Como plantar e como cuidar da jiboia (Epipremnum aureum)

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 9 minutos

Com uma abundância de folhas frondosas e salpicadas de colorações variadas, a jiboia é a planta de interior perfeita, por isso mesmo está cada vez mais popular nas nossas casas.

Esta trepadeira, com folhas em formato de coração e estranhamente chamada de hera-do-diabo é muito fácil de cultivar e muito versátil, basicamente precisa de água, claridade e clima quente.


Tudo o que você precisa saber sobre a planta jiboia

A jiboia é uma planta do gênero Epipremnum aureum, da família Araceae, e é originária das Ilhas Salomão, mas se aclimatou às florestas subtropicais em todo o mundo. Possui folhas em formato de coração, com uma coloração com variados tons e salpicados que vão do verde até o amarelo. Com a luminosidade adequada, suas folhas são verdes brilhantes, marmorizadas ou variegadas, dependendo da espécie ou da forma de cultivar.

Sua principal característica é o crescimento de seus ramos, que podem alcançar muitos metros, por isso recebeu o nome de jiboia.

A jiboia é conhecida também como hera-do-diabo. Existem duas versões para essa planta ter recebido esse nome, uma delas é pelo fato de que ela é uma planta invasiva e que cresce sobre as outras, eliminando completamente o sol que elas recebem e matando-as. A outra versão é porque ela é uma planta quase impossível de matar.

Independente do motivo dela ter esse nome, ao cultivá-la em jardins ou em vasos em conjunto com outras plantas, tome cuidado para que ela não sufoque a vegetação já existente, podando-a, se necessário, e direcionando-a de forma que não cresça muito sobre as outras plantas.

A jiboia é considerada uma trepadeira tropical perene que pode ser cultivada ao ar livre ou em ambientes internos como uma planta de decoração resistente. Prefere um ambiente úmido ou temperado, pode resistir a ocasionais períodos de frio, mas não sobrevive à geada.

Nos meses mais frios de inverno em regiões de climas extremos, a nebulização adicional de água morna criará o ambiente úmido que ela precisa. A luz difusa moderada é recomendada para que a folhagem retenha sua cor e variegação.

É uma planta pode congelar no inverno, mas geralmente rebrota na primavera. As necessidades da jiboia tanto cultivada dentro ou fora de casa são as básicas e elas são relativamente livres de pragas e doenças, portanto, mesmo os jardineiros inexperientes provavelmente terão sucesso com ela.

Na verdade, há quem diga que essa planta prospera com a negligência, pois pela sua exuberância e resistência ela pode sobreviver com o mínimo de luz, pouca água e é quase impossível de matar.

Se não for exposta ao frio extremo a jiboia vai prosperar durante todo o ano, embora algumas variedades possam perder a cor em condições de pouca luz. Sobrevivendo bem em uma variedade de cultivos, a diversidade de formas em tons diferentes é um detalhe perfeito para qualquer espaço interno ou externo coberto.

A jiboia pode ser cultivada como cobertura do solo, em vasos suspensos, em cestas ou ao longo das paredes e muros. Ela sempre vai crescer muito, é uma trepadeira de crescimento rápido, em um vaso médio pode atingir cerca de até 6 metros, plantada diretamente no solo em jardins ao ar livre, até 20 metros ou ainda mais, se usada como cobertura de solo.

O tamanho das folhas da jiboia também depende de onde a planta é cultivada. No interior, as folhas podem atingir cerca de 10 centímetros de comprimento, embora as folhas das plantas externas possam crescer até 30 centímetros de comprimento em condições especiais.

As plantas cultivadas em ambientes fechados raramente florescem, mas quando plantadas ao ar livre, essa trepadeira produz uma espata verde ereta de 15 cm cercada de pequenas flores.

A jiboia é venenosa para cães e gatos e prejudicial aos humanos se ingerida, portanto, evite cultivá-la no chão se isso for um risco significativo para animais de estimação ou crianças. Nesse caso, é melhor cultivá-la no alto, em um vaso suspenso ou em uma prateleira.

Todas as partes da jiboia são tóxicas, portanto, além de mantê-la fora do alcance de crianças e animais de estimação, se você tiver alguma alergia à seiva, deve considerar o uso de luvas ao podar ou manipular essa planta.

Como plantar e como cuidar da jiboia

Conforme comentamos acima, a jiboia é uma planta tanto para exteriores como para interiores.

Opções para cultivar a jiboia em jardim ao ar livre

Cultivada ao ar livre, ela pode ser utilizada de várias formas. Você pode deixá-la subir em uma árvore para obter o verdadeiro efeito tropical de suas folhas grandes, usá-la em uma cerca ou pendurá-la na parede, plantá-la em grandes jardineiras ou cestos suspensos, ou ainda usá-la como cobertura do solo.

No entanto, conforme também já comentamos, tenha cuidado ao plantar a hera-do-diabo perto de arbustos ou sebes, devido às suas tendências de crescimento agressivo. As suas vinhas crescerão rapidamente e também se transformarão em arbustos ou sebes e, eventualmente, assumirão o controle.

Esteja ciente também de que, quando é usada como cobertura do solo, a hera-do-diabo requer podas frequentes para mantê-la dentro de um limite. Se você for plantar várias mudas de jiboia para cobertura de solo, pode deixar um espaço bem generoso entre elas.

Opções para cultivar a jiboia dentro de casa

Cultivada em ambientes internos, a jiboia adiciona uma vegetação exuberante a vasos suspensos, jardineiras de parede, vasos sobre móveis ou diretamente no chão, ou ainda com treliças fixas para suas hastes escalarem.

Pedaços de jiboia aparados crescem até mesmo em um recipiente com água, e é uma planta apropriada também para ambientes de cozinha e banheiro.

Um dos benefícios proporcionados pelo cultivo da jiboia como planta de dentro de casa é a sua capacidade de remover alguns poluentes do ar.

Caso você não queira um crescimento desordenado e excessivo, pode podar as vinhas de interior com frequência para ajudar a controlar o seu tamanho.

Solo indicado para plantar jiboia

Quando plantada ao ar livre e diretamente no solo, a jiboia se desenvolve em uma ampla variedade de condições de solos, de ácidos a alcalinos, e ela até tolera locais permanentemente úmidos. Se você estiver cultivando em recipientes, uma mistura de envasamento de terra com substrato para todos os fins com boa drenagem é a mais adequada para o crescimento mais vigoroso.

Um solo leve, poroso, arejado e bem drenado é o ideal para manter as raízes úmidas, mas não encharcadas, você pode utilizar também turfa de coco que será suficiente para ela.

Luminosidade ideal para a jiboia

A jiboia cresce bem em sombra parcial ou total ao ar livre, entretanto o seu crescimento diminui quando é plantada em sombra profunda e, além disso, a folhagem perde sua variedade, tornando-se quase toda verde. Se você estiver cultivando a planta dentro de casa, coloque-a em uma área que receba luz solar filtrada ou luz artificial forte.

Nutrição indicada para a jiboia

Não se preocupe se você se esquecer de fertilizar ou adubar a hera-do-diabo, isso porque ela não depende de muitos nutrientes para seu crescimento e, provavelmente não vai perder o ritmo.

No entanto, se preferir, você pode alimentar tanto as plantas de interior e de exterior com um fertilizante líquido para plantas domésticas de uso geral.

Uma ou duas aplicações durante a estação de crescimento (as mais quentes) devem ser suficientes. Sempre siga as instruções do rótulo para saber como aplicar e a quantidade específica a ser usada de acordo com o porte de sua planta.

Quanto e quando regar a jiboia

A jiboia é altamente tolerante à seca, então não se preocupe se você se esquecer de regar as plantas por várias semanas. Enquanto a planta está crescendo ativamente, regue-a em abundância – até que escorra pelos orifícios de drenagem da parte inferior do vaso. Faça isso uma vez por semana ou quando perceber que o solo parece seco.

Durante as estações mais frias, reduza as regas para cerca de uma vez a cada duas semanas. Regar as plantas cultivadas ao ar livre uma vez por semana é suficiente, mas também reduza a frequência para uma vez a cada duas semanas no inverno.

Doenças e pragas da jiboia

A jiboia é muito resistente a doenças e pragas, assim com a maioria dos problemas relacionados ao solo onde está cultivada.

Podem ocorrer problemas decorrentes de infecções bacterianas ou fúngicas, como podridão da raiz e manchas nas folhas devido à rega excessiva durante a estação de crescimento.

A folhagem pode ficar mole e enrolada se ocorrerem quedas significativas de temperatura, ar frio abaixo de 10 °C ou falta de água por um tempo demasiadamente grande.

É raro, mas os ácaros da aranha, pulgões e os percevejos podem representar um problema significativo, entretanto isso é facilmente resolvido simplesmente borrifando a folhagem com um inseticida de jardim. Repita isso duas semanas após a primeira aplicação para erradicar completamente o problema.

Para ajudar a prevenir a propagação de doenças, sempre esterilize suas tesouras de poda antes e depois do uso, limpando as lâminas com um pano limpo ou papel toalha umedecido com álcool.

Como e quando podar a jiboia

O aparar dos caules que caem é essencial para controlar e melhorar a forma dessa planta, caso contrário esta espécie, que é invasora em algumas áreas tropicais, pode assumir o controle e sufocar as outras plantas.

Se o crescimento demasiado da jiboia for um problema para você, para garantir que ela não cresça muito, apare regularmente o caule da planta, sempre deixando um pedaço de folhagem saudável no final.

As folhas amareladas geralmente são o resultado de excesso de água e podem ser facilmente removidas simplesmente dobrando-as para trás até que quebrem.

Como propagar a jiboia

A jiboia é fácil de propagar. Corte um pedaço da sua haste ou pontas da haste abaixo de um nó. Mergulhe sua base em água por até duas semanas para enraizar. Assim que os brotos se tornarem visíveis, plante a videira no solo para crescer.

Outra forma de propagação da jiboia é cortar longos caules com raízes aéreas e colocá-los em uma mistura de terra com substrato, areia, ou turfa de coco, regando sempre.

Como cultivar a jiboia na água

Para fazer o cultivo hidropônico da jiboia também é muito fácil. Como explicamos acima, uma das formas de propagar uma planta é colocando um pedaço de caule ou raiz na água. Se você transportar essa muda depois para um vaso ou um solo externo, seu crescimento será mais rápido, entretanto, você pode optar por deixá-la em definitivo na água.

Com o cultivo hidropônico, você terá uma planta menor, de crescimento mais lento, mas, em compensação, mais fácil de gerenciar e ocupando menos espaço, caso o local onde ela esteja seja limitado.

A melhor forma de cultivar a hera-do-diabo em água é, a partir de uma videira saudável (evite folhas marrons ou amareladas), cortar abaixo de um nó. Certifique-se de que a haste escolhida para propagar tenha pelo menos 3 nós.

Remova todas as folhas abaixo dos nós, fazer isso é fundamental para garantir que as folhas não se decomponham debaixo d’água e sufoquem as novas raízes. Observe que o seu corte tem pequenas saliências marrons se formando ao longo da videira perto de cada nó. Estas são raízes aéreas que começarão a crescer quando você colocar sua jiboia na água.

Coloque essa muda um recipiente cheio de água limpa e certifique-se de que pelo menos um ou dois nós do seu corte fique submerso na água. Além disso, certifique-se de escolher um corte de videira que tenha pelo menos duas folhas para estimular o crescimento rápido.

Posicione o vaso sob luz solar indireta. Novas raízes brotarão dos nós submersos em água entre 7 a 14 dias. Se você decidir deixá-la crescer na água, escolha um fertilizante líquido de boa qualidade para alimentar sua planta e aplique na água a cada 4 a 6 semanas.

A quantidade de fertilizante que você vai usar pode variar dependendo das instruções do fertilizante e do tamanho de sua planta e recipiente. No entanto, como regra geral, nunca deve ser mais do que algumas gotas. É sempre melhor fertilizar menos do que fertilizar demais quando se trata de cultivar plantas em água. O exagero de nutrientes pode proporcionar a proliferação de algas.

Coloque o recipiente em seu local definitivo, preferencialmente na frente de uma janela que não receba a luz solar direta. Além disso, certifique-se de trocar a água a cada duas semanas para garantir que sua planta permaneça saudável.

Mantenha sempre o recipiente limpo. Se você perceber a presença de algas ou musgos, remova a planta e lave-o bem antes de colocá-la de volta nele.


Se você gostou destas dicas, provavelmente também vá gostar dessas:
Para que serve, como plantar, cultivar e cuidar da camomila
Tudo sobre Kalanchoe, como plantar e como cuidar da Flor da Fortuna
Como plantar e como cuidar de Lírios de Calla? Saiba tudo sobre essa linda flor…
Como plantar e cultivar Rosa do Deserto
32 ideias para criar um jardim fácil de manter e ainda várias dicas incríveis
Benefícios, como plantar e como cuidar da Ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata)
Como mudar as cores das hortênsias?

Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *