Tudo sobre Kalanchoe, como plantar e como cuidar da Flor da Fortuna

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 7 minutos

De origem africana, a Kalanchoe pertence à família dos cactos (crassuláceas) e é uma planta com folhas suculentas, por isso é muito resistente ao calor e aos climas secos, necessitando de pouca água.

Além das lindas folhas suculentas, o que caracteriza a Kalanchoe é sua beleza rústica e suas flores pequenas e delicadas em formato de buquê.

As cores mais populares das flores de Kalanchoe são vermelha, laranja, amarela, rosa, lilás e branca, mas é possível encontrá-la em outras tonalidades.


Muito popular no Brasil, a Kalanchoe abrange várias espécies, inclusive com características bem diferentes entre si. Essas espécies também são conhecidas por outros nomes, como: Flor-da-fortuna, Kalandiva, Calanchoê, Mãe de Milhares, Calancoê, Calandiva, Flor-do-papai, Saião, Erva-da-costa, Coerana e Eoirama-branca.

Nesse texto vamos procurar esclarecer tudo para que você possa cultivar essa planta linda e muito resistente tanto em ambientes internos, como em ambientes externos da sua casa.

Uma curiosidade interessante é que quando a Kalanchoe blossfeldiana (Flor-da-fortuna) – a mais popular aqui no Brasil – é oferecida como presente, isso significa que a pessoa que está presenteando deseja prosperidade, fortuna e felicidade ao presenteado.

Conforme explicamos acima, o gênero Kalanchoe contém um número enorme de variedades, abaixo vamos listar apenas algumas dessas variedades para você perceber as diferenças entre elas.

Tipos de Kalanchoe mais populares

# Kalanchoe Blossfeldiana (Flor-da-fortuna): uma das mais preferidas na decoração de interiores e pelos jardineiros amadores pelo formato das suas flores. O seu período de floração vai do início do inverno até o final da primavera. Suas flores podem ser vermelhas, rosas, laranjas, brancas, amarelas, entre outras cores. Atinge até 30 centímetros de altura em vasos e até 60 centímetros se plantada diretamente no solo.

Kalanchoe Blossfeldiana

# Kalanchoe Daigremontiana (Degremona ou Mãe de Milhares): é uma das mais populares no Brasil. A principal característica desta espécie é sua alta capacidade de propagação através dos brotos que caem das folhas. Quando eles entram em contato com solo fértil nascem e se desenvolvem facilmente. A Mãe de Milhares é venenosa quando ingerida, podendo ser fatal para crianças e animais domésticos, por isso seu cultivo exige muito cuidado. Em vasos chega em até 50 centímetros de altura, plantada diretamente no solo, pode atingir até 2 metros.

Kalanchoe Daigremontiana

# Kalanchoe Pinnata (Pinado ou Folha da Fortuna): Essa variedade tem propriedades medicinais. Sua reprodução pode ser feita através de estaqueamento enraizando na areia ou pela formação de brotos nas folhas quando estas tocarem o solo. Pote atingir até 1 metro de altura.

Kalanchoe Pinnata

Kalanchoe Fedtschenkoi (Marginata ou Fantasma): nessa espécie as folhas têm as margens rendadas e sua cor é acinzentada. As suas flores são laranjas e pendentes (apontam para baixo). Sua floração ocorre no inverno. As variegatas têm as bordas branco rosada e é muito utilizada em projetos de paisagismo. Multiplica-se através de estaqueamento com as raízes ou os brotos que crescem nas suas folhas.

Kalanchoe Fedtschenkoi

# Kalanchoe Laetivirens (Mãe de Milhares): De muito fácil cultivo e multiplicação através das mudas que nascem nas bordas das folhas e caem no solo. Essa espécie se desenvolve bem tanto no sol pleno como em meia sombra.

Kalanchoe Laetivirens

# Kalanchoe Gastonis-bonnieri (Orelha de burro): recebeu esse nome popular em função do formato das suas folhas lembrarem orelhas de burro. É muito usada em paisagismo em função das suas folhas conterem manchas marrons ou vermelhas e ainda serem verdes prateadas e, portanto, se destacarem das outras plantas. Sua floração é no inverno e suas flores são amarelas ou brancas. Elas são formadas por pares de lados opostos, numa similaridade quase perfeita. Podem atingir até 50 centímetros de altura. Sua propagação se dá através das mudas com raízes que se formam na ponta das folhas adultas que tocam o solo.

Kalanchoe Gastonis-bonnieri

# Kalanchoe Manginii (Mangina): essa espécie é perene e ótima tanto para jardins como para vasos mesmo sem flores. Apresenta várias ramificações e suas folhas são arredondadas podem ser verde claras ou roxas. As suas flores são vermelhas alaranjadas, têm formato de sino e são pendentes. Sua floração ocorre no final do inverno e é uma planta perfeita para decorar pendurada.

Kalanchoe Manginii

# Kalanchoe Orgyalis (Colher de cobre): essa variedade tem folhas com uma coloração que lembra cobre, formando um arbusto diferente e bonito. Seu crescimento é lento, mas pode atingir até 3 metros de altura plantada diretamente no solo. Sus propagação é feita por estaqueamento ou através dos brotos que nascem nas suas folhas. Exige sol a pleno para suas folhas ficarem acobreadas, se plantadas à meia sombra suas folhas ficam mais esverdeadas.

Kalanchoe Orgyalis

# Kalanchoe Hilderbrandt (Colher de prata): é chamada de colher de prata em função de suas folhas serem muito semelhantes ao formato dos talheres e suas cores serem acinzentadas. Pode atingir até 40 centímetros e sua floração acontece durante os meses de inverno. Suas flores são pequenas e laranjas.

Kalanchoe Hilderbrandt

Kalanchoe Thyrsiflora (Orelha de Elefante): Essa variedade tem folhas grandes e em formato de orelhas de elefante. A meia sombra suas folhas são verde-azulado e no sol pleno são vermelho-rosado. Pode atingir até 60 centímetros de altura, formando touceiras lindas e com poucas ramificações. Na primavera ela forma uma inflorescência alongada e paniculada com flores amarelas. Após o floração, surgem rosetas com raízes que podem ser replantadas.

Kalanchoe Thyrsiflora

As muitas outras espécies de Kalanchoe possuem variações de uma ou de outra que apresentamos acima, portanto, se você é uma pessoa entusiasta dessa planta e pretende diversificá-la, montando uma coleção em sua casa, tenha a certeza que terá muito trabalho pela frente.

Como já comentamos acima, a Kalanchoe mais popular no Brasil é a Flor-da-fortuna (Blossfeldiana), que tem uma forma diferente da maioria das variedades – onde a beleza está mais localizada nas folhas -, nela a beleza está nas flores, em suas cores, formatos e tamanhos variados.

As flores da Flor da Fortuna têm um formato semelhante a uma rosa, porém bem menor, com suas pétalas formando círculos e sem o miolo aparente.

Se a forma de plantar e o cuidado necessário da maioria das variedades é semelhante ao plantio e aos cuidados das suculentas (por serem da mesma família), a da Kalanchoe Blossfeldiana é um pouquinho diferente, em função de sua forma, portanto vamos descrever separadamente como fazer para cultivá-la.

Como plantar e como cuidar da Flor-da-fortuna

A Kalanchoe Blossfeldiana pode ser plantada em ambientes fechados ou abertos, em vasos ou diretamente no solo, resiste ao frio e ao sol forte, portanto, é de multo fácil cultivo. Mesmo no inverno, quando a maioria das plantas não florescem, ela continua florescendo.

Suas flores abundantes e coloridas têm a capacidade de decorar os mais diversos ambientes, a sala, varanda, cozinha, quartos e banheiros, porém ela se sai melhor em ambientes mais iluminados. Por isso, se você for colocar os vasos em ambientes que não recebem luz solar direta, faça um rodízio entre elas, colocando-as seguidamente para tomar sol, caso contrário elas não irão florir.

Ela pode ser plantada em vasos pequenos, vasos grandes, jardineiras, ou diretamente no solo, individualmente ou com outras plantas, formando maciços coloridos.

Se ela for plantada em vaso, utilize um substrato rico em matéria orgânica, poroso e com uma excelente drenagem. Se você for fazer a mistura, a ideal é uma parte de terra comum, uma parte de terra vegetal (ou substrato) e duas partes de areia.

Mesmo quando não está com flores, a Flor da Fortuna ainda mantém sua capacidade de decorar pelas suas folhas suculentas, mas, conforme explicamos acima, essa não é a característica forte desta variedade. Se mantida sem luz solar direta, suas folhas ficarão verdes, se ficar exposta à luz do sol suas folhas adquirirão uma tonalidade avermelhada.

A Flor-da-fortuna necessita de solo fico e fértil e pouca rega. O excesso de água favorece a proliferação de fungos e apodrece a planta, porém, a falta de água deixa a planta amarelada e desnutrida, perdendo rapidamente suas flores e até as folhas.

Sempre que as flores completarem o seu ciclo e secarem, é preciso podar o galho que continha as flores para preparar a planta para a nova floração. Além disso, é interessante fazer uma nova adubação para as novas flores crescerem fortes e durarem por mais tempo.

É importante também, se possível, saber a origem das novas mudas que você pretende plantar. Algumas variedades disponíveis para venda podem ter recebido algum tipo de tratamento para cultivo intenso, que após algum tempo depois de compradas acabam definhando pela falta de fertilizantes específicos.

De um modo geral, todas as variedades de Kalanchoe devem ser tratadas da mesma forma que tratamos as suculentas e, ao primeiro sinal de que a planta não está se desenvolvendo como deveria, analisar, através dos sintomas, o que pode estar causando isso.


Gostou destas dicas? Então certamente você também vai gostar de ler esses outros textos que publicamos:
Como plantar e cultivar a Rosa do Deserto
12 erros que devem ser evitados ao montar um jardim
Como plantar e como cuidar da Costela de Adão
Pingo-de-ouro, dicas de como plantar, cuidar e podar
Saiba quais são os aromas que atraem boa energias
Como cuidar de suculentas
Saiba como perfumar os ambientes da sua casa
Plantas para manter o jardim florido no inverno

Compartilhe...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *