Porque devemos ler os rótulos dos produtos de higiene?

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 5 minutos


Você já leu alguma vez os rótulos dos produtos de higiene que utiliza? Se você já fez isso, por vezes não deve ter entendido muita coisa, não é mesmo?

A realidade é que os rótulos dos produtos de higiene, assim como da maioria dos produtos comercializados no Brasil são quase impossíveis de entender, é quase como ler um texto em latim.


Isso ocorre porque segundo as regras da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que é o órgão que regulamenta os rótulos de cosméticos no Brasil, a designação dos ingredientes deve ser feita utilizando a nomenclatura internacional de ingredientes cosméticos (INCI).

Pela regra definida, os rótulos dos produtos devem conter todas as informações sobre os componentes da fórmula, precauções sobre os agentes químicos mais agressivos, modo de usar, reações adversas, lote, fabricação e validade.

Em resumo, um rótulo de conter todas as informações necessárias para que o consumidor decida se quer ou se tem condições de usar aquele produto sem afetar sua saúde.

O problema é que para nós leigos, que somos a imensa maioria dos consumidores, essas informações significam pouco ou nada. Nós partimos do principio de que se um produto está à venda ele deve estar dentro das normas estabelecidas pelos especialistas e pelos reguladores como seguras para seu uso com segurança.

Esse pensamento até pode estar correto, só que isso não significa que, pelo fato de um produto estar dentro das normas exigidas pela legislação, ele seja saudável, ecologicamente aceitável e pode ser usado por todas as pessoas sem exceção.

Entenda melhor a composição dos produtos de higiene e limpeza

Os cosméticos podem conter inúmeros ingredientes nocivos para a nossa pele, um exemplo disso é o Lauril Sulfato de Sódio (Sodium Lauryl Sulfate), produto muito utilizado na composição de detergentes, sabonetes e xampus.

A função do Lauril Sulfato de Sódio na fórmula de um produto é proporcionar a formação da espuma, efeito que praticamente todo mundo espera de um produto de higiene, e acredita que isso significa que aquele produto está realmente limpando, e, portanto, cumprindo seu objetivo.

Entretanto é preciso que saibamos que esse componente é um agente bastante agressivo, ele age retirando a camada de gordura da pele, deixando-a desprotegida e, portanto, propensa a irritações e alergias.

Acrescente a essa contraindicação importante ainda o fato de que essa espuma depois de utilizada vai descer pelo ralo e contaminar as águas e o solo por onde passar.

Quer conhecer outros exemplos de componentes prejudiciais a nossa saúde?

Provavelmente você já tenha ouvido falar em petrolatos e parabenos. Nas embalagens de alguns produtos essas duas palavras invariavelmente vêm acompanhadas da expressão “livre de” e nunca da expressão “cuidado contém”. Sendo que a segunda expressão deveria ser a regra, pelo potencial nocivo desses componentes.

Esses dois componentes são os mais mencionados nos rótulos, porém existem muitos outros compostos que deveríamos evitar.

A seguir vamos listar alguns deles, começando pelos dois acima e associando-os aos seus nomes internacionais para que você possa localizá-los ao ler os rótulos dos produtos que pretende utilizar.

Petrolatos – Mineral Oil, Paraffin Oil, Paraffin Wax ou Paraffin Liquidum

Parabenos – Methylparaben, Ethylparaben, Propylparaben, Butylparaben, Isopropylparaben

Lauril – Sodium Lauryl Sulfate, Sodium Laureth Sulfate, LESS

Emulsificantes – Methylpropyl, Caprylyl-alcohol, Hexadecanol, Catyl Alcohol, Polypropylene Glycol

Silicones – Dimethicone, Cyclohexasiloxane

Fragrâncias Sintéticas – não tem seus ingredientes especificados

Chumbo – Lead Acetate

Conforme comentamos acima, esses são só alguns dos ingredientes nocivos a nossa saúde ou ao meio ambiente. Eles podem causar desde irritações cutâneas até problemas hormonais ou carcinogênicos.

Além disso, alguns deles podem levar centenas de anos para se decompor, causando alterações no meio ambiente ou serem muito nocivos para os animais que entram em contato com eles na natureza.

A pele é o maior órgão do corpo humano e uma parte do que aplicamos nela é absorvido. Muitas dessas substancias que utilizamos vão se acumulando com o seu uso repetido, enquanto outras nem precisam do acúmulo para nos prejudicarem. Justamente por isso é de extrema importância sabermos o que estamos usando.

Há ingredientes nocivos que estão presentes em vários produtos e, por isso, acabamos achando natural quando visualizamos aquele nome nos rótulos do que consumimos, mas o que não sabemos é para que ele serve e se faz bem ou mal para nós e para o meio ambiente.


Portanto, se você realmente quer saber o que está usando em seu corpo ou na sua casa, a partir do rótulo dos produtos, procure pesquisar. Hoje, através da internet, essas informações estão acessíveis para todos. Apenas tome o cuidado de se informar em sites com credibilidade.

Quais as consequências de utilizar produtos de higiene com ingredientes nocivos?

Os componentes de um produto de higiene têm apenas um desses dois destinos: ou descem pelo ralo, ou são absorvidos pela nossa pele. Em qualquer um dos dois casos, eles estarão fazendo bem ou mal para quem os usa e também para todo o meio ambiente. Não há como fugir disso.

Geralmente nossa preocupação imediata ao adquirir um produto de higiene é com a nossa saúde, certo?

Mas você já parou para pensar para onde vai a espuma do sabonete, do xampu, ou o excesso do condicionador ou da tinta de cabelo que você usa e que não são absorvidos pelo seu organismo? Ou ainda para onde vão os produtos de limpeza utilizados na sua casa?

Eles descem pelos ralos, depois vão para os lençóis freáticos, rios, para o solo, para o mar e para o ar. Mesmo que o local onde você mora tenha saneamento básico, com recolhimento e tratamento do esgoto, depois de purificada a água que retornará para sua torneira, o que acontece com os resíduos tóxicos que são retirados dela?

E os cremes, pomadas, cosméticos em geral que você passa na sua pele? Eles são absorvidos pelo seu organismo. Por isso que é tão importante saber o que você está absorvendo através da pele quanto o que você absorve pela alimentação.

Felizmente hoje existem muitas opções de produtos com componentes mais naturais e menos prejudiciais à saúde e à natureza disponíveis para serem utilizados em substituição aos produtos nocivos.

O mercado de produtos naturais está crescendo bastante e está se transformando em uma ótima opção de escolha. Na realidade, o que está acontecendo é que estamos voltando um pouco no tempo e passando a usar produtos que nossos antepassados já usavam e que com o desenvolvimento industrial acabaram sendo substituídos por itens ultra processados em nome do crescimento da produção e do consumo.

Se essas informações lhe impactaram, o que acha de começar a fazer a sua parte?

Leia os rótulos, informe-se mais e ajude a melhorar a qualidade dos ingredientes dos produtos. Além de tornar a sua vida mais saudável, você vai contribuir para diminuir a poluição gerada pelos resíduos químicos nocivos a saúde e ao meio ambiente.


Se você gostou desse assunto, provavelmente também vá gostar destas outras dicas:
Dicas e várias ideias para adotar o estilo wabi-sabi em sua casa
Aprenda algumas maneiras de cozinhar utilizando vinho
Como armazenar garrafas de vinho
Você já passou dos 40 anos? Veja essas 12 dicas para emagrecer com saúde
62 ideias de filtros dos sonhos e dicas de como fazer
Chegou o PooFresh Nº 3, o número 2 sem rastro

Compartilhe...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *