Como plantar e como cuidar da Costela de Adão

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 5 minutos

Linda, fácil de cuidar e exuberante, provavelmente sejam essas as palavras que venham à cabeça de quem curte jardinagem e cultiva Costela-de-Adão ao pensar nessa planta magnífica. Para os chineses por exemplo, pela sua exuberância, ela é considerada um símbolo de uma vida longa.

As folhas gigantes, brilhantes, recortadas, furadas e arredondas, fazem da Costela de Adão uma folhagem única e espetacular. Principalmente os furos em suas folhas, que dão um toque final de beleza, tanto no jardim, como quando ela é usada na decoração em ambientes fechados.

E para completar suas qualidades, ela ainda é muito versátil. Se você não tem o famoso “dedo verde” (expressão utilizada a partir de uma analogia a um livro infanto-juvenil sobre um menino que onde tocava seu polegar nasciam plantas – O Menino do Dedo Verde, do escritor francês Maurice Druon), não precisa ter receio de cultivá-la, pois a Monstera Deliciosa – nome científico da Costela-de-Adão – é muito fácil de ser cultivada.

Se cuidada da maneira certa, com um substrato rico em matéria orgânica, regas regulares e à meia-sombra é uma planta perene e que se mantém sempre linda e saudável.

A Costela-de-Adão é muito utilizada também em projetos paisagísticos em função de sua versatilidade, rusticidade e adaptação a várias situações, tanto em vasos como diretamente no solo. Força e resistência são outras de suas características e pode ser utilizada em jardins pequenos, varandas, sacadas e ambientes fechados.


Qual a origem e as características da Costela de Adão?

A Monstera Deliciosa – como é referida amplamente (talvez erroneamente) essa espécie aqui no Brasil -, tem como origem o Panamá e o sul do México, onde costuma crescer em árvores a uma altura de até 20 metros. Além dos galhos, ela também pode se fixar nos troncos das árvores, nas rochas, ou diretamente no solo.

Quando cresce em galhos de árvores, ela possui longas raízes aéreas para se fixar. Ela também é uma planta que contribui para as economias locais em seus países de origem, além da produção de frutos. No Peru, por exemplo, suas raízes são usadas para fazer cordas, no México, para fazer cestas.

O nome ‘Deliciosa’ refere-se às deliciosas frutas que produziam ao serem cultivadas na América Central. O sabor dessas frutas lembra banana combinada com abacaxi.

Mas atenção, existem cerca de 22 espécies de Monstera originárias da América tropical, portanto, apesar de – como escrevemos acima – a Costela-de-Adão ser ser referida como Monstera Deliciosa no Brasil, nem todas as variações dessa planta produzem frutos comestíveis.

Além disso, muitas dessas espécies produzem um pendão que pode ser venenoso, portanto não se aventure a prová-las, a menos que você esteja certo de que está experimentando da variação certa. Mesmo os frutos das espécies comestíveis exigem um tempo de maturação antes de serem consumidos.

O mais adequado seria referir-se às Costelas de Adão encontradas aqui no Brasil apenas com o nome científico de Monstera em função da quantidade de espécies cultivadas em nosso país. Em algumas regiões do país ela também é conhecida como banana-do-mato, ceriman, ou abacaxi-do-reino.

As folhas e o caule das espécies Monstera são tóxicos, podem provocar náusea, dor de cabeça e vômito se ingeridos. Portanto é recomendável tomar alguns cuidados durante seu manejo, como usar luvas e procurar não levar as mãos à boca ou ao rosto. Lave sempre as mãos depois de entrar em contato com sua seiva e procure tomar um cuidado extra com crianças pequenas e animais de estimação.

Diz-se também que o nome Monstera pode derivar do latim monstrum (que significa monstro), em referência ao tamanho de suas folhas, mas isso não tem comprovação.

Cores e formatos das folhas da Costela de Adão

Geralmente com folhas verde-escuras grandes e brilhantes, a Monstera é inconfundível, porém, existem variedades diferentes dessa planta, tanto em formato, como em cor. A verde clássica é a mais comum aqui no Brasil, onde também é possível encontrar algumas espécies com detalhes em amarelo ou branco.

As folhas, quando novas, são em forma de coração, e na medida em que se desenvolvem e crescem começam a aparecer os detalhes arredondados e os buracos nas folhas. As folhas adultas podem atingir um diâmetro de até um metro.

Como e onde plantar a Costela de Adão

A Costela de Adão, apesar de não ter origem no Brasil, se adaptou muito bem tanto aos nossos mais variados climas, como aos nossos solos.

Ela prefere a sombra ou meia sombra, mas resiste até mesmo ao sol direto. Antes de plantá-la, dê preferência aos locais menos ensolarados caso queira explorar toda a sua exuberância e deseje que ela se desenvolva adequadamente.

Ela é plantada a partir de mudas feitas por estaquias e seu plantio é muito fácil e simples, tanto em vaso como diretamente ao solo.

Caso você vá plantá-la em um vaso, escolha um vaso do tamanho adequado para o tamanho final que você deseja que ela atinja, quanto mais espaço em vaso você oferecer para ela, maior será sua exuberância. Como ela é uma planta de crescimento rápido, se você escolher inicialmente um vaso muito pequeno, em pouco tempo terá que transferi-la para um vaso maior.

O plantio em vaso não exige nenhum procedimento especial, pode seguir os procedimentos usuais de todos os plantios, com pedriscos para drenagem adequada.

A terra ou substrato que vai receber a nova planta pode ser tratada com uma mistura de adubo orgânico e fertilizantes, ou até mesmo receber só primeiro.

Depois de plantada, a muda da Costela de Adão deve ser regada diariamente, mas não em excesso, até que pegue e comece a se desenvolver com vigor.

Como fazer mudas de Costela de Adão

Se você já tem um pé de Costela-de-Adão e quer fazer novas mudas a partir dele é muito fácil. Observe que a sua planta tem várias raízes externas que saem de seus talos. Você precisará cortar um talo abaixo de uma dessas raízes, pois plantar somente o talo sem nenhuma raiz não vai funcionar.

Depois é só plantar essa muda normalmente. Na planta mãe, onde você cortar o talo vai nascer um novo talo e novas folhas, ela se recupera facilmente.

Como cultivar e cuidar da Costela de Adão

A Costela de Adão não exige muitos cuidados, tanto quando plantada diretamente ao solo do jardim como quando plantada em vaso e colocada em ambientes internos.

Ela não necessita de luz solar direta e prefere a sombra ou meia sombra, conforme explicamos acima.

Sua rega deve ser frequente, sempre que você observar que a terra está seca, principalmente nas estações mais quentes. Evite regá-la em demasia para não provocar apodrecimento das raízes.

Ela pode ser podada, caso esteja em um tamanho maior do que você deseja, mas prefira fazê-lo na primavera.

Usada na decoração, a Costela de Adão dá um toque tropical e exótico maravilhoso ao ambiente, caso você opte por utilizá-la dessa forma, dê bastante espaço a ela para explorar todo o seu potencial.


Gostou dessas dicas? Então certamente você também vai gostar de ler esses outros textos que publicamos:
Como plantar e cultivar a Rosa do Deserto
12 erros que devem ser evitados ao montar um jardim
24 ideias para embelezar ainda mais um jardim utilizando pedriscos
A importância da adubação de hortas e jardins
Saiba quais são os aromas que atraem boa energias
Jardinagem, o hobby que me encanta!
Saiba como perfumar os ambientes da sua casa
Janelas com floreiras, dicas úteis de como montar as suas e ainda 28 soluções lindas

Compartilhe...

2 comentários em “Como plantar e como cuidar da Costela de Adão

  1. Sylvia Dale disse:

    Tenho uma costela de Adão adulta subindo em um coqueiro. Posso retirar e plantar no chão? Ella sobrevive? Terei que cortar as raizes para tirar da árvore.

    • Lar, Doce Lar disse:

      Olá Sylvia, faz uma muda a partir dela, no texto acima ensinamos como fazer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *