Utilizando cortinas na decoração – Parte II

Se você leu nosso texto anterior sobre o uso de cortinas na decoração então já se familiarizou com alguns aspectos importantes a serem considerados na sua instalação, como medidas ideais e outros detalhas, ficou sabendo também que a cortina quase sempre é um item necessário em um ambiente. O que não abordamos ainda e vamos fazê-lo nesse texto é ajudar na escolha da cortina ideal para cada ambiente da sua casa com informações que julgamos relevantes.

Para os profissionais que trabalham com decoração ou com confecção de cortinas, decidir o tipo de cortina a ser instalado é uma decisão fácil, mas para quem não está familiarizado com esse assunto, essa decisão pode ficar um pouco complicada. Alguns itens devem ser considerados para definir o tipo de cortina mais adequado, vamos tentar agora esclarecer alguns deles.

Utilizar cortina ou persiana?

Você tem gato em casa? Os gatos tendem a afiar as unhas nos tecidos, se esse for o seu caso, prefira usar persianas de madeira, plástico ou metal. A persiana pode até ser com tecido engomado, tipo painel, mas que o gato não consiga arranhar, caso contrário ela ficará logo totalmente desfiada e destruída.

Qual o nível de ruído vindo do exterior? Quanto mais tecido uma cortina contiver, menor será a quantidade de ruído que ela deixará passar. Neste caso prefira cortinas e, se possível, bem fartas.

O ambiente recebe excesso de sol? Neste caso pode-se utilizar uma cortina com forro ou uma persiana. Existem tecidos que permitem a passagem da luz solar e que barram a passagem dos raios UV.

Quanto o ambiente precisa ser escurecido? Se a cortina vai ser instalada em um dormitório, por exemplo, o ideal é usar um blackout, combinado com uma cortina mais leve ou com uma persiana.

A combinação de cortina com persiana geralmente funciona muito bem e em muitos casos se complementam.

Utilizar varão ou trilho para pendurar a cortina?

O trilho é mais indicado para ambientes que possuem cortineiro (recuo feito em gesso ou outro material que esconde a parte superior da cortina) ou bandô, ou seja, quando os trilhos não ficam aparentes. O trilho fica mais firme quando fixado no teto e permite uma grande variedade de pregas no tecido, o que aumenta o volume da cortina. Os trilhos podem ser utilizados com qualquer tipo de tecido, também podem ser usados para pendurar cortinas com um, dois ou três panos.

O varão, por ficar exposto, dita o estilo para a cortina. Os varões podem ser em madeira – mais rústico -, ou metal – mais moderno -. Por ficar exposto, ele deve combinar com o estilo do tecido escolhido, com as argolas ou com os ilhoses e com as ponteiras. O varão é mais adequados para cortinas com um ou dois panos e pode ser preso no teto, mas fica melhor se estiver preso na parede. Se a cortina for movimentada com frequência (aberta e fechada), dê preferência para argolas ou ilhoses de plástico ou metal. Com corrediças de tecido, ela fica mais pesada para ser manuseada.

Utilizar tecido fino ou grosso?

Tecidos finos, como o voil ou o linho, possuem um caimento melhor, bloqueiam um pouco o sol e fornecem privacidade. Transmitem uma sensação de leveza.

Tecidos grossos, como o veludo, escurecem bem o ambiente, mas tendem a deixá-lo menor, são indicados para ambientes grandes.

Tecidos intermediários ficam ótimos se usados como chales ou nas laterais das cortinas.

Se você pretende escurecer completamente um ambiente, a melhor opção é combinar um tecido fino com um blackout.

Utilizar tecidos naturais ou sintéticos?

Os tecidos sintéticos são mais indicados para confeccionar cortinas porque são mais fáceis de lavar e não precisam ser passados.

Utilizar cortinas em cores claras ou escuras?

Os tecidos escuros tendem a desbotar mais rápido e também absorvem mais a luz solar, tornando o ambiente mais quente, o que é ótimo para regiões mais frias. Já os tecidos claros, principalmente os neutros, darão mais versatilidade na decoração, preservam a privacidade e protegem do sol, sem perder a luminosidade.

Você pode combinar os dois tons usando os escuros em pequenas doses.

Utilizar cortinas curtas ou compridas?

A princípio utilize sempre cortinas compridas, quase, ou tocando o chão. As cortinas longas deixam o ambiente mais leve. Cortinas curtas ficam bem em dormitórios infantis, neste caso ideal é que sejam coloridas ou estampadas, ou então em janelas que tenham uma bancada ou outro móvel abaixo delas.

 
Com esse segundo texto, esperamos ter esclarecidos mais algumas dúvidas sobre cortinas.

Leia também as outras postagens que compõem essa série sobre cortinas:
Utilizando cortinas de decoração – Parte I
Utilizando cortinas de decoração – Parte III

Se você gostou dessa dica, certamente também vai gostar dessas outras postagens do “Lar, Doce Lar”:
Como acertar na decoração monocromática
Como aproveitar melhor o espaço em casas com peças pequenas
Inspiração, conheça a cozinha de 7 celebridades
Sousplat ou Jogo Americano… Quando usar cada um?
Como aproveitar da melhor maneira uma lavanderia pequena
Como organizar e facilitar a mudança de casa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *