Erva-de-são-joão, benefícios e cuidados

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 5 minutos

benefícios da erva-de-são-joão

Saiba tudo sobre a Erva-de-são-joão, seus benefícios e cuidados que você deve tomar ao usá-la.

Ela é uma planta perene, de flores amarelas em forma de estrela com cinco pétalas, pertencente à família Hypericaceae e também chamada de hipérico (Hypericum perforatum).

Muito usada como planta medicinal, suas propriedades são reconhecidas por beneficiar a saúde mental, isso porque ajudam a aliviar o estresse e a ansiedade.

No entanto, atribui-se à ela benefícios para a saúde que vão muito além, vamos conhecê-los?

Conheça os benefícios da Erva-de-são-joão e os efeitos colaterais que ela pode causar

A Erva-de-são-joão se desenvolve bem na Europa, América do Norte, América do Sul, Austrália, Nova Zelândia e Ásia Oriental. Ela prefere locais ensolarados e solos bem drenados, podendo atingir entre 50 e 100 cm de altura.

Na Grécia antiga acreditava-se que a fragrância dessa erva faria com que os espíritos malignos voassem para longe. Além disso, usou-se essa erva para tratar muitas doenças, incluindo ciática e mordidas venenosas.

Assim como na Europa ela era usada para o tratamento tópico de feridas e queimaduras. Era também um remédio popular para doenças renais e pulmonares, bem como depressão.

A Erva-de-são-joão foi recomendada por Hipócrates para “agitação nervosa”, ou seja, ela tem uma história de 2.000 anos de uso popular para ansiedade, distúrbios do sono e depressão.

No entanto, apesar de apresentar vários benefícios para a saúde, é preciso salientar que a Erva-de-são-joão pode causar sérias interações com alguns medicamentos.

A França, por exemplo, proibiu o seu uso em produtos industrializados. Assim como, vários outros países, incluindo Japão, Reino Unido e Canadá, atualizaram os rótulos de advertência nos produtos que contém Erva-de-são-joão.

São muitos os benefícios que Erva-de-são-joão pode oferecer

O uso mais comum dessa planta é para depressão e condições que acompanham a depressão, como ansiedade, cansaço, perda de apetite e problemas para dormir. Existem fortes evidências científicas de que ela é eficaz para a depressão leve a moderada.

Além disso, outros usos medicinais incluem palpitações cardíacas, mau humor, sintomas da menopausa, transtornos mentais que apresentam sintomas físicos, síndrome pré-menstrual (TPM), transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), fobia social e transtorno afetivo sazonal.

A Erva-de-são-joão também foi testada para ajudar a parar de fumar, para fibromialgia, síndrome da fadiga crônica, sensação de queimação na boca, enxaqueca e outros tipos de dores de cabeça, dores musculares, dores nos nervos e síndrome do intestino irritável.

Usa-se também ingredientes dessa planta para combater o câncer (incluindo câncer de cérebro), HIV/AIDS, hepatite C, herpes simplex, para ajudar em um procedimento para desbloquear artérias entupidas e perda de peso.

Algumas pessoas ingerem o óleo de Erva-de-são-joão por via oral para indigestão. Assim como, algumas pessoas aplicam esse óleo na pele para tratar contusões e arranhões, inflamação e dores musculares, pele escamosa e com coceira (psoríase), queimaduras de primeiro grau, feridas, picadas de insetos, hemorroidas e dores nos nervos.

benefícios da erva-de-são-joão planta

O uso dessa planta exige muito cuidado

No entanto, há riscos em aplicar a Erva-de-são-joão diretamente na pele. Isso porque ela pode causar uma sensibilidade grave à luz solar.

Além disso, embora essa erva seja incrivelmente medicinal, ela merece muito respeito e pode prejudicar a saúde com a mesma facilidade com que pode promover curas.

Portanto, você não deve se automedicar com ela, principalmente se estiver tomando qualquer medicamento farmacêutico. Porque, embora ela não interaja negativamente com todos os produtos farmacêuticos, não é seguro misturá-la com nenhum outro tratamento sem indicação médica.

Assim como, pessoas bipolares ou com algum tipo de psicose devem evitar o seu consumo.

A indústria de bebidas alcoólicas usa extratos da Erva-de-são-joão, mas a luz pode desativar seus efeitos. Portanto, em geral os produtos fabricados a partir dela são embalados em recipientes âmbar. No entanto, o âmbar ajuda, mas não oferece proteção total contra os efeitos adversos da luz.

Erva-de-são-joão para a depressão

Por muito tempo, os pesquisadores pensaram que uma substância contida na Erva-de-são-joão, chamada de hipericina era a única responsável por seus efeitos contra a depressão.

No entanto, novas pesquisas sugerem que outras substâncias, como hiperforina, bem como a adhiperforina, entre outras substâncias semelhantes podem desempenhar um papel maior na depressão. Isso ocorre porque essas substâncias atuam em mensageiros químicos no sistema nervoso que regulam o humor.

Tomar extratos de Erva-de-são-joão melhora o humor e diminui a ansiedade e a insônia relacionadas à depressão. Ela parece ser tão eficaz no tratamento da depressão quanto muitos medicamentos prescritos.

De fato, as diretrizes clínicas do American College of Physicians-American Society of Internal Medicine sugerem que ela pode ser considerada uma opção junto com medicamentos antidepressivos para o tratamento a curto prazo da depressão leve.

No entanto, como ela não parece ser mais eficaz ou significativamente melhor tolerada do que os medicamentos antidepressivos, assim como causa muitas interações medicamentosas, as diretrizes sugerem que pode não ser uma escolha apropriada para muitas pessoas, particularmente aquelas que tomam outros medicamentos.

Além disso, a Erva-de-são-joão pode não ser tão eficaz para casos mais graves de depressão.

Erva-de-são-joão para a menopausa

Algumas evidências sugerem que combinações de Erva-de-são-joão com outras substâncias podem ajudar a melhorar os sintomas da menopausa, como por exemplo ondas de calor.

No entanto, os efeitos dessa erva sozinha sobre os sintomas da menopausa ainda são inconsistentes. Ou seja, algumas pesquisas sugerem que ela pode reduzir as ondas de calor, mas não parece melhorar o sono, a qualidade de vida ou outros sintomas da menopausa quando usada sozinha.

Erva-de-são-joão para a cicatrização de feridas

A aplicação dessa erva em feridas e machucados parece melhorar sua cicatrização, além disso há pomadas que contém a Erva-de-são-joão para reduzir a formação de cicatrizes após uma cesariana.

benefícios da erva-de-são-joão óleo

Conclusão

Existem sites que indicam quantidades que você deve usar em cada situação para obter os benefícios oferecidos pela Erva-de-são-joão.

No entanto, aqui no blog não costumamos estimular a automedicação. Portanto, sempre consulte seu médico antes de tomar qualquer medicamento.

Ingerir Erva-de-são-joão com antidepressivos pode causar um aumento perigoso nos níveis de serotonina, um hormônio que afeta o humor. Esta condição é a síndrome serotoninérgica.

Enfim, informe sempre o seu médico se estiver fazendo uso da Erva-de-são-joão ou qualquer outro produto à base de plantas. Além disso, você não deve usá-la em substituição dos antidepressivos padrão receitados.


Leia também:
Benefícios do milho para a saúde
Malefícios do café
Benefícios do alho-poró
Quais os benefícios da banana para a saúde?

Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *