O que significa design biofílico, dicas e 20 ideias para você se inspirar

Gostou dessa postagem? Compartilhe com seus amigos

Em uma descrição bem sucinta, design biofílico é uma tendência da arquitetura que visa criar ambientes que aproximem as pessoas da natureza em seu locais de trabalho ou nas suas moradias. Aplicando essa técnica, os profissionais da área de construção, através do uso de natureza direta ou da natureza indireta, criam melhores condições para a ocupação dos espaços urbanos.

Essa tendência veio para suprir uma necessidade natural do ser humano, baseada no fato que grande parte da população que mora em cidades passa 90% do seu tempo em ambientes fechados e, portanto, distante e sem contato direto com a natureza.

Biofilia significa amor à vida, ou, instinto de preservação e de conservação da natureza viva (animais e vegetais).

A primeira pessoa a tratar desse assunto e cunhar esse termo foi o psicanalista alemão Erich Fromm, quando descreveu a orientação psicológica de atração por tudo que é vivo e vital.

Posteriormente esse termo foi popularizado pelo entomologista e biólogo americano Edward Osborne Wilson, conhecido mundialmente por seu trabalho com ecologia, em um livro publicado pela Harvard University Press no ano de 1984.

Em seu livro, Edward Wilson descreve a biofilia como uma tendência natural de voltarmos a nossa atenção às coisas vivas.

Portando design biofílico, significa projetar ambientes construídos de uma forma que aumente a conexão das pessoas com a natureza, ou explicando de outra forma, uma nova maneira de aproveitar a afinidade com a natureza para criar ambientes onde as pessoas possam morar, trabalhar ou estudar com mais saúde física e mental, melhorando assim o seu desempenho e sua qualidade de vida.

Um prédio projetado utilizando o conceito de design biofílico tem a capacidade pode reduzir o estresse, aumentar a criatividade e a clareza de pensamento dos seus ocupantes, além de melhorar a sensação de bem estar e acelerar a cura de doenças.

Mas onde isso afeta nossa vida? Mesmo sem saber que existia um nome para essa necessidade, a maioria das pessoas sempre teve preferência por estar próxima da natureza não é mesmo? Isso é instintivo no ser humano, a natureza traz relaxamento e faz as pessoas se sentirem melhores e “mais vivas”.

Além disso, na medida que a maior parte da população mundial está morando em cidades, mais se faz necessário projetar instalações que a reaproximem da natureza.

Os jardins verticais instalados em prédios mais modernos são talvez uma das aplicações mais populares da utilização da técnica de aproximação com a natureza.

Pesquisadores e profissionais de design de interiores estudam há décadas quais são os aspectos da natureza que mais impactam na nossa satisfação com o ambiente construído.

O resultado desses estudos já vem sendo aplicado nos prédios mais modernos, projetados para atender da melhor forma esses aspectos. Listamos abaixo alguns dos itens mais importantes que são aplicados para atingir esse objetivo:

  • Oferecer acesso e vista para a natureza em locais onde isso seja possível, como parques, rios, matas, praias;
  • Em locais totalmente urbanizados, criar condições dentro do próprio empreendimento, como pátios arborizados ou paredes vivas;
  • Oferecer o máximo de ventilação possível e melhorar a qualidade do ar interna através de renovação constante, seja com janelas, portas que possam ficar abertas para áreas externas ou internas com natureza em abundância;
  • Projetar ambientes que aproveitem ao máximo a iluminação natural sem que fiquem iluminados em demasia;
  • Considerar todas as estações do ano para projetar janelas e portas que iluminem adequadamente e facilitem a circulação de ar sem tornar o ambiente desconfortável;
  • Diminuir ao máximo a incidência de barulhos que atrapalhem a concentração, seja através de materiais acústicos ou plantas;
  • Procurar afastar os equipamentos barulhentos das pessoas e cercá-los de fontes de água ou vegetação;
  • Criar espaços para relaxar e descansar;
  • Utilizar sempre que possível materiais naturais nas áreas visíveis;
  • Pesquisar as cores mais adequadas para cada ambiente de acordo com as atividades desenvolvidas nele.

Esse conceito técnico foi criado para orientar arquitetos, engenheiros e designers de interiores que se preocupam com o bem-estar dos ocupantes dos prédios que projetam, mas ele é de interesse maior para nós, leigos, que seremos os maiores beneficiados pela condição de habitar em construções mais aprazíveis e acolhedoras.

Achou essa ideia interessante? Então se você vai construir, se mudar ou reformar sua casa ou apartamento, experimente aplicar essa técnica. Listamos abaixo diversas ideias para que você possa se inspirar.

Observe também que nem sempre todos os itens que são considerados dentro da técnica estão presentes nas ideias abaixo, mas apenas os que são possíveis para cada situação ou ambiente.

Mesmo que você queira apenas mudar um dos ambientes de sua casa, pode aplicar essa técnica com baixo custo e bom gosto, apenas adicionando plantas a ele, sem nenhuma reforma. Aqui mesmo no blog “Lar, Doce Lar”, já publicamos diversos textos sobre a decoração utilizando plantas.

Se você gostou dessas dicas, provavelmente também vá gostar dessas:
Evite os 10 erros mais comuns na decoração da sala de estar
40 ideias de salas de estar acolhedoras e aconchegantes e dicas de como planejá-las
12 plantas que nos ajudam a dormir melhor
Conheça uma casa de tirar o fôlego, moderna e totalmente integrada à natureza
Como alegrar sua casa usando plantas na decoração
Decorando uma sala com plantas artificiais
Procurando inspirações para aproveitar o espaço embaixo da escada? Veja 12 ideias criativas
Como combinar as cores na decoração

Gostou dessa postagem? Compartilhe com seus amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *