A importância de adotar um animal de estimação em vez de comprar

Compartilhe com seus amigos

Tempo estimado para leitura: 6 minutos

Se você pretende ter um animal de estimação em sua casa e para tanto a única alternativa pensada até agora foi na compra de um animalzinho, sugerimos a leitura desse texto antes de tomar a sua decisão. Se tivermos sucesso em nossa argumentação, provavelmente você fará isso de forma mais consciente, mesmo que compre em vez de adotar.

Infelizmente o número de PETs abandonados no Brasil está cada vez maior. Os cães e os gatos estão entre as principais vítimas. A maioria desses animais são SRD (sem raça definida), mas os animais de raça também não escapam dessa situação de abandono.

As pessoas que resgatam animais são corajosas, abnegadas e dignas de admiração, elas se expõem a situações perigosas e insalubres e têm cada vez mais animais sob sua proteção e menos dinheiro a sua disposição para mantê-los com dignidade.

Os protetores fazem todo o possível para dar atenção, carinho e todos os cuidados necessários, mas com cada vez mais animais abandonados, o número de protegidos é cada vez maior e esses bichinhos acabam tendo menos atenção e carinho do que necessitam e merecem.

Por outro lado, vemos com frequência, na mídia e nas redes sociais, histórias de criadores inescrupulosos que exploram suas matrizes até o limite, sem cuidados básicos e visando somente o lucro.

É claro que isso não é a regra. Existem criadores de animais para venda conscientes, mas, infelizmente, pessoas sem caráter estão em todas as áreas da sociedade e essas acabam sujando o trabalho das pessoas honestas e bem intencionadas.

Vários países estão proibindo a venda de PETs justamente para evitar esse tipo de exploração. Alguns deles têm fiscalização e legislação bem rigorosa para quem insiste nessa prática de exploração.

Ao adotar, em vez de comprar, um animal de estimação você estará beneficiando pelo menos 4 seres vivos: o protetor, que terá condições de atender com mais dignidade os animais que estejam esperando adoção; o próprio bichinho que você estará levando para sua casa; outro animal abandonado, que provavelmente terá condições de ser resgatado pelo protetor havendo espaço para ele; e você mesmo, pois geralmente quem adota um animalzinho acaba sendo o maior beneficiado por essa atitude.

Porque você será o maior beneficiado? A pessoa que adota um ser vivo em dificuldade e oferece carinho e atenção para ele, aumenta sua autoestima em função dessa bela atitude.

O resultado de tomar essa atitude é continuado, pois a cada vez que você ou algum membro de sua família recebe o reconhecimento do seu novo amigo a sensação de felicidade é enorme.

Consequentemente, ao adotar em vez de comprar, seu bolso também será muito beneficiado se considerarmos que esses animais adotados de protetores geralmente já vêm vermifugados, vacinados e castrados – ou com a castração garantida por eles.

Isso sem considerar o valor que você pagaria na compra em um Petshop ou criador.

Mesmo que você resgate um animal na rua e tenha gastos com ele com vacinas, remédios e demais despesas decorrentes de seu acolhimento, esses mesmos gastos teriam que ser assumidos por você na compra de um animal.

Ao adotar, você poderá escolher tanto um animal adulto como um filhote.

Se ele for adulto, você já saberá o seu porte, grande ou pequeno, você terá a opção de escolher entre vários disponíveis para adoção, já conhecendo suas características e personalidade.

Além disso, os animais adultos geralmente já estão adestrados para fazer as necessidades fisiológicas no local correto. O que é uma grande vantagem caso você não tenha tempo no seu dia para dedicar-se a esse treinamento.

Caso você adote um filhote, terá que se dedicar ao seu treinamento e cuidados maiores no inicio da sua convivência, mas, em compensação, provavelmente terão um relacionamento por um maior número de anos.

Mas, esteja ciente de uma coisa, independente de você comprar, acolher, ou adotar um filhote, ele vai estragar objetos e móveis da sua casa, isso é uma certeza, fato que dificilmente acontecerá com animais adultos, portanto, esteja preparado para isso.

Ter um filhote em casa aumenta em muito a sua responsabilidade e a atenção requerida. Ele não tem culpa se estragar alguma coisa na sua casa, pois não tem essa noção de valor e do que é brinquedo ou não. Portanto ao colocá-lo para dentro de sua casa, abandoná-lo por esse tipo de dissabor não é uma opção.

Os protetores normalmente, são cuidadosos com seus protegidos e procuram oferecer os animais que mais se adaptarão a você pelo seu estilo de vida e personalidade do animal.

A adaptação é geralmente fácil, pois esses animais já passaram por muito trabalho na vida e se adaptam facilmente a novas realidades.

Pode ser que ele tenha um pouco de medo no inicio, até confiar plenamente nas pessoas e outros animais que já estejam na casa, mas com carinho ele será conquistado, será seu melhor amigo e eternamente grato.

Outra forma de adotar é recolher um animal diretamente da rua. Nessa hipótese, conforme explicamos acima, essa adoção provavelmente terá um custo mais alto, algumas vezes até maior do que comprar um animal com pedigree, se esse animal estiver ferido ou doente e precisar de tratamento veterinário.

E como os animais perdidos ou abandonado normalmente estão maltratados, sujos, doentes e machucados. Seu recolhimento envolverá despesas com veterinário, remédios, cuidados, castração, entre outras.

Porém, acolher um animalzinho diretamente da rua é um ato de extrema bondade, digno de admiração e é muito compensador. É uma experiência que traz um boa sensação para sempre.

Se, mesmo depois de ler esse texto você ainda fizer a opção pela compra, investigue o vendedor antes, peça para ver os pais do animalzinho e faça uma visita as dependências do criador.

Certifique-se de que você está tratando com pessoas idôneas e que seu animalzinho é saudável. Pais maltratados e matrizes exploradas podem gerar filhotes lindos, mas frágeis e com propensão a um maior número de doenças.


Independente de adotar, resgatar ou comprar, esteja ciente de que esse ser vivo que você vai levar para casa, é, e sempre será totalmente dependente de você. Ele vai ser seu melhor amigo e companheiro, mas é como se você tivesse que cuidar de uma criança pelo resto da vida dela.

O amor deles é incondicional, mesmo que seja maior quando tem comida envolvida, principalmente cachorros, que não têm limites para comer. 🙂

Além disso, um ser vivo não é um objeto que pode ser descartado e que a adaptação entre vocês é sua responsabilidade e não dele.

Aqui no blog “Lar, Doce Lar” somos totalmente a favor da convivência entre humanos e animais de estimação. Essa convivência é muito saudável e benéfica. Porém, somos totalmente contra maus tratos, animais presos sem atenção e abandonados. Portanto, nossa argumentação final é que você só leve um animalzinho para sua casa se você tem convicção que é isso que quer e que pode assumir o compromisso com esse ser vivo por todo o resto da vida dele.

Ao adotar um animal, ou comprar, e depois abandoná-lo você se transformará em um ser humano horrível. Analise antes de fazer isso se tem espaço na sua vida e na vida da sua família para esse novo integrante da família.


Se você gostou desse assunto, provavelmente também vá gostar de ler sobre esses:
Você prepara em casa a comida do seu animalzinho? Então leia essas dicas
A casa e os animais de estimação
9 dicas maravilhosas para donos de gatos inexperientes
Testamos o mordedor para cães que se propõe a substituir a escova de dentes
Como fazer para um filhote de cão parar de roer os móveis e objetos da casa?
Quanto o seu cão entende você?
Truques simples e caseiros para solucionar algumas situações com seus animais de estimação

Compartilhe com seus amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *