Coronavírus pode contaminar através do ar condicionado?

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 7 minutos

Com a quarentena recomendada pelas autoridades em função da pandemia de Coronavírus, muitas dúvidas precisam ser esclarecidas para a população, que algumas vezes fica a mercê de sua própria sorte, sem saber exatamente como proceder em algumas situações de risco.

Como essa é uma doença respiratória, saber como agir ao utilizar o ar condicionado e os cuidados necessários para com os equipamentos é importantíssimo, tanto para quem está em casa confinado com sua família, ou para quem permanece trabalhando em um ambiente climatizado.

Para ajudar nossos leitores a ficarem mais protegidos, buscamos a opinião de um especialista em climatização, o engenheiro Álvaro Dias Neto, que preparou um artigo muito útil explicando os riscos da falta de manutenção adequada nos aparelhos de ar condicionado para publicarmos.

O texto é bastante técnico e completo, para que você possa, não somente proteger sua saúde e de sua família, como também poder cobrar dos responsáveis pelo ar condicionado que você utiliza no seu local de trabalho para que executem os procedimentos corretos.


CORONAVÍRUS – CONTAMINAÇÃO PELO AR CONDICIONADO
Por: Álvaro Dias Neto – Engenheiro Mecânico – CREA SC40.010-3

O agente do novo Coronavírus (COVID-19) foi descoberto na China no final de 2019 e recebeu este nome porque quando observado ao microscópio tem aparência de uma coroa (corona em espanhol e italiano).

Esse vírus é capaz de infectar tanto animais quanto humanos, causando febre, tosse e resfriado, podendo evoluir para doenças respiratórias graves, como pneumonia, Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) ou insuficiência renal.

Apesar do baixo índice de mortalidade, o Coronavírus mostra grande poder de contágio, se alastrando pelo mundo em proporções dificilmente vistas e transformando-se numa PANDEMIA de efeitos devastadores.

Neste cenário de alarmismo e histeria é importante que as pessoas busquem as informações corretas, sigam os conselhos das autoridades sanitárias nacionais e regionais e tomem as precauções sugeridas quanto às formas de transmissão e os melhores modos de se prevenir dos efeitos desta PANDEMIA.

Quanto mais prevenção, mais proteção

De acordo com a OMS – Organização Mundial de Saúde, a transmissão do Coronavírus se dá por contato pessoal e pelo ar. Diante disso, os cuidados com a higiene pessoal e com a higienização dos aparelhos de ar condicionado devem ser parte indispensável destes hábitos preventivos.

A manutenção preventiva dos aparelhos de ar condicionado passa a ser um fator ainda maior de preocupação, pois é preciso tomar as precauções necessárias para evitar o contágio exponencial do vírus, preservando a saúde e conforto dos usuários.

O mais conveniente neste momento é evitar o uso de ar condicionado em ambientes de uso público e coletivo, procurando sempre manter abertas as portas e janelas para propiciar uma melhor ventilação e renovação de ar dentro destes espaços.

Isso nem sempre é possível, pois para nós que convivemos num país com temperaturas muito altas durante o verão, o AR CONDICIONADO tornou-se um aliado importante para manter o ambiente em que vivemos sempre agradável.

No entanto, é preciso salientar que um equipamento de ar condicionado sem a limpeza e manutenção adequada, deixa de ser um aliado e torna-se um vilão, transformando-se num agente de propagação de vírus, bactérias e ambiente propício para a formação de diversos outros micro-organismos causadores de doenças respiratórias.

Assim como é recomendado que se lave sempre as mãos para evitarmos contaminações, podemos também afirmar categoricamente que é imprescindível uma limpeza adequada nos equipamentos de Ar Condicionado.

Antes mesmo do surgimento do Coronavírus (COVID-19), um estudo recente da Organização Mundial de Saúde indicou que 45% das doenças respiratórias são causadas por equipamentos de ar condicionado sem manutenção e sem limpeza adequada.

Somente com um Plano de Manutenção Preventiva adequado podemos propiciar uma qualidade de ar interior compatível, mantendo os equipamentos em perfeita limpeza, com filtros de ar limpos, bandejas e gabinetes higienizados e assim assegurar que o ar que passa pelo sistema esteja livre de contaminações.

Como proceder para diminuir as chances de contaminação pelo Ar Condicionado?

# UM PLANO DE MANUTENÇÃO, OPERAÇÃO E CONTROLE (PMOC) é a melhor forma de LIMPAR E MANTER SAUDÁVEL, todo o sistema de ar condicionado;

# FILTROS DE AR – Quanto maior o risco de contaminação no ambiente, maior deve ser a frequência de substituição dos filtros. Para aplicações especiais, recomenda-se usar baterias de filtragem com filtros HEPA, que são filtros de alta eficiência e retém 99,97% das partículas com dimensões de 0,3 micra, reduzindo consideravelmente os riscos de contaminação.

# SERPENTINAS – Lavar a serpentina evaporadora de imediato, a fim de higienizar e livrar de componentes biológicos;

# VENTILADORES – Lavar totalmente, aspirando também os motores elétricos;

# GABINETES– Lavagem externa e interna, com atenção aos cantos vivos e reentrâncias que possam acumular impurezas. Substituir isolamentos danificados;

# BANDEJAS – É o principal foco de contaminação e merece a maior atenção. Devem ser lavadas ou até pintadas. Em alguns casos recomenda-se a TROCA.

# HIGIENIZAÇÃO – Para uma ASSEPSIA COMPLETA do equipamento devem ser utilizados produtos ANTI-BACTÉRIAS e ANTI-FUNGOS que não sejam tóxicos, sem cheiro, biodegradáveis e homologados pela ANVISA.

# RENOVAÇÃO DE AR– A LEGISLAÇÃO – Portaria 3.523/98 do Ministério da Saúde e a Resolução Re Nº 176 da ANVISA determinam o Grau de Pureza do Ar e a Vazão de Renovação de Ar. A não observância destes itens pode provocar sérios problemas de saúde aos ocupantes.

# NÍVEL DE CO2 – A monitoração dos níveis de dióxido de carbono no ambiente, conforme indicações da resolução 09 da Anvisa, é o melhor indicativo da qualidade do ar interno. Se todos os indicativos estiverem em dia, o risco de transmissão de por agentes infecciosos será mínimo.

ASPECTOS LEGAIS – Lei Federal 13.589/2018 – Lei do PMOC

A LEI DO PMOC – PLANO DE MANUTENÇÃO, OPERAÇÃO E CONTROLE determina que todos os prédios de uso público e coletivo precisam ter um Plano de Manutenção Preventiva para o seu sistema de ar condicionado.

As exigências legais sobre a Qualidade do Ar Interior vão muito além de uma simples limpeza de equipamentos de climatização ou suas redes de dutos. Todos os proprietários, locatários e prepostos, responsáveis por sistemas de climatização com capacidade a partir de 5 TR (60.000 BTU/h), deverão implementar um contrato de Manutenção Preventiva, contendo um Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC) dos sistemas de ar condicionado.

A elaboração deste PMOC deve estar sob responsabilidade de um Engenheiro Mecânico e deve contemplar todos os aspectos legais, procedimentos, periodicidade de execução de serviços, resultados de análises laboratoriais da qualidade do ar, identificação do sistema, dos equipamentos, dutos e responsabilidades técnicas, ficando disponível para consultas de todos os usuários do sistema de climatização.

Tanto os proprietários dos sistemas quanto as empresas executoras dos serviços não-conformes com as determinações do Ministério da Saúde estão sujeitas às imposições da Lei, incorrendo, portanto, no risco de serem autuadas por infração sanitária.

HISTÓRICO – PORTARIA 3.523/98 e RESOLUÇÃO RE 09/2003

O Coronavírus passou a preocupar de forma especial a todos nós há alguns dias, porém, a infecção por vírus, fungos e bactérias em sistemas de ar condicionado é um assunto antigo. O tema apenas ressurge a cada descoberta de um novo agente de contaminação, como agora é o caso do COVID-19.

A Lei Federal foi sancionada há pouco mais de dois anos, mas a qualidade do ar em ambientes climatizados começou a ser debatida no Brasil em 1998, portanto 20 anos antes da lei ser sancionada.

O assunto entrou em discussão por ocasião da morte por infecção respiratória do então Ministro Sérgio Motta, originada por uma bactéria encontrada no sistema de ar condicionado chamada “Legionella Pneumophila”, que se aloja nos pulmões causando uma série de danos, podendo levar à morte.

Deste debate sobre as doenças causadas pela falta de limpeza e manutenção dos sistemas de ar condicionado surgiu a portaria 3523, publicada pelo Ministério da Saúde, e que determinava diversos procedimentos e cuidados que se deveria ter com os aparelhos de ar condicionado.

Em 2003 essa portaria foi complementada por uma Resolução da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que determinou os Padrões Referenciais da Qualidade do Ar Interior em Ambientes Climatizados. Só em 2018, com a sanção do então Presidente Temer, estes procedimentos viraram uma LEI FEDERAL.

PMOC: FAÇA UM PLANO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA DO SEU AR CONDICIONADO
ESPALHE QUALIDADE DE VIDA PELO AR

Qualquer usuário dos sistemas de ar condicionado pode solicitar a presença da Fiscalização Sanitária, caso esteja insatisfeito ou desconfiado de algum risco de contaminação pela má qualidade do ar que respira, principalmente quando são visíveis as sujidades nos componentes do sistema.

Mais do que nunca, é importante uma postura profissional frente a este problema. Todos somos responsáveis por provocar uma conscientização geral sobre os cuidados que devem ser tomados em relação ao ar condicionado para que os equipamentos que nos proporcionam conforto não se transformem em vilões da contaminação.

Faça um Plano de Manutenção Preventiva para seu sistema de ar condicionado e comece a usufruir de um ambiente ao mesmo tempo agradável e sem riscos para a sua saúde.

CONCLUSÃO

Neste momento o Coronavírus movimenta as notícias pelo mundo a fora. O Brasil está vivendo uma situação turbulenta, trazendo um ar de incerteza na vida de muitas pessoas. Nós estamos acompanhando a situação e evolução de perto com esperança de que em pouco tempo o vírus será contido e tudo isso vá acabar.

É um momento de cautela e planejamento, por isso nosso compromisso é de mantê-lo informado das melhores práticas de prevenção, seguindo sempre as recomendações das autoridades de saúde.

Que fique a lição de que os cuidados com higiene pessoal e manutenção do sistema de ar condicionado seja uma constante. É preciso agir com responsabilidade. Não podemos esperar um novo surto de doenças transmissíveis pelo ar para que se tome consciência dos riscos que corremos ao negligenciar a higienização e renovação de ar nos sistemas de climatização. O PMOC – Plano de Manutenção, Operação e Controle é o maior aliado para a proteção da saúde dos usuários.

Não deixe de falar conosco nas nossas redes sociais, tire suas dúvidas, e se precisar de orientações para casos específicos entre em contato por mensagem direta ou pelo e-mail projeclima@projeclima.com.br

Eng. Álvaro Dias Neto
Engenheiro Mecânico – CREA SC40-010-3
Formado pela PUC|RS – Pontifícia Universidade Católica do RS

Responsável Técnico pela ProjeClima Engenharia na área de projetos, consultorias e gerenciamento de obras de
HVAC – Sistemas de Ar Condicionado, Ventilação e Exaustão.

Instagram: @projeclimaengenharia
Facebook: https://www.facebook.com/ProjeClimaEngenharia
Linkedin: linkedin.com/company/projeclima
Site: www.projeclima.com.br


Se você gostou desse assunto, provavelmente também vá gostar dessas outras postagens:
Afinal, a pipoca traz benefícios ou malefícios para a saúde?
Jardinagem, o hobby que me encanta!
Dormir sem roupas pode trazer algum benefício?
Hobbies caseiros, você curte? Selecionamos 11 para você escolher o seu!
Quanto de água devemos consumir?
Por que o Desodora funciona?
Saiba quais são os sinais precoces de pressão alta
O COVID-19 e a saúde mental

Compartilhe...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *