Conheça o estilo de design transicional, com dicas e muitas fotos para você se inspirar

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 5 minutos

Com características atemporais, harmoniosas e aconchegantes, o estilo de design transicional combina as sensibilidades tradicionais e modernas para criar espaços que sempre serão contemporâneos.

Se o estilo de decoração tradicional pode algumas vezes transmitir uma sensação antiga e pesada e o estilo de decoração moderno ter como base apenas a elegância, o design transicional veio para procurar somar esses dois estilos, buscando agregar somente o que cada um deles tem de melhor para transmitir uma sensação equilibrada entre o que é clássico e o que é novo.

O que significa estilo de decoração transicional?

Em sua essência, o conceito de design transicional (ou estilo de transição) é procurar o equilíbrio entre algumas características do design tradicional e do design moderno.

Mas então, afinal, o que é estilo de transição na prática? Um dos maiores motivos para a ascensão do design transicional é a busca por produtos mais duradouros.

Portanto, não é por acaso que os interiores clássicos (ou tradicionais) estão entre os estilos de design preferidos, pela robustez de seus móveis.

O estilo clássico é originário da arquitetura grega e romana. Nesse estilo, a opulência e o requinte são as características mais apreciadas, com linhas elegantes e trabalhadas, aplicadas em móveis que duram a vida toda.

Já bem mais recentemente, no início do século XX, surgiu o movimento modernista como contraponto ao mobiliário clássico, considerado pesado pelos líderes do movimento.

O conceito de então era “a forma segue a função”, o principal expoente dessa nova forma de decorar foi a escola Bauhaus, que detalhamos melhor no texto “O que é decoração em estilo Bauhaus e muitas ideias para inspiração“. Para eles a funcionalidade é um princípio primordial e não há há espaço para objetos de decoração em excesso e sem uma função definida.

A proposta é não haver sobreposição

A mescla dessas duas visões opostas de decorar, combinando móveis, acabamentos, materiais e tecidos tradicionais e contemporâneos em equilíbrio, onde nenhum dos dois se sobrepõe, é que caracteriza o estilo transicional, criando assim um ambiente atemporal, confortável e único (personalizado).

Em um ambiente com decoração de transição, as formas dos móveis apresentam sofisticação direta, itens com ângulos retos e linhas bem definidas compartilham o espaço com itens de perfil arredondado e trabalhado. A decoração transitória mantém as linhas clássicas dos estilos tradicionais, entretanto as cores e os móveis são tipicamente mais modernos em sua aparência.

O estilo de transição é frequentemente descrito como uma mistura equilibrada de móveis e decoração tradicionais e contemporâneos. As pessoas que gostam de um visual tradicional “mais leve” escolhem esse estilo porque a decoração de transição tende a se estender por várias décadas com a capacidade de sempre parecer renovada.

A decoração de transição envolve linhas suaves e móveis confortáveis, mas sem o peso do estilo tradicional. As paletas de cores tendem a seguir as do estilo tradicional e são reduzidas ao mínimo, comportando uma paleta de cores em tons suaves e neutros, criando uma atmosfera limpa e serena. Tons de cinza, bronze e creme podem combinar com marrom escuro para criar uma maior profundidade.

Cores no design transicional

No entanto, isso não significa que os tons neutros sejam a única cor do ambiente, apenas que pode haver menos cores incorporadas à decoração geral. O estilo, por outro lado, é menos ousado do que normalmente se encontraria em um espaço contemporâneo, repleto de cores vibrantes. Ele mistura elementos de ambos os estilos com texturas, cores e móveis que, de alguma forma, parecem combinar perfeitamente.

A natureza elementar de um ambiente de transição comporta uma amplitude considerável quando se trata de tecidos. Padrões gráficos em sofás e estofados convivem à vontade com chenilles texturizados, desenhados em elegantes molduras de madeira.

Em resumo, o estilo de transição resulta em um design elegante e atemporal que combina o novo e o antigo de uma maneira harmônica. Essa combinação de dois estilos de design de interiores opostos oferece liberdade ilimitada com a capacidade de misturar e combinar peças de decoração para criar um design coeso.

Entretanto, pode ser difícil encontrar o equilíbrio certo quando você está tentando obter essa aparência, e é por isso que muitas vezes é preciso planejar com cuidado, principalmente quando a funcionalidade de um ambiente entra em jogo.

A decoração de transição feita da maneira certa
Como fazer para a decoração de transição atingir seu objetivo?

Com base em tudo o que escrevemos acima, listamos algumas das características típicas da decoração de transição, que incluem observar as seguintes regras:

1. Aplicar cores neutras, como creme, tons de cinza, marrom e preto;
2. Você pode utilizar paletas de cores tom sobre tom;
3. O contraste é destacado por meio de texturas ou tons;
4. Utilizar focos simples, como uma parede;
5. Acessórios mínimos, somente os essenciais;
6. Móveis e objetos em estilo antigo. Podem ser novos ou usados, em bom estado ou restaurados;
7. Tecidos como camurça, chenille e couro;
8. Móveis arrojados, com linhas clássicas e simples, mas sem muitas curvas;
9. Criar um ambiente que transmita uma sensação de sofisticação;
10. Usar móveis e objetos de decoração espelhados, tanto de vidro como metálicos;

A decoração de transição é um estilo próprio e único
Diferença entre design de transição e design eclético

A decoração de transição é frequentemente confundida com o estilo eclético, entretanto esses estilos são muito diferentes. No design transicional geralmente são utilizados móveis contemporâneos misturados com antiguidades, porém, mesmo essas peças clássicas serão sofisticadas e terão linhas simples e clássicas.



Já o estilo eclético é muito menos refinado e consistente. Por vezes ele incorpora um tipo de item independente ou em grupo. Não há nem um equilíbrio entre o moderno e o clássico, nem a obrigatoriedade de conter um dos dois.

Por exemplo, uma sala de estar decorada em estilo eclético poderia ter duas mesas laterais diferentes ancorando o sofá e com duas lâmpadas diferentes sobre elas, enquanto uma sala com decoração de transição provavelmente teria esses acessórios combinando entre si e as mesas seriam idênticas.

Em uma cozinha, o estilo eclético poderia conter armários pintados à mão e uma ilha de cozinha com eletrodomésticos de cores diferentes, já em uma cozinha de estilo transicional, essa ilha até poderia ser de madeira recuperada, mas com todos os eletrodomésticos sobre ela de aço inoxidável, mantendo um mesmo padrão.

Já em uma sala, os acessórios das janelas seriam mais simples e nítidos em uma sala de estilo transicional, enquanto uma sala eclética poderia haver revestimentos de janela mais ornamentados e exagerados.

Em síntese, a decoração eclética intencionalmente mistura de uma forma aparentemente casual diversos estilos de decoração sem uma preocupação com regras rígidas, enquanto na decoração de transição existem regras rígidas para equilibrar o antigo e o moderno.

Veja abaixo a galeria de ambientes com decoração transicional que selecionamos para você se inspirar na criação do seu próprio estilo de transição.

Galeria de imagens de design transicional


Leia também:
Evite os 10 erros mais comuns na decoração da sala de estar
40 ideias de salas de estar acolhedoras e aconchegantes e dicas de como planejá-las
O que é um apartamento eficiente?
Cozinhas Americanas – Ideias e Dicas
Decorando com quadros vazios, ideias e dicas
Algumas maneiras de repaginar os móveis e os ambientes da sua casa
Como encontrar e ativar o cantinho do dinheiro aplicando o Feng Shui na sua casa
O que é kindercore? Tudo o que você precisa saber

Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *