Você já escolheu o piso mais adequado para o seu lar? Repense como chegou nesta decisão!

Muito antes da escolha dos móveis e da decoração, um dos primeiros aspectos com os quais nos preocupamos quando damos início à construção ou à reforma de nossa casa é o revestimento de paredes e pisos. Se você já construiu ou reformou, certamente já passou por essa etapa de decisão.

E, para que esta decisão seja feita da forma mais assertiva possível, precisamos considerar uma série de fatores que vão muito além do quesito estético:

  • Qual o seu orçamento? O material e a mão de obra para a instalação cabem no seu bolso? O tempo necessário para a colocação deste material se encaixa no cronograma da sua obra?
  • Como é a manutenção deste piso? Ela se encaixa à sua rotina? Se forem necessários cuidados periódicos especializados, você poderá mantê-lo?
  • Existe algum fator particular como alergias, crianças pequenas ou animais de estimação que venham a ser agravados com a colocação deste material?

Veja que estes são alguns dos questionamentos necessários para que a sua casa seja, não somente bonita, mas funcional e adequada ao seu estilo de vida.


Por que eu devo olhar além da estética na hora de escolher o meu piso?

As primeiras questões, por exemplo, são mais comuns de serem abordadas pelos próprios profissionais responsáveis pela condução da obra, já que seus cálculos envolvem um equilíbrio entre as necessidades dos clientes, seu orçamento e seu prazo de entrega da residência.

Contudo, é essencial que esta reflexão parta de nós mesmos para que tudo saia como o planejado, evitando dores de cabeça, gastos necessários e frustrações ao longo do processo. Como diz aquele velho ditado “o combinado não sai caro!”

Depois disso, é importante que levemos em consideração a nossa rotina “pós obra”, afinal, todo este processo tem que ser pensado para criar um ambiente confortável, aconchegante e funcional para o nosso dia a dia. Por isso, a escolha do material também deve ser feita com base nos cuidados que serão necessários para mantê-lo sempre limpo e bonito.

Pense no seguinte cenário: você é uma pessoa que possui uma rotina corrida, com elevada carga horária de trabalho e que, por isso, não dispõe de muito tempo para cuidar do seu lar. Logo, optar por um piso que não dê a você esta praticidade não seria uma opção muito inteligente, certo?

Neste caso, por exemplo, a manutenção de pisos de madeira envolve o polimento e a aplicação de cera, o que só seria possível se você dispusesse de recursos para pagar a um profissional para fazê-lo. Então, as melhores escolhas seriam porcelanatos ou pisos laminados, cujas manutenções são muito mais práticas e rápidas.

Por fim, o mesmo raciocínio é aplicado aos casos de fatores particulares como alergias, crianças pequenas e pets. Nestes casos, também seriam necessários materiais de fácil limpeza e manutenção, já que o acúmulo de pêlos e poeira poderiam prejudicar a sua qualidade de vida.

Então, tenha sempre em mente aspectos de seu cotidiano e vida pessoal antes de tomar alguma decisão, esse é o melhor caminho, não acha?


Quais opções de piso eu posso levar em consideração na hora de fazer esta escolha?

Feitas todas estas considerações, agora sim é hora de pensar no acabamento e no visual que ele agregará ao seu lar. Afinal, além de adequado ao seu estilo de vida, ele também tem que ter a sua cara!

E, se você está por fora das opções de pisos disponíveis no mercado, veja abaixo uma lista com os tipos de materiais mais comuns e algumas de suas características:

1. Piso parquet

É composto por ripas médias de madeira maciça. Unidas, formam amplos padrões geométricos ao longo do piso. Suas medidas são de 24 cm x 24 cm ou de 48 cm x 48 cm. Sua manutenção é mais dificultosa, acumulando poeira com facilidade. Necessita ser encerado.

2. Piso taco

Também composto por ripas de madeira maciça, porém com tamanho reduzido (medidas de 7 cm x 14 cm a 10 x 40 cm). Suas peças formam um verdadeiro mosaico, sendo os estilos escama de peixe, jogo de dama e tijolinho os mais comuns. Assim como o parquet, sua manutenção também não é das mais práticas, pois fica empoeirado (nas frestas entre suas peças) e manchado com facilidade, por isso, pessoas com alergias respiratórias tendem a não se dar bem com este material. Necessita ser encerado.

3. Piso de madeira maciça

Grandes e pesadas ripas de madeira maciça compõem este piso, que foi o mais usado em construções antigamente. Por apresentar menos irregularidades e vincos entre suas peças, acumulam menos sujeira e têm uma manutenção muito menos trabalhosa.

4. Piso Laminado

Um dos queridinhos da atualidade, é a opção ideal para quem ama o charme do acabamento em madeira mas não dispões de muito tempo para a sua limpeza e manutenção. Formado por lâminas de madeira compensada encaixadas umas às outras, a instalação do piso laminado é prática, porém, um pouco mais cara quando comparada às demais.

5. Piso Vinílico

Feito de PVC, é o material cuja instalação e manutenção oferece maior praticidade. Sua aplicação quase não produz sujeira e sua limpeza diária demanda de apenas um pano levemente umedecido. Um ponto negativo do piso vinílico é que este se deteriora facilmente em contato com água, por isso, não pode ser aplicado a ambientes úmidos (como banheiros e cozinhas) e nem higienizado com água em abundância.

E então, conseguiu ter uma ideia de qual tipo de piso usar na construção ou reforma de sua casa? Esperamos que este artigo tenha ajudado você nesta tomada de decisão!

Se você gostou dessas dicas, provavelmente também vá gostar dessas:
Dicas de decoração de quarto de casal
Decoração, acerte nas cores
Fique por dentro das vantagens de utilizar piso de bambu
Evite os 10 erros mais comuns na decoração da sala de estar
Cimento queimado, dicas e ideias
Vasos autoirrigáveis
Procurando inspirações para aproveitar o espaço embaixo da escada? Veja 12 ideias criativas
Como transformar sua casa em um lar aconchegante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *