Dicas essenciais para adotar o veganismo com sucesso

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 11 minutos

como adotar o veganismo com sucesso

Como adotar o veganismo com sucesso? Mudar radicalmente de estilo de vida é algo difícil. Então, quando isso envolve a alimentação é ainda mais difícil.

Se você está tentando adotar o veganismo e está passando por dificuldades para atingir seu objetivo, saiba que você não é a exceção, a grande maioria das pessoas que passou a ser vegana enfrentou alguma dificuldade inicialmente.

Talvez não seja exagero presumir que as únicas pessoas que não enfrentaram dificuldades na adaptação à essa nova dieta alimentar tenham sido as que cresceram em um lar que já a havia adotado.

Como surgiu o termo vegano?

Inicialmente precisamos fazer uma ressalva sobre esse assunto. O termo veganismo hoje é muito utilizado pelas classes de poder aquisitivo mais elevado, que glamourizaram esse estilo de vida, fazendo transparecer para as pessoas de menor poder aquisitivo que precisa ter muito dinheiro para adotar essa prática em sua vida.

Isso não é verdade. O veganismo não é um “modismo” como muitas pessoas imaginam, é uma filosofia de vida muito anterior aos tempos atuais e nasceu justamente a partir de pessoas que não eram de poder aquisitivo elevado.

O termo “vegano” nasceu no ano 1944 e foi criado por pessoas que já eram vegetarianas, e que se separaram da Vegetarian Society (Sociedade Vegetariana), de Londres, na Inglaterra, após tentarem, sem sucesso, incluir o veganismo como uma ramificação do vegetarianismo.

Segundo a pesquisadora Samantha Calvert, coordenadora de comunicação e relações públicas da instituição The Vegan Society (A Sociedade Vegana), Elsie Shrigley, juntamente com Donald Watson, articulou uma coalizão com outros vegetarianos que, assim como eles,  não concordavam com o consumo de laticínios, mel e outros alimentos e produtos de origem animal, indo muito além de apenas não consumir carnes, que era a realidade dos vegetarianos britânicos que frequentavam a Vegetarian Society. Elsie Shrigley era formada em educação física e professora de música, Donald Watson era um carpinteiro.

Liderando um pequeno grupo, os dois formaram então, também em Londres, a Sociedade Vegana que citamos acima. Passaram a promover a adoção de uma nova dieta na qual não estavam inclusos laticínios, ovos ou quaisquer outros produtos de origem animal, não ficando restritos à remoção da carne como os adeptos do vegetarianismo.

Porque as pessoas escolhem ser veganas?

Ter claro para si o porquê de estar se tornando vegana é o passo mais importante que uma pessoa dará na mudança para um estilo de vida baseado em não consumir nenhum alimento de origem animal ou do seu sacrifício. Entender sua motivação lhe ajudará a compreender se essa mudança será temporária ou duradoura – assim como rever suas escolhas em momentos de dúvida ou indecisão.

Existem várias razões para uma pessoa se tornar vegana e você não precisa escolher apenas uma delas nem todas elas, mas sim descobrir quais são as suas. Se você está em busca de convicção da sua escolha, pesquise muito e pergunte às pessoas veganas que você conhece por que elas fizeram essa mudança e não desistiram.

Provavelmente, entre muitas respostas, algumas pessoas responderão que é pela causa animal, como resposta ao sofrimento decorrente da exploração animal para a alimentação e por outras indústrias. Estas pessoas acreditam que é um tanto hipócrita amar um animal de estimação e, ao mesmo tempo, consumir a carne de outros animais ou sacrificá-los.

Como adotar o veganismo com sucesso?
Como criar um hábito?

Existe uma conexão mental para se tornar vegano, que, uma vez formada, é permanente. A psicóloga Melanie Joy, PhD, criadora do termo “carnismo”, discute isso em seu livro “ Why We Love Dogs, Eat Pigs, and Wear Cows” (“Por que amamos cães, comemos porcos e vestimos vacas”, em tradução livre).

Algumas pessoas começam decidindo o dia inicial e depois anunciam a todos os seus amigos e familiares: “A partir de tal dia vou me tornar vegana”. Será que isso é realmente importante para você e deve fazer parte do processo de escolha?

Talvez ao fazer isso você possa provocar incômodos desnecessários. Em primeiro lugar, com esse comunicado você pode fazer com que as outras pessoas se sintam à vontade para dar suas opiniões sobre o que pensam por você se tornar vegana. Você precisa disso? E se você ainda está em um estágio inicial de autoconvencimento, isso pode levá-la à confusão e dúvidas, acrescentando uma pressão que você não precisa.

Além disso, se você está planejando fazer a mudança em uma data futura, mesmo que seja amanhã, então talvez não tenha pensado o suficiente sobre por que está se tornando vegana. Para muitos veganos, uma vez que você realmente entende o porquê de sua decisão, a adoção é imediata e não há como voltar atrás.

Acreditamos que você deva fazer isso no seu próprio tempo, seja de imediato por decisão consolidada ou de forma gradual, faça o que for melhor para você, sem anúncios, culpas e justificativas.

Quando você é novata em um assunto ou está fazendo a transição, pode ser interessante evitar discutir esse assunto com outras pessoas. Basta começar fazer escolhas diferentes, é melhor você se acostumar com isso antes de ter que defender suas escolhas, não acha?

Como posso fazer para virar vegano?

Enfim, como adotar o veganismo com sucesso? Essa pergunta é muito comum entre os novos veganos.

Se você chegou até aqui em nosso texto provavelmente não está indo atrás de modismos, mas sim de uma alimentação sustentável, de qualidade e saudável. Lembrando que, apesar de nesse texto termos focado até aqui na alimentação por considerarmos uma etapa de adaptação difícil, o veganismo vai muito além da mudança alimentar.

Se está informada sobre como o veganismo surgiu e ainda está convicta, podemos presumir que se você tomou a decisão de adotá-lo como filosofia de vida não é porque esteja interessada na glamourização dessa filosofia pela alta sociedade ou famosos, para quem parece que para ser vegano precisa gastar muito dinheiro. Faça uma reflexão sobre isso. Quais são os produtos mais caros que você consome hoje? Provavelmente sua resposta seja: as carnes.

Farinha, feijão, arroz, legumes, verduras e frutas, por exemplo, estão entre os produtos mais baratos que consumimos e todos eles são alimentos veganos. Portanto, comece por ai, esqueça a ideia de que as pessoas que não estejam dispostas a gastar muito dinheiro, ou que não possam, não podem ser veganas. Consultar um nutricionista especialista em alimentação vegana certamente será essencial para lhe orientar nestes primeiros passos.

Vamos avançar então com algumas dicas para que você possa começar e ajudá-la a se preparar para o que está por vir? A transição de hábitos alimentares pode ser uma estrada acidentada, o que por si só já pode ser uma experiência desafiadora.

O que eu devo comer ao me tornar vegano?

Algumas pessoas acreditam que seguir um estilo de vida baseado somente em vegetais significa que a dieta é restritiva, quando na verdade o oposto é que é verdadeiro.

O pensamento é o seguinte: de modo geral, a refeição mais básica em uma dieta ocidental é um prato de carne, batatas e vegetais. A carne é o ingrediente principal e os outros alimentos são os seus acompanhamentos. Para muitas pessoas, esse é o ponto de partida em suas mentes.

Seguir em frente e pensar no veganismo significa retirar a carne, o alimento “principal” do prato. Isso, compreensivelmente, promove confusão e ansiedade. Como você vai se alimentar somente de vegetais agora?

Lembre-se que você se alimentou da mesma forma durante toda a sua vida, agora é a hora de ampliar seus horizontes. Existem muitas outras opções de alimentos no mundo, muitas culturas, cozinhas e costumes diferentes. A carne não é o centro de tudo.

Você pode introduzir o veganismo na sua vida de forma gradual ou radical, quem precisa definir qual a melhor forma é você mesma. Existem várias alternativas para fazer isso acontecer, vamos conhecer algumas?

Por onde começar?

Uma boa medida inicial é “veganizar” suas refeições favoritas. Hoje em dia é tão fácil encontrar produtos veganos substitutos de carne – você pode encontrar de tudo, desde bifes, sanduíches de ‘carne’, linguiça e até ovos mexidos que não contenham ovo.

Saia da sua zona de conforto, pesquise receitas sem origem animal. Muitas receitas italianas autênticas são naturalmente veganas, assim como o sushi pode ser vegano, a cozinha do Oriente Médio tem muitas receitas veganas, e, ainda há comida indiana, onde as vacas por serem sagradas não são consumidas e em função disso os “acompanhamentos” são mais elaborados e saborosos.

Algumas pessoas acham fácil a transição para um estilo de vida baseado em vegetais, enquanto outras têm dificuldade. Elas sabem que querem fazer isso, mas também sabem que alguns hábitos podem ser difíceis de quebrar.

Não se preocupe se em algum momento você tiver um deslize. Você não terá falhado, é apenas parte do processo de mudança. Esses deslizes ficarão cada vez mais espaçados e a partir de um certo dia não mais acontecerão.

E o mais importante nesse processo é que você faça o melhor que puder dentro do seu ritmo. Não se sinta culpada, desapontada ou com raiva de si mesma quando der um passo atrás. Apenas relembre porque você fez essa escolha e continue olhando para frente.

Também pode ser muito útil obter alguns aplicativos para para ajudar a identificar ingredientes veganos ou encontrar lugares para comer. Procure opções que você gosta e que funcionem para você.

Além disso, participe de comunidades online e redes sociais sobre esse tema. Você encontrará pessoas que passaram pelas mesmas experiências que você e estão mais do que dispostas a ajudar.

Muito bem, você virou uma pessoa vegana. E agora, o que fazer? Precisa divulgar sua filosofia de vida?

Porque você não deve se transformar em um pregador

Mudar para um estilo de vida que vê todos os animais em igualdade de condições pode ser como acordar de um pesadelo. Agora você pode até achar que as outras pessoas são loucas e hipócritas por continuarem no ciclo de consumo de animais.

Você vê as pessoas que convivem felizes em consumir leite de vaca. No entanto, muitas delas até poderiam chamá-la de maluca se você sugerisse que elas usassem leite humano ou leite de cachorro para beber.

Talvez você queira contar a todos que quer proteger os animais, lutar pelo meio ambiente e pela saúde de quem você ama e cuida. Mas você não precisa realmente fazer isso.

Em primeiro lugar, depois de adotar esse estilo de vida, você deve ter percebido o quão desagradável é ouvir de outras pessoas o tempo inteiro que você está errada, não é mesmo? Porque então você deveria se transformar em uma pessoa chata, que as outras pessoas não gostariam de conviver porque passa o tempo todo dizendo que elas estão erradas?

E, em segundo lugar, muito poucas pessoas vão optar por adotar um estilo de vida baseado em vegetais porque alguém disse isso a elas. Isso é algo que cada um descobre sozinho e cada um tem seu tempo, variando de acordo com a pessoa.

Então, como posso ajudar o planeta?

Você quer fazer mais pelo planeta? O melhor que você pode fazer é dar o exemplo perfeito de saúde e vitalidade. Quando alguém estiver pronto, essa pessoa virá até você para obter orientação, e é quando você pode ajudá-la.

O que você pode fazer, é quando alguém for muito insistente em dizer que você está errada, mostre o seu ponto de vista. Se isso não resolver, encerre a discussão dizendo que se você não quer chateá-la pregando o veganismo, da mesma forma não quer ser incomodada por quem acredita que você esteja no caminho errado.

Quer outro motivo para que você não precise virar uma missionária do veganismo? Muitas pessoas adotam esse caminho aos poucos. Pode ser que você tenha mudado sua alimentação, mas continua usando calçados de couro, cintas de couro ou algum outro produto de origem animal. Isso é ser hipócrita? Não, mas você se tornou um vegano? Também não. Quando o seu veganismo está restrito à alimentação, é o que os vegetarianos chamam de “vegetarianismo estrito”.

Mas o simples fato de você ter reduzido o consumo de produtos de origem animal já ajuda o planeta. E esse é o primeiro passo para eliminá-los totalmente de sua vida.

O que é ser vegano?

Por tudo o que você leu até agora em nosso texto, nem precisamos repetir o que esse estilo de vida compreende, não é mesmo? Mas para deixar mais claro, vamos copiar o que diz a Vegan Society, criadora do termo veganismo.

Para a associação, veganismo é um modo de viver (ou uma escolha) que procura excluir, na medida do possível e praticável, todas as formas de exploração e crueldade contra os animais, seja na alimentação, no vestuário ou em outras esferas de consumo.

Você observou que salientamos o “na medida do possível”? De fato, nem sempre algo que você precisa consumir oferece a opção vegana? O que fazer então? Simples, se é um consumo necessário, faça isso sem culpas.

Felizmente muitos fornecedores de produtos estão acordando para o veganismo e hoje já é possível encontrar muitos produtos que respeitam o conceito vegano.

Born Saboaria

Nessas outras esferas de consumo que referimos acima, surgiram vários ramos de atividades para completar as necessidades de consumo dos veganos. Por exemplo, na área de higiene surgiram empresas que procuram disponibilizar diversos produtos para uma pessoa eliminar os produtos de origem animal da sua vida.

Algumas dessas empresas vão mais além ainda, não se restringem a produzir somente produtos que sejam veganos, seus produtos também são completamente naturais. Então, esses produtos, além de ajudar o planeta, melhoram ainda mais a saúde das pessoas que os usam.

Uma empresa que adotou esse princípio é a Born Saboaria (parceira do blog e que nos orienta sobre assuntos naturais e veganos), por exemplo, que produz shampoos, sabonetes, desodorantes, sabões e condicionadores naturais e veganos.

Portanto, se você, além do veganismo, passar a consumir em sua higiene apenas produtos que, além de veganos, sejam naturais, terá dado um passo a mais para ajudar o planeta e, principalmente, sua própria saúde.

Consumir somente produtos veganos é garantia de boa saúde?

A maioria das pessoas presume que, a partir do momento em que escolheu ser uma pessoa vegana, só consome alimentos saudáveis ​​e nunca ficará doente. Mas lembre-se que o termo vegano apenas se refere ao que você não consome, não ao que você faz em prol de sua saúde.

Você poderia comer batatas fritas e beber refrigerante todos os dias da sua vida de hoje em diante e, mesmo assim ainda seria vegano. Assim como a variedade infinita de substitutos de carne disponíveis a venda, alguns deles com um sabor muito gostoso, são produtos ultra processados. Portanto, veganismo não é sinônimo de boa saúde.

Adotando essa atitude, você estará protegendo os animais e o planeta, mas não está se empenhando em melhorar sua saúde. As mesmas regras que se aplicam para os não veganos, se aplicam para os veganos. Assim, as pessoas devem ter um equilíbrio alimentar. Por exemplo, comer frutas e vegetais frescos em abundância, assim como fazer exercícios regularmente para se tornarem saudáveis.

Sendo assim, um hambúrguer vegetal pode ter um sabor muito melhor para você em comparação com um de carne bovina. Mas ele ainda é comida ultra processada, e você deve consumir todos os alimentos processados com moderação, ou talvez, nem consumir.

Portanto, se você se preocupa com os animais e com o planeta, preocupe-se também com sua saúde. Assim, faça da sua alimentação e dos seus hábitos aliados nesse processo. Para isso, sugerimos que você busque a orientação de um profissional da área de nutrição. Ele terá o conhecimento suficiente para guiá-lo na sua busca por uma alimentação mais saudável.

como adotar o veganismo com sucesso

Conclusão

O caminho para adotar um estilo de vida baseado somente em vegetais pode ser pavimentado ou não, com muitas idas e vindas. Isso é muito mais do que a simples decisão de decidir-se por se alimentar de outras coisas.

Você terá que enfrentar seus próprios problemas de quebrar velhos hábitos e experimentar novos alimentos. Além disso, é provável que você também tenha pessoas ao seu redor fazendo perguntas ou desafiando suas escolhas. Ao passo que, haverá pessoas querendo seguir seu caminho, e por isso tantas perguntas.

Estar preparada para o que virá é sempre a melhor solução e, saber o que esperar, pode tornar a jornada muito mais fácil. Assim como adotar o veganismo com sucesso pode ser difícil, qualquer outra mudança também pode ser.

Enfim, já que você está fazendo uma mudança que talvez seja radical em sua vida, aproveite para fazer com que ela seja saudável. Afinal, se você se preocupa com o futuro do planeta, porque também não se preocupar com o seu?

Você está preparada? Boa sorte e parabéns por sua escolha!


Leia também:
Shampoos e condicionadores naturais e veganos, benefícios para o cabelo
O impacto do lixo gerado pelo descarte das embalagens
Aprenda uma incrível receita de bolo de cenoura vegano!
Porque devemos ler os rótulos dos produtos de higiene?
Como evitar que a tábua de corte escorregue
Quais são os benefícios proporcionados pelo desodorante natural e vegano?
Saboaria natural e vegana de qualidade com ingredientes eficientes

Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *