Arejar a mente! Porque é importante desconectar-se?

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 4 minutos

Arejar a mente

Saiba porque é importante desconectar-se dos dispositivos móveis e arejar a mente esporadicamente.

O que você geralmente faz quando tem alguns momentos de paz nos dias corridos atuais? Provavelmente pega seu celular ou tablet para ler as últimas notícias, jogar ou acessar as redes sociais, não é mesmo?

No entanto, pesquisas mostram que esses devem ser momentos para desconectar-se e deixar a mente vagar. Então, vamos descobrir o motivo?

Todos precisamos arejar a mente

As pesquisas demonstram que é bom desligar-se dos eletrônicos por algum tempo e deixar a mente vagar.

Atualmente, tendemos a acreditar que “não fazer nada e apenas pensar” é uma coisa chata e uma perda de tempo. No entanto, segundo um estudo publicado no Journal of Experimental Psychology: General, em que um dos cientistas foi Kou Murayama, quem pensa assim está equivocado.

Nesse estudo, Murayama e outros coautores descobriram que as pessoas gostam de ficar sozinhas com seus pensamentos muito mais do que imaginam. “No mundo digital moderno, é tão fácil ‘matar o tempo’ quando há tempo livre.”, afirmou Murayama. “Mas pode ser uma boa ideia mergulhar nos pensamentos em tal situação.” Isso porque, segundo ele, o tempo de inatividade sem distrações pode ser mais prazeroso do que as pessoas pensam.

Existem ainda outros benefícios em deixar os pensamentos divagarem além do simples prazer de relaxar. Segundo outro estudo, gastar o tempo deixando a mente vagar ajuda as pessoas a serem mais criativas e melhores na resolução de problemas. Portanto, se não incluirmos esses momentos de reflexão silenciosa em nossa rotina, podemos perder esses benefícios.

As pessoas gostam de pensar mais do que imaginam

Para chegar às conclusões do primeiro estudo que citamos, a equipe de pesquisadores fez seis experimentos com um total de 259 pessoas. Os voluntários do estudo foram estudantes universitários do Japão e do Reino Unido. Cada um dos seis experimentos foi feito com um número variável de pessoas.

No primeiro experimento, os pesquisadores compararam o quanto as pessoas aproveitaram seu tempo apenas sentadas e pensando por 20 minutos com o quanto elas acreditavam que gostariam de participar do estudo. Assim, elas não tinham permissão para ter distrações, como ler, caminhar ou verificar seu celular. Depois, solicitaram que cada uma avaliasse sua satisfação com a sessão.

Os experimentos seguintes foram de natureza semelhante, mas com variações. Por exemplo, em um experimento, os participantes do estudo foram convidados a sentar em uma sala de conferência vazia, enquanto em outro, eles estavam sentados em uma área escura e coberta, onde não podiam ver nada. A quantidade de tempo que eles foram convidados a sentar e pensar também variou.

Em outro experimento, um grupo decidiu o quanto ele gostaria de pensar, enquanto outro decidiu o quanto ele gostaria de verificar as notícias. Embora o grupo engajado no pensamento estimasse que não iria gostar tanto, os dois grupos acabaram gostando de suas respectivas atividades quase igualmente.

Arejar a mente - homem descansando

Conclusão do estudo

Com cada experimento, a conclusão geral permaneceu a mesma. Ou seja, as pessoas gostavam de pensar mais do que esperavam, arejar a mente foi prazeroso.

No entanto, Murayama e sua equipe observou que as pessoas não consideravam o pensamento extremamente agradável. Mas foi mais agradável do que elas pensavam que seria. Ele explicou ainda que nem todo pensamento é necessariamente divertido. Por exemplo, algumas pessoas podem ser mais propensas a pensamentos negativos quando estão livres de distrações externas.

Dessa forma, o ideal é arejar a mente com bons pensamentos. Mas ele admite que isso pode ser difícil para algumas pessoas.

Além disso, Murayama acredita que seu trabalho precisa ser replicado entre outros extratos de populações, já que os participantes do estudo eram todos estudantes universitários no Japão e no Reino Unido.

Precisamos tirar um tempo para desconectar e relaxar

Assim, com base no fato de que as pessoas provavelmente não ficarão tão entediadas com seus pensamentos quanto pensam, a professora e diretora de departamento, Hanna M. Garza, do Texas Tech Physicians of El Paso, incentiva as pessoas a se desconectarem e relaxarem.

“Cada pessoa enfrenta muitos desafios, estressores e responsabilidades diariamente.”, afirma Garza. “Os seres humanos precisam ter tempo para recarregar as baterias para voltarem a ser produtivos.” Dessa forma, ela sugere que uma maneira de fazer isso é fazer uma pausa nos dispositivos móveis.

“No trabalho, priorize almoçar e se desconectar do telefone”, disse ela. “Desligue o telefone durante as refeições, especialmente quando estiver fazendo as refeições com seus familiares.”

Ela sugere ainda colocar o telefone no modo avião quando você pretende descansar e relaxar para não ser incomodado. Por fim, ela recomenda planejar com antecedência para que você possa aproveitar seu tempo de inatividade sem se estressar com as responsabilidades futuras.

Arejar a mente - mulher fazendo uma pausa

Conclusão

Estudos mostram que se você arejar a mente, deixando-a vagar, poderá obter vários benefícios, incluindo maior criatividade e resolução de problemas.

Além disso, de acordo com uma pesquisa, muitas pessoas podem gostar de se desconectar de seus dispositivos móveis mais do que imaginam.

No entanto, embora o tempo livre de distrações possa ajudar algumas pessoas a se redefinirem, o tempo adicional gasto pensando nem sempre pode ser benéfico para as pessoas propensas a pensamentos negativos.

Ainda assim, os especialistas sugerem que pausas periódicas no celular e desconectar-se temporariamente da correria da vida podem ajudar a recarregar as baterias e beneficiar o bem-estar.


Leia também:
5 dicas para você economizar e otimizar seu tempo
O banho de contraste quente e frio realmente traz benefícios?
Descubra 11 hábitos das pessoas verdadeiramente felizes
Por que nós dormimos?

Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *