O que é um apartamento eficiente?

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 7 minutos

Surgiu mais um termo que pode-se dizer que é mais para marketing imobiliário do que realmente um novo tipo de imóvel, o “apartamento eficiente”. Utilizado inicialmente nos EUA, aos poucos ele já está chegando aqui no Brasil.

Essa expressão pretende identificar um tipo de apartamento com acomodação básica. Adequada para ser um primeiro apartamento ou um apartamento temporário, ou ainda uma opção de habitação acessível para minimalistas, que preferem viver sozinhos e se preocupam com o orçamento mensal.


Para não ter uma surpresa desagradável ao ser atraído por um anúncio de um apartamento eficiente, antes de conhecê-lo, sugerimos a leitura de todo esse texto para descobrir se ele realmente é para você.

O que é um apartamento de eficiência?

O apartamento de eficiência, ou apartamento eficiente – há quem chame também de apartamento funcional, porém esse termo é mais usado para apartamentos de funcionários públicos em Brasília -, é um pequeno apartamento de espaço aberto, no qual as áreas de estar, jantar, cozinha e quarto estão contidas em um único cômodo, somente o banheiro é um cômodo separado. Fiel ao seu nome, combina a funcionalidade de vários cômodos em apenas um.

Talvez você possa estar pensando: “Mas isso é um estúdio”. Sim, é verdade, os apartamentos eficientes e os estúdios são muito semelhantes e os dois termos costumam ser usados ​​de maneira intercambiável. Entretanto, apesar de não existir uma regra rígida que defina cada um, essas duas alternativas de moradia não são exatamente iguais.

Pode-se dizer também que o apartamento de eficiência não é exatamente a mesma coisa, mas é mais ou menos o que a maioria das pessoas costumava chamar de kitnet, quitinete, ou JK, referindo-se a apartamentos diminutos e com poucas ou apenas um cômodo.

Qual a diferença entre um apartamento de eficiência e um estúdio?

Conforme comentamos acima, os apartamentos eficientes são muito semelhantes aos estúdios, mas ele têm algumas diferenças importantes, por isso foi criado esse novo termo pela indústria da construção civil e imobiliárias.

Os apartamentos de eficiência geralmente são menores do que os estúdios e vêm com menos recursos, além disso, provavelmente eles não terão uma área de cozinha separada dos outros cômodos, como os apartamentos do tipo estúdio. Além disso, nos apartamentos eficientes o espaço para a cozinha será menor e ela será mais limitada.

Também os banheiros (que são peças separadas) em apartamentos eficientes são geralmente menores do que os banheiros encontrados em estúdios. Além disso, provavelmente não haverá uma banheira, apenas um chuveiro, e o espaço do balcão com pia será menor.

Quanto ao estúdio, embora a disposição dos apartamentos tenha variações, a maioria deles apresenta uma planta baixa semelhante. Os apartamentos estúdio são essencialmente um quarto combinado, com quarto e sala de estar no mesmo espaço, porém a cozinha pode estar separada ou não, e se não estiver separada, provavelmente o espaço seja maior e ela seja bem mais completa, podendo ser uma cozinha americana, com o conceito de espaço aberto.

Pode-se dizer também, resumidamente, que o apartamento eficiente é uma versão mais simples, menor e mais econômica de um estúdio. Isso envolve portanto o tamanho, a cozinha, a ocupação e o preço.

Os apartamentos eficientes na história da construção civil

Embora os apartamentos econômicos (também são chamados assim) sejam geralmente a forma de moradia mais barata disponível no mercado, a definição do que constitui um apartamento econômico pode variar de acordo com a região e o período de tempo em que foi construído.

O termo apartamento econômico – que seria similar ao apartamento de eficiência -, foi usado pela primeira vez por volta do ano de 1930. No final dos anos 1920, o incorporador imobiliário Fred F. French construiu o bairro de Tudor City, no lado leste de Manhattan, NY, EUA. Foi o primeiro complexo residencial de arranha-céus do mundo.

Eles eram destinados aos trabalhadores urbanos, que muitas vezes moravam nesses apartamentos minúsculos durante a semana e caminhavam até a Grand Central Station próxima para pegar o trem para suas casas nos subúrbios, nos fins de semana, onde moravam suas famílias.

As unidades tinham as chamadas Camas Murphy (camas de dobrar embutidas), mas originalmente não incluíam cozinhas, uma vez que os moradores do prédio tinham acesso a três restaurantes exclusivos, de onde podiam solicitar serviço de quarto por telefone.

Como tudo na indústria da construção é cíclico, hoje os apartamentos econômicos voltaram e podem ser oferecidos para venda ou locação, mobiliados ou não e o uso do termo apartamento eficiente está se difundindo rapidamente, principalmente em grandes cidades.

Os apartamentos eficientes podem ser encontrados em qualquer lugar, mas são uma característica de cidades muito populosas e densas, com imóveis de alto custo, onde o espaço é valioso e há uma rotatividade constante de pessoas em busca de opções de habitação a preços acessíveis perto do seu trabalho.

Pode-se ainda argumentar que qualquer apartamento pequeno poderia ser tecnicamente descrito como um apartamento eficiente, desde apartamentos dormitórios em estações a pequenos estúdios, até o que costumava ser conhecido como apartamentos de solteiro.

Porém, os arquitetos, incorporadoras e corretores de imóveis preferem termos de marca que soem mais atuais, como micro apartamento, apartamento minúsculo – para aproveitar a popularidade do movimento das casas minúsculas – ou mesmo, mini loft.

Quais as vantagens de morar em um apartamento de eficiência?

Se um apartamento de eficiência é super limitado e diminuto, então, porque alguém escolheria morar nele?

Com isso, voltamos ao que comentamos no início desse texto, quando escrevemos que você precisa se preparar para o que vai encontrar, caso esteja avaliando essa possibilidade.

Não deixe o pequeno espaço te assustar antes de considerar os benefícios que ele pode oferecer. Sim, existem alguns benefícios em morar em um apartamento eficiente.

Localização

A localização desempenha um papel importante em qualquer busca por moradia. Se você está considerando um apartamento pequeno e econômico, provavelmente esteja planejando morar em uma parte movimentada da cidade e não quer gastar muito.

Por exemplo, você pode conseguir pagar o valor de um apartamento de um quarto a vinte minutos do local onde está procurando utilizando transporte público, mas se optar por um apartamento pequeno, isso vai permitir morar no local desejado pelo mesmo valor com benefícios adicionais enormes.

Estando onde deseja, você poderá ir a pé aos locais que pretende em vez de dirigir ou gastar com transporte e ainda vai ganhar horas de seus dias sem ficar parado no trânsito. Portanto, se morar em uma parte movimentada da cidade é o seu sonho, morar em um apartamento pequeno pode realizá-lo a um custo baixo.

Economia

Morar em um apartamento eficiente pode economizar muito dinheiro. Se você planeja morar em um local desejável, mas tem um orçamento apertado, apartamentos eficientes são uma boa opção a preços acessíveis.

O aluguel ou o valor de compra é quase sempre mais barato para esse tipo de imóvel. Trocar um apartamento de um quarto por um apartamento eficiente pode gerar uma economia substancial.

Além do aluguel mais barato, você terá uma economia ainda maior em um apartamento pequeno. Você precisa de menos móveis, menos decoração e gastará menos com utilidades domésticas. Antes de tomar uma decisão, certifique-se de levar em consideração essas economias.

Organização

Infelizmente, morar em um apartamento econômico significa que você terá menos espaço para armazenamento, essa falta de espaço pode ser um obstáculo para algumas pessoas, que têm muitos pertences.

Porém, há pessoas que podem ver isso como uma oportunidade de descartar alguns de seus pertences inúteis, ficando mais fácil manter organizadas menos coisas. Além disso, você vai pensar duas vezes antes de gastar dinheiro com coisas desnecessárias que podem se transformar em um transtorno dentro de sua casa, ou seja, fará ainda mais economia.

Limpeza

Você detesta ou não tem tempo para as tarefas domésticas? Os apartamentos eficientes podem ser a solução perfeita para você. Em um apartamento com muito menos espaço você terá muito menos para limpar. E se precisar contratar alguém para fazer a limpeza, certamente o valor cobrado será muito menor.

Quais as desvantagens de morar em um apartamento de eficiência?

As restrições de espaço podem ser um choque para as pessoas que preferem espaços maiores.

A falta de privacidade para as pessoas que compartilham o espaço torna os apartamentos eficientes melhores para as pessoas que moram sozinhas ou casais que compartilham tudo e não tenham filhos. Para pessoas que apenas dividem apartamento, sem relacionamento afetivo, talvez seja mais difícil o convívio diário.

Pode ser difícil para pessoas acostumadas a morar em grandes espaços se adaptarem e decidirem o que fazer com todos os seus pertences.

Pessoas que costumam receber visitas de amigos ou parentes não terão um espaço adequado para isso.

Requer limpeza diária para que o único cômodo onde você vai passar a maior parte do tempo quando estiver em casa não fique desagradável.

Cozinhas menores, muitas vezes sem forno ou com fogão pequeno podem limitar as opções de alimentação.

Haverá menos espaço para lazer e outras atividades que você costuma realizar em casa.

Como decorar um apartamentos de eficiência?

Quem opta por um apartamento eficiente precisa estar ciente de que cada centímetro de sua moradia precisa ser aproveitado. Portanto o conceito minimalista de “menos é mais” se torna imprescindível e precisa ser praticado, de forma que o mínimo de espaço permita o máximo de funcionalidades.

Para maximizar o espaço útil, considere utilizar móveis multifuncionais, como cama Murphy (cama de dobrar), sofá-cama, mesa de jantar expansível e pufes com armazenamento embutido.

Utilize ao máximo espaços verticais e na parede para armazenamentos.

Instale iluminação no teto ou nas paredes em vez de abajures, para manter o espaço limitado do piso livre para transitar.

Use sempre cores claras nas paredes, móveis e objetos para criar a ilusão de que o espaço é maior. Móveis transparentes também são uma boa solução. Procure utilizar a mesma cor nas paredes, teto e enfeites para criar uma sensação arejada.

Instale espelhos voltados para as janelas ou em cantos escuros para refletir a luz e adicionar perspectivas e vistas adicionais.

Escolha móveis apropriados para espaços pequenos, que tenham a proporção certa para o tamanho da sala.

Crie um fluxo definindo com áreas separadas com a disposição dos móveis, tapetes, divisórias ou faça um planejamento de espaço inteligente.

Se o pé-direito for alto, considere colocar a cama elevada.


Se você gostou desse assunto, provavelmente também vá gostar destas outras postagens:
Decorando uma sala com plantas artificias
Como transformar um espaço pequeno em um escritório, 20 ideias para inspiração…
Como encontrar e ativar o cantinho do dinheiro aplicando o Feng Shui na sua casa
Dicas para montar uma sala de jantar pequena + 50 ideias
O que fazer para um ambiente parecer maior
Decoração com paletes: a nova febre do design de interiores
Decorações lindas e originais feitas com objetos que você tem em casa
Você mora em uma casa ou um lar?

Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *