Como plantar e cuidar de peperômias dentro de casa

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 11 minutos

As peperômias pertencem a um maravilhoso gênero de plantas nativas da região tropical da América do Sul e Central.

Com mais de 1.000 espécies registradas, são plantas resistentes e saudáveis ​​que possuem folhas grossas e carnudas, que contribuem para sua tolerância à seca e climas quentes.

Se você gosta de plantas coloridas e variadas, mas não tem o dedo verde para cultivar flores coloridas e delicadas, provavelmente de dará bem cultivando essa linda folhagem ornamental que se adapta muito bem a ambientes fechados.


Tudo o que você precisa saber sobre peperômias

As folhas da peperômia podem ser texturizadas ou lisas; nas cores vermelha, verde, cinza ou roxa; variegadas, marmoreadas ou lisas; grandes ou minúsculas; em forma de coração, ovais ou redondas. Portanto, as plantas do gênero peperômia podem parecer tão diferentes de uma para a outra que fica até difícil discernir se elas estão relacionadas e são da mesma família, Piperaceae.

Praticamente todas as plantas de peperômia são de baixa e fácil manutenção, exigem muito pouca água, de crescimento lento e podem ser plantadas durante todo o ano.

Cultivadas dentro de casa, as peperômias raramente precisam ser replantadas, justamente por serem de crescimento muito lento. No entanto, se você plantá-las em um jardim, diretamente no solo, perceberá um aumento de velocidade de crescimento.

Em média uma peperômia plantada em vaso atinge cerca de 25 centímetros, portanto não ocupa muito espaço e não é uma planta tóxica, podendo ficar ao alcance de crianças e animais de estimação sem nenhum problema.

As peperômias podem viver por muitos anos em um vaso pequeno sem nunca precisarem de muito cuidado ou atenção, necessitando apenas de um pouco de água de vez em quando e um pouco de luz forte indireta.

Como cultivar peperômias em vasos

Cuidados exigidos pela peperômia

A peperômia, pela sua resistência, é uma escolha inteligente para entusiastas de jardinagem de interiores iniciantes. Não só pela sua capacidade que tolerar alguma negligência ou inexperiência, como também pela espetacular variedade de cores e texturas encontradas nessa espécie.

Isso significa que você pode cultivar uma coleção grande e interessante de plantas para todos os estilos e espaços, todas elas exigindo o mesmo tipo de cuidados.

Ao plantar a peperômia em vaso, procure utilizar um vaso com amplos orifícios de drenagem, usando uma mistura para vasos de orquídeas, depois coloque o vaso com a planta sob luz indireta forte e você já estará cultivando sua primeira peperômia. Simples assim.

As peperômias exigem muito pouco em termos de atenção. Você só precisará regá-las quando perceber que o solo estiver seco. Raramente será necessário utilizar adubos para plantas ou fertilizantes nelas.

Qual a iluminação adequada para a peperômia?

As maioria das plantas do gênero Peperômia precisam de luz média a forte para manter as cores de suas folhas vibrantes. A luz da manhã e a luz filtrada em vidros de janelas são suficientes – alternativamente você pode oferecer de 12 a 16 horas de luz artificial por dia.

Luz insuficiente resultará em menos folhas, queda de folhas e coloração opaca e monótona. Entretanto, cultivá-las sob os raios diretos do sol deve ser evitado, pois isso pode queimar suas folhas. Algumas poucas variedades preferem sol pleno, portanto ao escolher uma variedade para cultivar, esteja atento a isso.

Qual o solo adequado para a peperômia?

Muitas espécies de peperômia crescem como epífitas, isso significa que, na natureza, elas podem se desenvolver sobre plantas maiores, como árvores e fixar suas raízes em alguma casca ligeiramente em decomposição. As plantas epífitas não são parasitas, apenas se utilizam do apoio das outras plantas.

A chave para o sucesso do cultivo das peperômias epífitas é escolher uma mistura de solo que simule essas condições da natureza – grossa, solta e ácida. Os substratos para envasamento de orquídeas geralmente funcionam bem, mas o solo de envasamento regular para folhagens menos exigentes também é bom – você sempre pode deixá-lo ainda mais ralo e solto misturando um pouco de turfa ou vermiculita.

Qual a quantidade ideal de água para a peperômia?

As folhas da peperômia são suculentas (folhas que armazenam uma quantidade maior de água), o que indica que essas plantas não precisam de regas frequentes para manter o seu vigor. Você pode deixar a superfície do solo secar entre as regas, pois manter a peperômia em solo seco é melhor do que em solo encharcado.

Solo muito encharcado pode causar a podridão das raízes e outros problemas relacionados à saúde da planta, como fungos.

Grande parte dos tipos de peperômias morrem com geada e temperaturas baixas, portanto, se você tiver vasos fora de casa, procure protegê-los ou trocá-los de lugar nas estações mais frias. Além disso, no inverno, você pode reduzir significativamente a quantidade de regas. Algumas pessoas que cultivam peperômias, nem regam suas plantas durante os meses mais frios.

Qual o clima ideal para a peperômia? Temperatura e umidade adequados

Por serem plantas de origem tropical, as peperômias preferem um ambiente de clima quente e úmido, especialmente nos meses de verão, que é quando o seu crescimento é mais ativo. Quando plantadas ao ar livre, não podem ser expostas a temperaturas inferiores a 0 ºC.

É preciso adubar ou fertilizar a peperômia?

Quando se trata de nutrir, fertilizando ou adubando a peperômia, menos é mais. O que significa isso? Como ela é um epífita de crescimento lento, uma peperômia pode passar toda a sua vida sem receber nenhum nutriente suplementar, pois ela obtém todos os nutrientes que precisa do ambiente onde está sendo cultivada.

Diferentemente de muitas outras espécies de plantas, folhas descoloridas ou murchas geralmente são um sinal de que estão recebendo luz inadequada ou rega excessiva, não é sinal de má nutrição.

Como podar a peperômia?

A peperômia deve ser podada levemente e preferencialmente no início da primavera para corrigir qualquer crescimento esparso e de caules demasiadamente alongados. Eliminar as hastes que se sobressaem ajudará a aumentar a aparência exuberante dessa planta, incentivando mais ramificações. Ao podar, corte a ponta de cada caule e o primeiro conjunto de folhas.

Como propagar a peperômia?

As peperômias podem ser propagadas em qualquer estação do ano, embora a primavera seja quando seu crescimento é mais ativo e provavelmente a melhor época para fazer a propagação.

Se você vai podar suas plantas na primavera, pode aproveitar o crescimento extra de um caule e propagar facilmente a partir desse corte. Veja a seguir como fazer isso.

# Corte uma folha da planta mãe, incluindo pelo menos 2,5 centímetros de seu caule.

# Enterre esse caule em um pequeno recipiente cheio de terra para vasos.

# Coloque o recipiente em um local claro com muita luz indireta.

# Cubra com filme ou um saco plástico para criar um ambiente de mini estufa que ajudará a reter a umidade.

# Regue de forma consistente e nunca deixe o solo secar. Fazendo assim as raízes se formarão dentro de algumas semanas.

# Com as raízes formadas você pode transplantar sua muda para o vaso definitivo.

A peperômia pode ser plantada a partir de sementes?

O ideal é propagar a partir de estaqueamento conforme ensinamos acima, porém, se você não tem uma planta mãe da variedade que pretende cultivar, pode fazê-lo através de sementes.

Para cultivar peperômia a partir de sementes, você precisará depositar algumas sementes sobre um recipiente com substrato ou terra. Mantenha o solo consistentemente úmido até que ocorra a germinação, pode demorar de 15 a 30 dias para as mudas emergirem.

Transplante as mudas jovens para um um recipiente maior que pode conter uma mistura para orquídeas e coloque esse recipiente em um local claro e com sol indireto. Evite regar demais à medida que a planta cresce, quanto mais desenvolvida, menos água ela necessita.

Como envasar e como transplantar a peperômia?

Conforme já explicamos, as peperômias podem viver por anos em um recipiente relativamente pequeno. Isso acontece porque elas têm uma nutrição muito pouco dependente das suas raízes, que, combinado com sua taxa de crescimento lenta não vai aumentar muito suas raízes.

Portanto, você pode deixar suas peperômias sem transplantar até que perceba suas raízes saindo dos orifícios de drenagem, o que demorará ou talvez nunca aconteça. Use uma mistura de envasamento ácida ou casca de orquídea no novo vaso.

O plantio em vasos é a maneira mais popular de cultivar a peperômia atualmente. Escolha sempre um vaso que tenha excelente aeração para promover um sistema radicular saudável. Um vaso de orquídea com grandes aberturas é bem adequado, desde que você use casca de orquídea que não saia pelos orifícios de drenagem.

Os vasos de barro também são excelentes recipientes para peperômia porque sua natureza porosa evitará que o solo fique muito úmido se você regar demais por engano.

Como fazer para a peperômia florescer?

A peperômia raramente floresce quando cultivada em locais fechados e em vasos, mas ocasionalmente isso pode acontecer. Suas flores não tem aroma e têm o formato de espigas finas nas cores marrom, branca, bege e branco-esverdeado.

Para muitas pessoas elas nem se parecem com flores, acham que são ramificações, prejudicando a aparência da planta. Você pode cortá-las na base do broto ou deixá-las cair quando a flor murchar naturalmente.

Sua época de floração natural é o verão, mas se você tiver iluminação e temperaturas internas que imitem o verão, ela pode florescer a qualquer momento em ambientes fechados.



Quais são os problemas mais comuns da peperômia?

A peperômia é uma planta de baixa manutenção que não precisa de muita água nem cuidados específicos. Uma vez que você identificar um local de sol forte – mas não direto – e oferecer água sem exagero praticamente terá o sucesso do cultivo garantido. No entanto, ocasionalmente sua planta pode precisar de alguns cuidados adicionais, portanto, observe alguns sinais.

Pragas comuns da peperômia

As peperômias também estão sujeitas a pragas comuns que podem afetar a maioria das plantas cultivadas em interiores, como cochonilhas, ácaros e moscas brancas. O sabão inseticida é o tratamento mais fácil e eficiente para essas pragas.

Peperômia com folhas descoloridas, caídas e cheiro de podridão

A podridão da raiz é uma doença causada pelo excesso de água na planta. Você vai perceber um cheiro de podridão ao se aproximar dela e seus caules moles. Isso muitas vezes é um sinal de uma infecção fúngica.

Para evitar a podridão das raízes ou doenças fúngicas, certifique-se de que o solo da planta esteja completamente seco ao toque antes de regá-la. Se você perceber a podridão das raízes no início, você pode tentar salvar esta planta em vez e descartá-la.

# Para tentar salvar sua planta infectada, retire-a do vaso e corte as raízes apodrecidas (que estiverem pretas ou marrom-escuras e moles).

# Lave bem as raízes saudáveis ​​restantes, coloque a planta em um lugar seco e deixe as raízes secarem por algumas horas.

# Descarte o solo e esterilize seu vaso em uma solução de água sanitária diluída. Você precisará de um solo novo, fresco e bem drenado.

# Em seguida, replante-a no vaso limpo com o solo fresco.

Peperômia com folhas enroladas ou amareladas

Na maioria dos casos, quando as folhas da peperômia ficam amarelas ou começam a enrolar, isso significa que ela está recebendo muita água. Retire as folhas amareladas. Você pode remover a planta do vaso e adicionar algumas pedras na camada inferior do vaso para melhorar a drenagem. Isso evita que o fundo das raízes fique em contato com água parada.

Peperômia com folhas deformadas

Se você perceber folhas deformadas, saiba que isso também, na maior parte das vezes, é causado pelo excesso de água na planta. Retire as folhas deformadas e a planta deve voltar a crescer saudável. Para evitar que esse problema ocorra novamente, certifique-se de regar a planta somente quando o solo estiver seco e espaçar mais as regas.

Planta de peperômia murcha

Se você perceber que sua planta parece estar murchando, provavelmente ela não esteja recebendo ar suficiente para suas raízes. Replante-a em um solo mais arejado.

Solo da peperômia mofado

O excesso de água as vezes também faz com que um mofo esbranquiçado cresça na superfície do solo. Para evitar essa condição, regue apenas quando o solo estiver seco. Para resolver o problema, remova a camada superior do solo que esteja infectada e substitua-a. Entretanto, se o mofo parecer estar mais espesso e adentrando pelo solo, substitua o solo da mesma forma que ensinamos na podridão das raízes.

Peperômia perdendo as folhas

Se a peperômia estiver perdendo as folhas e você não estiver regando demais a planta, tente movê-la para um local com um pouco mais de luz. Não a coloque no sol direto, mas você pode realocar a planta perto de uma janela com luz direta mais intensa.

Quais são os tipos de peperômia?

Conforme já comentamos existem muitas variedades diferentes de peperômia, com muitas variações de cores e texturas de folhas, muitas delas são plantas excepcionais para cultivo indoor.

Vamos relacionar apenas algumas dessas variedades, por serem as mais populares, e como você poderá observar, algumas muito diferentes entre si. Caso você queira ir mais além e pretenda se tornar um especialista em peperômias, tem muito estudo pela frente.

Peperômia caperata marrom

É uma planta perene, resistente e compacta, excelente para cultivar em ambientes internos e para quem quer uma planta que ocupe pouco espaço. Suas folhas são de uma tonalidade entre marrom e vermelho, podem ser arredondadas ou em formato de coração e têm texturas que a fazem parecer enrugada. Quando floresce, forma pequenas espigas de flores brancas ou creme.

Peperômia argyreia (melancia)

A peperômia argyreia é também conhecida como peperômia melancia pelo fato de suas folhas lembrarem cascas de melancias. É uma espécie que exige muito pouco cuidado e não pode receber luz solar direta para não queimar suas folhas. Ela pode ser cultivada tanto como um pequeno arbusto como pendurada, em forma de pendente.

Peperômia clusiifolia (rainbow)

A peperômia clusiifolia também é conhecida como peperômia rainbow (arco-íris em inglês) em função do colorido de suas folhas. Ela é uma espécie que exige um pouco mais de cuidados, pois não tolera climas frios. Se adapta bem em ambientes com luminosidade mais baixa, mas sua exuberância e bordas vermelhas vibrantes só aparecem se cultivada em um local com maior incidência solar.

Peperômia obtusifolia (limão)

A peperômia obtusifolia também é conhecida como peperômia limão. Essa é uma das espécies que na natureza cresce como uma epífita, planta que se desenvolve sobre outras plantas, mas sem serem parasitas. Suas folhas são arredondadas é retêm muita água, portanto não exige regas muito frequentes. O excesso d’água pode prejudicá-la.

Peperômia nivalis

A peperômia nivalis é uma suculenta com folhas e caule grossos e de um verde-claro e homogêneo. Os seus caules carnudos produzem uma seiva com perfume de anis. Ela prospera em luz forte indireta e necessita poucas regas, você pode esperar o solo secar completamente para regá-la novamente. Eventualmente ela produz flores que não têm um aroma muito agradável.

Peperômia caperata rosso

A peperômia caperata rosso, ou simplesmente peperômia rosso, é muito parecida em cuidados e desenvolvimento com a caperata marrom. Também, assim como ela, ocasionalmente desenvolve flores em formato de espigas. Para conseguir a floração, coloque-a em um local muito claro. As regas devem ser feitas somente quando o solo estiver seco, entretanto não podem ser muito espaçadas.

Peperômia obtusifolia variegata

A peperômia obtusifolia variegata, ou somente peperômia variegata, tem folhas redondas e largas mescladas em verde e amarelo. Essa é uma das espécies de peperômia que possui as folhas menos padronizadas, o que é considerado por alguns um charme na decoração.

Como já escrevemos acima, são muitas as variedades possíveis de serem cultivadas, vamos listar a seguir mais algumas peperômias muito comuns no Brasil, com muitas variações e de fácil cultivo, são elas:

  • Peperômia prostata ou colar de tartarugas;
  • Peperômia metallica ou colombiana;
  • Peperômia filodendro;
  • Peperomia perciliata;
  • Peperômia verticillata;
  • Peperômia incana ou feltrada;
  • Peperômia serpens ou pendente;
  • Peperômia rubella;
  • Peperomia blanda;
  • Peperômia magnoliifolia ou tricolor.


Se você gostou destas dicas, provavelmente também vá gostar dessas:
Para que serve, como plantar, cultivar e cuidar da camomila
Como plantar e como cuidar da jiboia (Epipremnum aureum)
Como plantar e como cuidar de Lírios de Calla? Saiba tudo sobre essa linda flor…
Como plantar e cultivar Rosa do Deserto
Como limpar as plantas de dentro de casa?
Benefícios, como plantar e como cuidar da Ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata)

Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *