Vale a pena consumir mini hortaliças? Quais as vantagens?

Gostou dessa postagem? Compartilhe com seus amigos

As mini hortaliças certamente são uma tendência que veio para ficar, está cada vez mais comum encontrá-las nos supermercados e feiras de produtos agrícolas. As verduras, legumes e frutas em miniatura estão despertando cada vez mais o interesse do consumidor pela sua praticidade e sabor diferenciado e, portanto, também dos agricultores e comerciantes, devido ao seu alto valor agregado.

Há alguns anos começaram a aparecer os mini-tomates nas prateleiras dos supermercados, hoje eles estão praticamente em todas as casas, isso, brevemente acontecerá com outras mini hortaliças, já é comum encontrar miniaturas de abóboras, berinjelas, alface, rúcula, repolho, entre outras.

Com um crescimento estimado entre quinze e vinte por cento ao ano, o mercado de mini hortaliças ainda tem muito espaço para crescer no Brasil. Consideradas como um nicho muito importante para o mercado nacional, e elas ainda tendem a contribuir com o aumento do consumo de alimentos saudáveis, pois combinam produtos nutricionalmente ricos com um aspecto visual mais atrativo.

Mas o que são as mini hortaliças? São produtos agrícolas semelhantes aos tradicionais, porém menores, mais saborosos e com aspecto geralmente mais bonito que as matrizes utilizadas na sua criação. O tamanho reduzido das mini hortaliças pode ser obtido como resultado de sementes com genética miniaturizada, através da importação de espécies menores, ou através da forma de cultivo, quando alguns ajustes no sistema de produção interferem no tamanho da hortaliça, como por exemplo a colheita antecipada ou o plantio adensado – plantas cultivadas muito próximas uma da outra.

Visando aprimorar o cultivo e reduzir os custos com o sistema produtivo das mini hortaliças, vários pesquisadores e agricultores têm trabalhado em conjunto estabelecendo parcerias para definir os melhores ajustes no manejo para que algumas plantas importadas de regiões de clima diferente do nosso produzam bem nas condições tropicais do Brasil.

As mini hortaliças também vêm ocupando um grande espaço na alta gastronomia, onde são utilizadas tanto na composição de pratos mais elaborados, como também na forma de lanches e aperitivos, sendo servidas em seu estado natural. Elas são mais fáceis de serem preparadas, trazem um aspecto mais moderno e atraente aos pratos e geralmente são mais saborosas.

Tecnicamente as mini hortaliças e frutas em miniatura são classificadas como mini e “baby”. Ambos distinguem-se dos de tamanho tradicional basicamente por serem menores, porém, entre elas também existe uma diferença fundamental. O grupo mini é produzido através do plantio de sementes ou matrizes que passaram por melhoramento genético, como os tomates, pimentões, pimentas, abóboras e cenouras, que mantém seus formatos originais, mas têm seu tamanho reduzido. Já o grupo “baby” é obtido através da colheita antecipada dos produtos de tamanho tradicional, fazem parte desse grupo, o milho, os brotos e as alfaces.

Independente do grupo a que pertencem, os dois tipos trazem diversas vantagens para quem os consome. Vamos conhecer algumas delas? Pessoas que moram sozinhas e famílias pequenas, por exemplo, podem consumir várias mini hortaliças em uma única refeição sem desperdício de alimentos. Crianças tendem a se interessar mais por alimentos visualmente mais bonitos e de tamanho reduzido, tornando assim sua alimentação mais nutritiva, divertida e espontânea. As mini hortaliças colhidas ainda jovens trazem também um benefício nutricional para quem as consome, pois nelas os nutrientes estão mais concentrados do que nos vegetais adultos.

Além disso, algumas mini hortaliças podem ser plantadas em casa, mesmo por quem tem pouco espaço disponível, proporcionando assim uma alimentação mais saudável e até 100% orgânica. E para quem pratica cultivo indoor, elas podem ser cultivadas mais facilmente utilizando os vasos autoirrigáveis.

Quer mais dicas sobre o plantio de mini hortaliças e temperos? Leia a postagem “Mini hortaliças e temperos para você mesmo cultivar em uma pequena horta urbana“.

Leia também:

Bokashi, o adubo orgânico japonês que está fazendo sucesso no Brasil
As vantagens de ter uma horta em casa
Vale a pena consumir tomates orgânicos?
“Hortaliça não é só salada”, conheça esse interessante site de dicas da Embrapa Hortaliças
Conheça a primeira horta orgânica autoirrigável para pequenos espaços
Dicas imperdíveis para quem tem ou quer começar uma horta caseira

Gostou dessa postagem? Compartilhe com seus amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *