Você moraria em uma floresta?

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 4 minutos

A princípio, o primeiro projeto com conceito de “floresta vertical” ficou pronto em outubro de 2014. Ele ganhou fama, sobretudo porque fica em Milão, cidade mais poluída da Itália e fica na orla do bairro Isola. Portanto, foi feito como parte de um projeto de reforma urbana.

Com o nome de Bosco Verticale (Floresta Vertical) é composto por duas torres, uma de 80 e outra de 112 metros de altura. Além disso, ele contém 480 árvores de portes médio e grande, 300 de pequeno porte, 11.000 plantas perenes e 5.000 arbustos. É um projeto do estúdio do arquiteto Stefano Boeri.

Agora conheça a floresta vertical dentro de uma grande cidade

Com um volume de plantas que ocupa uma área urbana de 1500 m² ele se equivale a uma área de 20.000 m² de florestas e vegetação rasteira. Assim, ele auxilia o controle e redução da expansão urbana. Ou seja, ocupa 7,5% do espaço que uma floresta ocuparia. No entanto, ele produz o mesmo resultado que essa floresta produziria.

Isso porque em termos de densidade urbana, cada torre substitui o equivalente a um bairro inteiro de casas unifamiliares. Além disso, se comparada com edifícios convencionais, esses seriam em torno de 50.000 m².

Assim, para atingir esse objetivo, o condomínio se propõe a ser um modelo para edifícios residenciais sustentáveis.

Sobretudo, isso se dá por ser um projeto de reflorestamento metropolitano que contribui para a regeneração do ambiente e da biodiversidade urbana.

Por isso, oferece todos esses benefícios sem a ocupação de muito espaço horizontal.

Além disso, ele é um conceito arquitetônico que substitui os materiais tradicionais, além de contar com plantas com folhas de diversas cores em suas paredes.

Nesse sentido, esse conceito se baseia numa camada de vegetação necessária para criar um microclima adequado e filtragem da luz solar. Dessa forma, diminui o uso de equipamentos que provocam poluição, sendo assim referência em sustentabilidade ambiental.

Como é o uso da luz natural

Nesse sentido, os prédios contém placas de vidro para otimizar o uso da luz natural. Além disso, suas fachadas têm varandas que avançam de uma forma não uniforme. Assim, elas criam pequenos jardins individuais.

Dessa forma, a Floresta Vertical aumenta a biodiversidade, promove a formação de um ecossistema urbano onde vários tipos de plantas criam um ambiente vertical separado. No entanto, esse ambiente funciona dentro do macro ambiente ao seu redor.

Assim, pássaros e insetos não nocivos (com uma estimativa de 1.600 espécies de pássaros e borboletas) habitam essa floresta vertical. Dessa forma, ela se constitui em um fator natural para repor a flora e fauna em espaços urbanos.

Além disso, a vegetação usada também filtra as partículas de poeira do ambiente urbano.

Como foi a escolha das plantas

Acima de tudo, a diversidade de plantas ajuda a manter o microclima. Assim, ele produz umidade, absorve o CO2 e outros fragmentos, além de produzir oxigênio e proteger as torres da radiação solar e poluição sonora.

A escolha das espécies e sua distribuição de acordo com a orientação e altura das fachadas é o resultado de vários anos de estudos. Assim, esses estudos foram feitos por botânicos.

Inicialmente, as plantas usadas nas duas torres são cultivadas em uma estufa para que se adaptem à condições similares àquelas que irão encontrar nas varandas.

As torres viraram um ponto de referência para a cidade, atraindo assim muitos turistas para “a floresta vertical de Milão”, ou “o prédio de plantas”.

Suas cores variam de acordo com a estação do ano e as diferentes espécies de plantas usadas. Nesse sentido, os prédios oferecem à população de Milão uma vista da cidade em constante mudança.

Então, como as plantas se mantém?

A princípio, manter as plantas é função do condomínio. Do mesmo modo que a definição das espécies e do volume de plantas em cada terraço.

Assim como a decisão da forma de irrigar foi tomada através da observação dos aspectos do clima. Assim, definiu-se o volume de água de acordo com a exposição de cada fachada à luz solar e à distribuição das plantas em cada andar.

Além disso, grande parte da água usada para irrigar provém de reuso. Então, sistemas de energia eólica e fotovoltaica irão se somar ao microclima criado para aumentar o grau de autossuficiência de energia das duas torres.

Como resultado esse projeto recebeu prêmios

O Bosco Verticale venceu o concurso International Highrise Award. Esse é um grande feito na Europa. Ainda mais que esse é um dos prêmios mais notáveis da arquitetura, e onde concorreu com outros 800 prédios de 17 países. Além disso, ele foi eleito na premiação como o projeto do ano pelo Museu de Arquitetura de Frankfurt, na Alemanha.

Então, veja mais detalhes dos prédios

Enfim, voltando à pergunta do título dessa postagem, você moraria nessa floresta urbana? Então, ainda em dúvida? Seja como for, navegue pelas imagens abaixo e admire os detalhes do projeto.



Leia também:
DIY – blocos de concreto
Decoração, acerte nas cores
Bom gosto, você tem?
Saiba quais são os aromas que atraem boas energias
13 dicas para ter uma casa sustentável
Você mora em uma casa ou um lar?

Compartilhe...

2 comentários em “Você moraria em uma floresta?

  1. Margareth disse:

    Se mais prédios fossem assim, as cidades seriam oásis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *