Orquídeas, como cuidar?

As orquídeas são flores lindas e, por isso mesmo, muito utilizadas como presente, porém, têm a fama de serem flores frágeis, difíceis de cuidar e que depois da primeira floração é muito difícil fazê-las florir novamente. Os leitores assíduos do blog “Lar, Doce Lar” sabem que somos entusiastas de vasos autoirrigáveis, portanto uma pergunta recorrente que recebemos é: Os vasos autoirrigáveis funcionam para orquídeas? Essa pergunta é frequente justamente pela fama de frágil que essa planta tem, por trás dela parece que o leitor afirma: Se funciona para ela, deve funcionar para qualquer outra planta!

Na verdade a orquídea é uma planta muito fácil de cuidar. O fato das orquídeas recebidas como presente frequentemente morrerem é por falta de conhecimento sobre como cultivá-las de quem as recebe.

Para esclarecer nossos leitores sobre como cuidar adequadamente de suas orquídeas, decidimos pesquisar em vários sites, blogs, artigos, colunas, tanto de especialistas como de amantes de floricultura sobre suas experiências com o cultivo de orquídeas, com a intenção de escrever um texto mais aprofundado com dicas sobre esse assunto.

Nessa pesquisa encontramos um texto simplesmente primoroso, muito objetivo e que esclarece definitivamente como cuidar de orquídeas da forma adequada. Achamos tão elucidativo, que decidimos solicitar a autorização da autora para que o publicássemos na integra aqui no blog.

Se você está entre as pessoas que têm dúvidas sobre como cuidar de suas orquídeas e por isso está aqui, reproduzimos abaixo o texto original, que foi escrito pela Mônica Luz e publicado no blog “Dona de casa SIM“.

****

Orquídeas: é fácil, bem fácil cuidar delas!
Por: Mônica Luz

Lindas, exóticas e, acredite, bem fáceis de cuidar. Sim, as orquídeas são um curinga em casa. Ajudam a decorar, trazem vida a qualquer cantinho e não demandam muito do nosso tão escasso tempo.

Clara Kassuda, dona de casa de 72 anos, é colecionadora ejá chegou a ter 700 orquídeas quando morava em um sítio, no interior de São Paulo. E é ela quem, com conhecimento de causa, nos dá dicas preciosas para manter o seu vasinho (ou vasinhos) sempre pronto para abrigar belas flores.

Ambiente: coloque a orquídea, de preferência, em um local arejado e com incidência de Sol pela manhã, até 11 horas. “Para quem mora em apartamento, se houver varanda, é o melhor lugar”, afirma.

Rega: depende do local em que a planta fica disposta. Quanto mais Sol incidir sobre ela, de mais água vai precisar. Para saber se a orquídea deve ser molhada, a dica é colocar os dedos dentro vaso. Se estiver muito seco, é necessário regar. Senão, pode esperar mais dois ou três dias. “As orquídeas têm de ficar mais secas do que molhadas, uma espécie de seco úmido. Por isso, o certo é colocar água e deixar escorrer. Se houver prato sob o vaso, também não deve ficar com água”, explica Clara, que complementa: “as que têm raiz mais fina retêm menos líquido e, por isso, precisam ser regadas mais vezes”.

De qualquer forma, molhe apenas a raiz e as folhas (nunca a flor!)bem cedo ou no fim do dia, para não correr o risco de o Sol queimar a planta.

Vitamina: apenas quando a orquídea não está florida, coloque a cada 15 dias, bem cedo ou no início da noite,água com NPK na raiz e nas folhas. O produto reúne os três principais nutrientes de que sua planta precisa: o Nitrogênio (N), bom para o crescimento, o Fósforo (P), para o enraizamento, e o Potássio (K), que deixa a raiz mais forte e mais resistente às pragas, além de favorecer a florada.Facilmente encontrada em lojas de plantas e animais, esta “vitamina” pode ter diferentes proporções, como 10-10-10, 20-20-20 e 15-45-10, e deve ser diluída conforme a indicação da embalagem (uma colher de café para um litro de água, por exemplo). “Durante o inverno, pode-se reduzir a quantidade de vitamina e colocar na orquídea apenas uma vez por mês, já que a planta entra em ‘dormência’ e não assimila tão bem os nutrientes”, ressalta Clara.

Replante: a cada dois anos, é preciso fazer o replante da orquídea, porque, segundo Clara, o substrato fica ácido. Para isso, tire tudo o que está no vaso e lave-o bem em água corrente, com a ajuda de uma bucha. Lave também as raízes da orquídea em água corrente, eliminando as que estiverem secas ou murchas. “Depois disso, eu sempre deixo as raízes submersas em água com NPK por meio período, pelo menos.Então, eu replanto.”

Para o replantio, coloque pedriscos de construção no fundo do vaso (não devem ser pedrinhas de argila) e, por cima, a planta e o substrato, que nada mais é do que uma mistura com 40% de carvão triturado (o de churrasco mesmo, só que sem ter sido usado) e 60% de cascas de pinus. “Ponho o substrato sem forçar, só para segurar a planta. Então, apenas borrifo a vitamina diluída, sem atingir a flor, e pronto”.

Se você comprou ou ganhou um vaso de orquídea e não sabe desde quando a flor está lá, Clara explica que um dos sinais de que está na hora de substitui-lo é quando as raízes começam a ultrapassar os limites dele. Neste caso, na hora do replantio, opte por um vaso com diâmetro dois dedos maior.

Por fim, Clara aconselha a não fazer o replantio no inverno, quando a planta está em dormência. Espere, pelo menos, até agosto. Mas, se você só puder fazer o replantio em julho, por exemplo, também não tem problema. A única diferença é que vai demorar um pouquinho mais para surgirem brotos e novas raízes.

****

O que achou? Texto claro e elucidativo, não é mesmo? Quanto à dúvida de nossos leitores se os vasos autoirrigáveis são adequados para orquídeas, observe a foto abaixo e tire suas próprias conclusões.

 

Se você gostou desse assunto, certamente vai gostar dessas outras postagens:
Aspidistra, uma planta fácil de cuidar e que se adapta facilmente em ambientes com pouca luz
5 plantas para cultivar dentro de casa
10 motivos para usar vasos autoirrigáveis
A importância da adubação de hortas e jardins
Como alegrar sua casa usando plantas na decoração
Bokashi, o adubo orgânico japonês que está fazendo sucesso no Brasil

Um comentário em “Orquídeas, como cuidar?

  1. Eliane Carpenter Fraga Lourenço disse:

    Achei ótima essa orientação sobre como cuidar das orquídeas. Eu de fato não fazia o correto. Tenho algumas em casa (outras morreram…) e espero que, com suas dicas, essas durem muito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *