Artista plástico português transforma lixo em esculturas gigantes

A maior parte da população mundial ainda descarta seu lixo reciclável na natureza. Para expor esse problema e chamar a atenção da população de Lisboa, em Portugal, onde mora, o artista plástico Artur Bordalo – conhecido artisticamente como Bordalo II -, passou a transformar esse lixo em esculturas gigantes a céu aberto, em um projeto denominado “Animal Big Trash” (grandes animais feitos de lixo).

Como já abordamos algumas vezes aqui no blog “Lar, Doce Lar”, acreditamos que  esse assunto é de extrema importância em nossa vida e nos hábitos que desenvolvemos em nosso dia-a-dia. A cada vez que o discutimos, mais uma sementinha é plantada em nossa mente e, quem sabe, nos tornemos multiplicadores de boas ideias para o aproveitamento dos nossos dejetos.

Nessa postagem, como comentamos acima, vamos abordar sobre uma arte oriunda da agressão que a maioria das pessoas causa à natureza ao não dar o devido tratamento ao seu lixo. O artista Artur Bordalo utiliza uma mistura de lixo descartável, como sacolas plásticas, pneus, cabos elétricos e garrafas para criar esculturas gigantes.

A exposição de arte de rua ambiental “Animal Big Trash” por Bordalo II, em Lisboa, repercutiu de tal forma que o artista já vem praticando sua arte em outras cidades e países. Suas obras baseadas em animais busca trazer a atenção a como o desperdício da nossa sociedade os prejudica. O artista utiliza cercas, prédios em ruínas, fachadas de edifícios, muros, pier e até mesmo um navio abandonado para expressar a sua arte.

Latas de lixo, aparelhos estragados, e até mesmo carros inteiros são jogados na natureza, essas são as principais matérias-primas das obras de Bordalo II. Os seus murais em 3 dimensões são muito coloridos e exuberantes, chamando a atenção de todos os transeuntes, sejam eles adultos ou crianças, impressionados com os trabalhos realizados pelo artista.

Em seu site (www.bordaloii.com), Artur Bordalo publicou: “Nasci em 1987 em Lisboa. Eu pertenço a uma geração que é extremamente consumista, materialista e gananciosa. Com a produção industrial em índice tão elevado, a produção de “resíduos” e objetos não utilizados, também está no seu ápice. “Resíduos”, é citado em função de sua definição abstrata: ‘o lixo de um homem é o tesouro de outro homem’. Eu crio, recrio, monto e desenvolvo ideias com material descartado e tento relacioná-lo com a sustentabilidade ecológica e a consciência social.”

Veja abaixo algumas das lindas obras do artista português, será que alguma delas serve de inspiração para você fazer a sua?

Você gostou da abordagem e do destino dado ao lixo urbano pelo Artur? Se esse assunto é de seu interesse, sugerimos também a leitura dessas outras postagens do nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *