Ingrediente da cerveja pode prevenir Alzheimer e Parkinson

Cientistas chineses descobriram um benefício, ainda não conhecido, trazido pelo lúpulo, um ingrediente contido na cerveja. Ele pode ajudar a prevenir algumas patologias neurodegenerativas, como as doenças de Alzheimer e o Mal de Parkinson, graças a um composto contido em sua fórmula, capaz de proteger as células do cérebro de eventuais danos causados por essas doenças.

De acordo com o estudo, publicado na revista científica Journal of Agricultural and Food Chemistry da Associação Americana de Química, o composto xanthohumol encontrado no lúpulo, planta que determina o aroma e o amargor da cerveja e que é um dos principais ingredientes utilizados na sua produção, proporciona as condições necessárias para atrasar ou prevenir o aparecimento do Alzheimer e do Mal de Parkinson.

Evidências crescentes apontam o “estresse oxidativo” (excesso de radicais livres em comparação com o sistema protetor intrínseco de cada célula) que afeta nossas células nervosas como um dos principais causadores do desenvolvimento desse tipo de doença, portanto, proteger essas células pode significar a prevenção ou, pelo menos, o atraso na progressão de algumas patologias.

Partindo da premissa de que o xanthohumol tem se destacado por ter capacidades antioxidantes, anticancerígenas e de proteção do sistema cardiovascular, a equipe da Universidade de Langzhou, na China, coordenada por Jianguo Fang, decidiu estudar os seus efeitos nas células cerebrais.

Em testes feitos com cobaias, os pesquisadores chineses constataram que este composto do lúpulo, presente na cerveja, realmente tem a capacidade de proteger os neurônios e, potencialmente, de atrasar o avanço das doenças neurodegenerativas. Os pesquisadores submeteram as células nervosas das cobaias um estresse oxidativo. Eles utilizaram as células neuronais pelo fato das mesmas não apresentarem quase nenhuma capacidade de regeneração.

O xanthohumol também tem chamado a atenção dos pesquisadores pela sua ação bioquímica específica que estende-se ao seu poder antioxidante, possuindo efeito cardio protetor e ação anti-inflamatória, que ajuda a combater o excesso de peso e que contém propriedades anticancerígenas. O efeito anticâncer foi analisado em função de um estudo anterior, publicado no Canadá, onde homens que consumiam cerveja apresentaram uma menor taxa de casos de câncer de próstata.

Entretanto, se você começou a ler esse texto imaginando que passar o dia bebendo cerveja seria a cura para todos os males 🙂 , a má noticia é que você teria que consumir cerca de 2 mil litros de cerveja por dia para ingerir as 10 miligramas de xanthohumol diários recomendados pela pesquisa para obter a concentração efetiva que acione a atividade antioxidante. 🙁

Os pesquisadores alertam que aumentar o consumo de cerveja não levaria a um efeito protetor, pois o aumento do consumo de álcool pode levar a uma maior degeneração das células nervosas e um maior número de casos de demência, porém, o isolamento desta substância, conforme explicam os cientistas, pode levar ao desenvolvimento de medicamentos que teriam um efeito protetor contra esses tipos de doenças.

Se você gostou desse assunto, provavelmente também vá gostar de ler sobre esses:
Vasos autoirrigáveis
Caminhar uma hora por dia combate os efeitos causados pelo sedentarismo
Toalheiro térmico vale a pena?
A importância da adubação de hortas e jardins
Como alegrar sua casa usando plantas na decoração
Por que o Desodora funciona?

Um comentário em “Ingrediente da cerveja pode prevenir Alzheimer e Parkinson

  1. Pinheiro disse:

    Realmente isso torna-se um conflito. O Xanthohumol é visto como a solução para proteger o nosso cérebro das doenças degenerativas, inclusive falam até que previne problemas na próstata, ótimo! Só que para isso devemos beber no mínimo uma grande quantidade de cerveja, e para tal já se sabe que o excesso de álcool também degenera os neurônios sem falar que uma grande porcentagem desse álcool também vai para o fígado. Em fim, você vai resolver uma coisa e acaba lesionando fatalmente outras partes do organismo. E aí? O que os médicos orientam? Todo mundo fala o que quer mas no final do dia a escolha acaba mesmo é sendo nossa de que escolhemos morrer primeiro. E isso é maravilhoso pois tira toda e qualquer responsabilidade médica já que é nossa a escolha de como queremos padecer. Que irônico e hilário é essa nossa medicina ocidental. Parabéns cada vez mais evoluindo pata o bem da humanidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *