet.

Diferentemente do que muitos apregoam, para o processo de reciclagem acontecer, não é necessário lavar os descartáveis antes, no entanto, é higiênico retirar o excesso de resíduos do recipiente a ser reciclado, principalmente se ele for ficar armazenado por algum tempo. “Embalagens sujas de leite, açúcar ou doces podem atrair ratos e baratas. Por isso, sugerimos que as peças fiquem na pia durante a lavagem da louça”, sugere Ana Maria Domingues Luz, presidente do Instituto Gea, “Mas nada de usar água limpa exclusivamente para isso!”, acrescenta.

 
O lixo reciclável pode ser previamente separado ou colocado todo no mesmo saco de lixo. Quando ele chegar na cooperativa de catadores, eles farão a separação correta. Esse é outro motivo para que os recipientes tenham sido previamente limpos, eles podem ficar bastante tempo nas cooperativas e acabar atraindo bichos e proliferando pragas. Outro item a observar é o cuidado com os vidros, principalmente se estiverem quebrados, eles devem ser enrolados em papel de jornal ou revistas para evitar acidentes no momento da separação.

Vários condomínios têm contratos com cooperativas para o recolhimento dos recicláveis, além de usar o serviço das prefeituras, que normalmente é semanal. Em alguns condomínios, os próprios funcionários fazem a separação e vendem para empresas de reciclagem. Esse dinheiro pode ser usado para melhorias no condomínio, diminuir as despesas corriqueiras ou mesmo ser distribuído entre os funcionários para incentivar essa prática. Residências individuais dificilmente produzirão lixo suficiente para vender individualmente, mas podem fazer uso de recolhimento público ou privado para destinar tudo corretamente. Veja se a sua associação de bairro ou rua não tem interesse de colocar coletores de lixos recicláveis para fazer isso. Tenha em mente que o que é lixo para você pode significar receita financeira e qualidade de vida para outras pessoas.

Se você é adepto do faça-você-mesmo, também pode ir guardando alguns tipo de recicláveis para projetos DIY, existem muitos, pesquisando na internet pode-se encontrar reaproveitamento para quase tudo. Aqui mesmo no blog já publicamos vários artigos com sugestões para reaproveitar vidros, latas, canos, etc. Um item que tem muitas sugestões, por exemplo, é o tubo do rolo de papel higiênico, com ele é possível fazer porta guardanapos, tubos para organizar fios, sementeiras, e muito mais… Tendo criatividade as aplicações são infinitas.

Se você ainda não está convencido que é preciso reciclar, pense nas gerações futuras. O planeta está cada vez mais poluído, as cidades alagadas por lixos jogados em bueiros e rios, os recursos naturais estão se esgotando. Comparando o crescimento da população com o crescimento da geração de lixo, podemos dizer que se a população cresce de forma aritmética enquanto o lixo cresce de forma geométrica. Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), o crescimento do lixo produzido no Brasil foi 5 vezes maior que o crescimento da população entre 2003 e 2014.

Se cada um fizer um pouco, juntos podemos fazer muito. Pense nisso…

Se você gostou desse assunto, provavelmente também vá gostar dessas outras postagens:
Você sabe qual o destino do lixo que você gera?
Usando o tubo do rolo de papel higiênico no jardim
DIY – Aprenda a fazer puffs com pneus usados
DIY – ideias incríveis para o reaproveitamento de rolhas
DIY – Ar condicionado sem eletricidade
Vale a pena consumir tomates orgânicos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *