Obesidade canina é um problema sério, saiba como resolver

Gostou? Compartilhe...

Tempo estimado para leitura: 6 minutos

Identifique se seu cão está acima do peso, saiba quais são os problemas decorrentes do sobrepeso canino e como resolvê-lo.

Assim como para os humanos, a alimentação desequilibrada faz mal para todos os animais, portanto para os cães não é diferente. Por isso, mesmo se você ache seu cãozinho fofinho um pouco acima do peso e não resista à tentação de alimentá-lo com guloseimas, ou com ração em abundância e sempre disponível, precisa estar ciente que a obesidade em um cão acarretará uma série de problemas para ele. Principalmente se essa má alimentação estiver aliada ao sedentarismo, situação muito comum aos cães criados em apartamentos.

A convivência diária com nossos pets algumas vezes dificulta nossa avaliação sobre seu peso, por vezes só nos damos conta da situação quando ela já está bem crítica, portanto, o ideal é procurar estar sempre atento ao peso do seu animalzinho, assim como nos preocupamos com o nosso próprio peso.


Se você tem dúvidas se o seu cão está no peso ideal, para ajudá-lo nessa avaliação, publicaremos a seguir uma escala preparada pela WSAVA Global Veterinary Community (Associação Veterinária Global de Pequenos Animais). Os veterinários inclusive seguem essa escala como um dos parâmetros na avaliação de animais doentes.

Batizada de Escore de Condição Corporal – ECC, essa escala da WSAVA define 9 níveis com critérios bem definidos para identificar, através da observação da estrutura corporal dos cães se eles estão no peso ideal, acima, ou abaixo dele. Por ela, você além de poder identificar se o seu cão está muito gordo, se ele está subnutrido e necessitando de uma alimentação complementar.

Escore de Condição Corporal – ECC
(Utilizada para identificar se um cão está no seu peso normal, gordo demais, ou magro demais)

Cães Muito Magros (abaixo de seu peso ideal)

# Nível 1: costelas, vértebras lombares, ossos pélvicos (dos quadris) e todas as outras proeminências ósseas evidentes e visíveis à distância. Sem nenhuma gordura corporal discernível e falta evidente de massa muscular.

# Nível 2: Costelas, vértebras lombares e ossos pélvicos (dos quadris) facilmente visíveis. Ausência de gordura corporal palpável (você não consegue pegar entre os dedos). Algumas proeminências ósseas podem ser visíveis à distância. Perda mínima de massa muscular.

# Nível 3: as costelas são visíveis e facilmente palpáveis, sem nenhuma camada de gordura sobre elas. Parte superior das vértebras lombares visíveis e proeminentes, assim como os ossos pélvicos (dos quadris). Linha da cintura evidente e com reentrância abdominal (o cão observado lateralmente tem a barriga bem acima das costelas).

Cães no seu peso ideal

# Nível 4: costelas pouco visíveis e facilmente palpáveis com uma camada fina de gordura. A cintura pode ser observada facilmente (O cão observado de cima tem uma reentrância abdominal aparente em relação às costelas).

# Nível 5: costelas palpáveis sem uma camada excessiva de gordura e pouco ou não visíveis. Linha da cintura é visível mas não muito acentuada, a reentrância abdominal é leve em relação às costelas. Abdome enxuto quando observado lateralmente.

Cães com sobrepeso (ou um pouco acima do seu peso ideal)

# Nível 6: costelas palpáveis mas não visíveis, com leve excesso de camada de gordura. A cintura ainda é discernível em relação às costelas quando vista de cima mas não é proeminente, reentrância abdominal pouco aparente.

Cães obesos

# Nível 7: costelas palpáveis com alguma dificuldade pelo excesso de camada de gordura. Cintura ausente ou quase imperceptível. Depósitos notáveis de gordura sobre as vértebras lombares e a base do rabo (calda).

# Nível 8: costelas não são palpáveis pelo excesso de camada de gordura, ou são palpáveis apenas com uma compressão significativa. Cintura ausente. Grandes depósitos de gordura sobre as vértebras lombares e a base do rabo (calda).

# Nível 9: Grandes depósitos de gordura sobre o tórax, a coluna vertebral e o rabo (calda). Cintura ausente. Depósitos de gordura no pescoço e nas patas. Distensão abdominal evidente (o abdome é mais largo e fica mais abaixo em relação às costelas.

É importante também levar em consideração nessa análise a raça do seu cachorro, algumas raças têm o corpo mais arredondado que outras e mesmo os cães SRD (sem raça definida) têm formatos de corpos diferentes, porém, conhecendo o histórico de seu melhor amigo, fica fácil identificar em qual nível ele se enquadra e se sua alimentação e volume de exercícios devem ser ou não motivo de preocupação.

Além disso, a obesidade em um cão não deve ser uma preocupação apenas em função da saúde dele, mas também porque cães obesos têm dificuldade em se movimentar e respirar, causando neles um desconforto que pode ser evitado e que, infelizmente, geralmente nós somos os próprios causadores.

Se o seu cão estiver subalimentado de acordo com o nível em que estiver enquadrado, essa é a situação mais fácil de resolver, o organismo dos cachorros tem a capacidade de se recuperar muito facilmente, basta que você solucione o problema com uma alimentação e nutrição mais adequados.

O problema realmente sério e que precisa de toda a sua atenção e dedicação para melhorar e prolongar a vida de seu cãozinho é a obesidade ou o sobrepeso. Existem várias formas de resolver isso, o ideal é a adoção de mais de uma delas, mudando os hábitos seus e de seu melhor amigo. Vamos a elas?

O que fazer se o seu cão estiver com excesso de peso?

A primeira medida a tomar se a situação for muito grave, é procurar o veterinário de seu pet para que ele estabeleça uma alimentação adequada e nutritiva, afinal, se ele está obeso é muito provável que esteja se alimentando inadequadamente ou com mais do que necessita.

Definida a alimentação adequada, programe os horários de alimentação de forma que se tornem rotinas e nunca deixe a comida disponível durante todo o dia. Os cães não têm a capacidade de perceber que saciaram sua fome e algumas raças comem enquanto houver comida disponível. Outro problema de deixar a comida disponível o dia inteiro é se você tiver mais de um cão, pois fica difícil de saber quem realmente comeu, e quanto comeu.

Combine com sua família ou outros moradores da casa que respeitem as regras definidas para a alimentação, pois de nada adianta você adequar a alimentação de seu cachorro e alguém agradá-lo com guloseimas. Certifique-se de que todos estão envolvidos em melhorar a saúde do fofinho obeso.

Muitas pessoas confundem alimentar um cão com dar amor e carinho, mas isso é um conceito totalmente equivocado, até porque o paladar dos cachorros é péssimo, eles comem qualquer coisa que damos simplesmente por comer, não conseguem distinguir entre uma guloseima e uma comida sem gosto. Seu forte é o faro. Existem muitas formas de demonstrar amor por um cachorro, como brincadeiras, carinho e atenção, comida não é uma delas. Aliás, você já observou que cães gordos parecem mais tristes?

Todos os cães precisam necessariamente de exercícios físicos, portanto, uma das opções para melhorar seu peso é aumentar o volume de exercícios praticados por ele, principalmente se ele não tiver acesso permanente a lugares abertos, onde possa correr e gastar sua energia acumulada e queimar calorias adquiridas com a sua alimentação. Programe exercícios semanais com eles, que serão benéficos para ambos. Se você observar que seu cão está sofrendo com o excesso de exercícios, aumente-os de forma gradual, não tente recuperar em uma semana um problema acumulado durante muito tempo.

Mantenha o veterinário de seu cão acompanhando a evolução do processo, pois a obesidade também pode ser causada por um problema de saúde ou uma disfunção hormonal.

Você poderá ficar com pena de seu cãozinho no início do processo, mas com o tempo perceberá que essa escolha foi maravilhosa para ele, seja forte e leve até o fim sua intenção de restituir saúde para ele.

Quanto à alimentação adequada, sugerimos também a leitura do texto “14 alimentos que jamais devem ser dados para cães“, pois algumas vezes por desconhecimento nosso estamos prejudicando nossos cães.


Se você gostou desse assunto, provavelmente também vá gostar de ler sobre esses:
Você prepara em casa a comida do seu Pet? Então leia essas dicas importantes
A casa e os animais de estimação
Testamos o mordedor para cães que se propõe a substituir a escova de dentes
Você pretende ter um animal de estimação?
Dicas importantes para quem precisa deixar seu cão sozinho em casa
Cachorros e Jardins Combinam?
Truques simples e caseiros para solucionar algumas situações com seus animais de estimação
É possível afirmar que um cão é mais ou menos inteligente em função da sua raça?

Gostou? Compartilhe...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *