Benefícios do gengibre

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 8 minutos

gengibre

A ciência já comprovou diversos benefícios do gengibre para nossa saúde. Isso mesmo, além de deliciosa, a raiz de gengibre é muito saudável.

Além de adicionar um sabor perfumado e refrescante aos alimentos doces e salgados, a propriedade agradavelmente picante da raiz de gengibre também proporciona que ela seja usada em chás, drinks, cervejas e muitas outras bebidas.

Mas, além de seu sabor característico, o gengibre também oferece uma série de benefícios à saúde que você pode desfrutar de várias formas.

O gengibre é uma planta com flores com origem no sudeste da Ásia, sua raiz está entre as especiarias mais saudáveis ​​e deliciosas da culinária mundial.

Ele pertence à família Zingiberaceae e está intimamente relacionado com outras especiarias, como por exemplo, o açafrão e o cardamomo.

O rizoma, que é a parte subterrânea do caule, é a parte mais usada como especiaria. Na culinária esse rizoma é chamado de raiz de gengibre ou, simplesmente, gengibre.

O gengibre pode ser usado fresco, seco, em pó ou como óleo. Além de ser um ingrediente muito comum em receitas de comidas, é adicionado em alimentos processados ​​e cosméticos.

Conheça 11 benefícios do gengibre para a saúde comprovados pela ciência

Assim como na culinária, o gengibre tem uma longa história de uso em várias formas de medicina tradicional e alternativa. Assim, ele tem sido usado para ajudar na digestão, reduzir a náusea e ajudar a combater a gripe e o resfriado comum, entre outros propósitos.

1. O gengibre contém gingerol, que possui poderosas propriedades medicinais

O aroma e o sabor únicos do gengibre vêm de seus óleos naturais, sendo o mais importante deles, o gingerol.

O gingerol é o principal composto bioativo do gengibre, ele é responsável por grande parte das propriedades medicinais do gengibre.

De acordo com uma pesquisa, o gingerol tem poderosos efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes. Por exemplo, ajuda a reduzir o estresse oxidativo, que é o resultado de uma quantidade excessiva de radicais livres existentes no corpo.

2. Gengibre auxilia na perda de peso

De acordo com estudos realizados tanto em humanos como em animais, entre os benefícios oferecidos pelo gengibre também está o de auxiliar na perda de peso.

Por exemplo, uma revisão em publicações científicas concluiu que a suplementação de gengibre reduziu significativamente o peso corporal, a proporção cintura-quadril e a proporção do quadril em pessoas com sobrepeso ou obesidade.

Assim como, um estudo feito com 80 mulheres obesas descobriu que o gengibre também pode ajudar a reduzir o índice de massa corporal (IMC) e os níveis de insulina no sangue. As participantes desse estudo receberam doses diárias relativamente altas – 2 gramas – de gengibre em pó por 12 semanas.

Segundo a ciência, níveis elevados de insulina no sangue estão associados à obesidade.

Além disso, uma revisão de estudos sobre alimentos funcionais também concluiu que o gengibre teve um efeito muito positivo na obesidade e na perda de peso. No entanto, estudos adicionais são necessários para uma conclusão mais precisa.

Mas, as evidências mais fortes do papel do gengibre na prevenção da obesidade foram comprovadas com mais precisão em estudos feitos com animais.

Ratos e camundongos que consumiram água de gengibre ou extrato de gengibre tiveram consistentemente diminuições em seu peso corporal. Além disso, o mesmo resultado foi obtido em casos em que também foram alimentados com dietas ricas em gordura.

A capacidade do gengibre de influenciar a perda de peso pode estar relacionada a certos mecanismos, como seu potencial para ajudar a aumentar o número de calorias queimadas ou reduzir a inflamação.

gengibre em raiz e moído

3. Gengibre diminui os níveis de colesterol

Os alimentos que consumimos têm uma forte influência nos níveis de LDL, o chamado colesterol ruim. Níveis elevados de colesterol LDL aumentam os riscos de doenças cardíacas.

Em um estudo feito com 60 pessoas com hiperlipidemia, onde metade recebeu 5 gramas de pó de gengibre por dia e a outra metade placebo, as 30 pessoas que receberam o gengibre tiveram redução de seus níveis de colesterol LDL em 17,4% em um período de 3 meses.

No entanto, embora essa queda no LDL seja impressionante, é importante considerar que os participantes do estudo receberam doses muito altas de gengibre.

Além disso, muitas pessoas citaram um gosto ruim na boca como motivo para desistir de um estudo onde receberam doses de 500 mg a 1 grama de gengibre.

As doses tomadas durante o estudo de hiperlipidemia são 5 a 10 vezes maiores. Portanto, é provável que a maioria das pessoas tenha dificuldade em tomar uma dose de 5 gramas por tempo suficiente para ver os resultados.

Em outro estudo, as pessoas que receberam 3 gramas de gengibre em pó (em forma de cápsula) todos os dias também tiveram reduções significativas na maioria dos marcadores de colesterol. Seus níveis de colesterol LDL caíram 10% em 45 dias.

Essas descobertas são apoiadas por um estudo em ratos com hipotireoidismo ou diabetes. Isso porque, nessas cobaias, o extrato de gengibre reduziu o colesterol LDL de forma semelhante à atorvastatina, medicamento para baixar o colesterol.

Em todos os estudos houve também quedas no colesterol total. Além disso, tanto as cobaias como os participantes dos estudos tiveram reduções em seus triglicerídeos no sangue, outro dos benefícios do gengibre.

4. Gengibre reduz náuseas, como enjoos matinais

O gengibre é muito eficaz contra a náusea. Por exemplo, ele ajuda a aliviar náuseas e vômitos em pessoas submetidas a alguns tipos de cirurgia. O gengibre aparentemente também ajuda na náusea relacionada à quimioterapia, mas são necessários estudos humanos maiores.

No entanto, ele é comprovadamente eficaz quando se trata de náuseas relacionadas à gravidez, como enjoos matinais.

De acordo com uma revisão feita com 12 estudos que incluíram um total de 1.278 mulheres grávidas, a ingestão de 1,1 a 1,5 gramas de gengibre podem reduzir significativamente os sintomas de náusea. No entanto, essa revisão concluiu que o gengibre não teve efeito nos episódios de vômito.

Embora o gengibre seja considerado seguro, se você estiver grávida, então converse com seu médico antes de ingerir grandes quantidades.

Recomenda-se que as mulheres grávidas que estão perto do trabalho de parto ou que sofreram abortos evitem o gengibre. O gengibre também é contraindicado com histórico de sangramento vaginal e distúrbios de coagulação.

5. Gengibre ajuda a combater a artrose

A artrose (osteoartrite) é um problema de saúde comum. Ela envolve a degeneração das articulações do corpo, levando a sintomas como dor e rigidez.

Uma revisão em publicações científicas descobriu que as pessoas que usaram gengibre para tratar sua artrose tiveram reduções significativas na dor e na falta de mobilidade.

Nesses estudos, apenas efeitos colaterais leves, como insatisfação com o sabor do gengibre, foram observados. No entanto, o sabor do gengibre, juntamente com a dor de estômago, levou quase 22% dos participantes do estudo a desistir.

Os participantes do estudo receberam entre 500 miligramas (mg) e 1 grama de gengibre por dia durante 3 a 12 semanas. A maioria deles havia sido diagnosticada com artrose nos joelho.

Outro estudo descobriu que uma combinação de gengibre tópico, mástique, canela e óleo de gergelim pode ajudar a reduzir a dor e a rigidez em pessoas com artrose.

6. Gengibre ajuda a combater o diabetes

O gengibre pode reduzir drasticamente o açúcar no sangue e melhorar os fatores de risco de doenças cardíacas. Essa é uma área de pesquisa é relativamente nova, mas o gengibre pode ter poderosas propriedades antidiabéticas.

Em um estudo realizado com 41 participantes com diabetes tipo 2, 2 gramas de gengibre em pó por dia reduziram o açúcar no sangue em jejum em 12%.

O gengibre também melhorou drasticamente a hemoglobina A1c (HbA1c), um marcador para os níveis de açúcar no sangue a longo prazo. O ministração de gengibre reduziu a HbA1c em 10% depois de um período de 12 semanas de tratamento.

Houve também redução de 28% na relação Apolipoproteína B/Apolipoproteína AI e redução de 23% no malondialdeído, que é um subproduto do estresse oxidativo. Uma alta razão ApoB/ApoA-I e altos níveis de MDA são os principais fatores de risco de doenças cardíacas.

chá de gengibre

7. Gengibre auxilia na prevenção do câncer

Há estudos realizados com gengibre como um remédio alternativo para várias formas de câncer. As propriedades anticancerígenas são atribuídas ao gingerol – que já citamos -, encontrado em grandes quantidades no gengibre cru.

Em um estudo de 28 dias feito com pessoas com risco normal de câncer colorretal , 2 gramas de extrato de gengibre por dia reduziram significativamente as moléculas de sinalização pró-inflamatórias no cólon. Entretanto, um outro estudo de acompanhamento em pessoas com alto risco de câncer colorretal não produziu os mesmos resultados.

Há algumas evidências, embora limitadas, de que o gengibre pode ser eficaz contra outros cânceres gastrointestinais, como câncer de pâncreas e câncer de fígado. Além disso, ele também pode ser eficaz contra câncer de mama e câncer de ovário também. Mas são necessárias pesquisas mais amplas.

8. Gengibre ajuda a tratar a indigestão crônica

A indigestão crônica é caracterizada por dor e desconforto recorrentes no estômago. Acredita-se que o esvaziamento tardio do estômago seja um dos principais fatores de indigestão. Ficou provado que o gengibre acelera o esvaziamento do estômago.

Pessoas com dispepsia funcional, que é indigestão sem causa conhecida, receberam cápsulas de gengibre ou placebo em um pequeno estudo. Então, uma hora depois, todas receberam sopa.

Assim, demorou 12,3 minutos para o estômago esvaziar nas pessoas que receberam gengibre, enquanto demorou 16,1 minutos nas que receberam o placebo.

Esses efeitos também foram observados em pessoas sem indigestão. Em um estudo realizado por alguns membros da mesma equipe de pesquisa, 24 pessoas saudáveis ​​receberam cápsulas de gengibre ou placebo. Da mesma forma, todas elas receberam sopa uma hora depois.

Consumir gengibre em oposição a um placebo acelerou significativamente o esvaziamento do estômago. Ou seja, demorou 13,1 minutos para as pessoas que receberam gengibre e 26,7 minutos para as pessoas que receberam o placebo.

9. Gengibre ajuda a reduzir significativamente a dor menstrual

A dismenorreia, uma dor pélvica sentida durante o ciclo menstrual, é reduzida pelo gengibre. Essa conclusão vem ao encontro do uso tradicional do gengibre para o alívio da dor menstrual.

Em um estudo, 150 mulheres foram instruídas a tomar gengibre ou um medicamento anti-inflamatório não esteroide nos primeiros 3 dias do período menstrual. Os pesquisadores dividiram as mulheres em três grupos.

Os três grupos receberam quatro doses diárias diferentes, um de gengibre em pó (250 mg), outro de ácido mefenâmico (250 mg) e o último de ibuprofeno (400 mg). O gengibre conseguiu reduzir a dor de forma tão eficaz quanto os dois.

Estudos mais recentes também concluíram que o gengibre é mais eficaz que um placebo e tão eficaz quanto medicamentos como ácido mefenâmico e acetaminofeno/cafeína/ibuprofeno.

Embora essas descobertas sejam promissoras, ainda são necessários estudos de maior qualidade com um número maior de participantes.

10. Gengibre melhora a função cerebral e protege contra a doença de Alzheimer

O estresse oxidativo e a inflamação crônica podem acelerar o processo de envelhecimento. Acredita-se que eles estejam entre os principais fatores da doença de Alzheimer e do declínio cognitivo relacionado à idade.

Alguns estudos realizados com animais sugerem que os antioxidantes e compostos bioativos do gengibre podem inibir as respostas inflamatórias que ocorrem no cérebro.

Há também algumas evidências de que o gengibre pode ajudar a melhorar a função cerebral diretamente. Isso porque, em um estudo de feito com mulheres saudáveis ​​de meia-idade, doses diárias de extrato de gengibre mostraram melhorar o tempo de reação e a memória de trabalho.

Além disso, outros estudos em animais mostram que o gengibre ajuda a proteger contra o declínio da função cerebral relacionado à idade.

gengibre em pó

11. Gengibre ajuda a combater infecções

O gingerol também pode ajudar a diminuir o risco de infecções. Isso porque o extrato de gengibre provou inibir o crescimento de muitos tipos diferentes de bactérias.

De acordo com um estudo, o gengibre é muito eficaz contra as bactérias orais que causam a gengivite e periodontite, doenças inflamatórias da gengiva.

O gengibre fresco também pode ser eficaz contra o vírus sincicial respiratório (VSR), uma causa comum de infecções respiratórias.

Conclusão

O gengibre é repleto de nutrientes e compostos bioativos que trazem benefícios poderosos para o nosso corpo e para o cérebro. Algumas pesquisas indicam que o gengibre pode melhorar a saúde digestiva, assim como reduzir a inflamação e aliviar a dor, entre outros benefícios.

Portanto, o gengibre é um dos poucos superalimentos realmente dignos desse termo.

No entanto, os estudos geralmente testam dosagens muito altas de extratos. Uma pessoa pode não experimentar efeitos positivos para a saúde simplesmente adicionando mais gengibre à sua dieta.

Além disso, os estudos que investigam os benefícios para a saúde do gengibre geralmente são pequenos ou inconclusivos. Compreender completamente os efeitos e a segurança dos suplementos de gengibre exigirá mais pesquisas.


Leia também:
5 motivos para tomar água de gengibre diariamente
Benefícios da pitaya
Descubra 10 efeitos do ciclo circadiano sobre a saúde
Qual a melhor dieta para perder peso a longo prazo?

Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *