Descubra quais são as principais causas dos incêndios domésticos e saiba como evitá-los

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 9 minutos

Infelizmente o fogo é uma força imprevisível e pode aumentar muito rapidamente, transformando uma situação aparentemente sob controle em uma situação muito perigosa em instantes. Acidentes causados pelo fogo muitas vezes podem ser devastadores.

Os incêndios residenciais, muito além de causar danos materiais, podem causar ferimentos graves e até mortes. Nesse texto vamos abordar as principais causas de incêndios residenciais e como evitá-las para que você possa atentar para esse grave problema.


As lesões causadas em razão dos acidentes com fogo, além de terem um potencial de serem muito graves, muitas vezes se transformam em problemas de saúde permanente. Essas lesões podem ser causadas desde queimaduras de terceiro grau até a inalação de fumaça, por isso a melhor atitude a tomar é prevenir as principais causas de incêndios domésticos.

Como prevenir incêndios domésticos?

Para prevenir os incêndios domésticos, primeiramente é preciso entender como eles começam e quais as principais causas.

São inúmeros os relatos de casos de incêndios domésticos que cresceram em uma velocidade e imprevisibilidade assustadora, espalhando-se incontrolavelmente em segundos e que terminaram por dizimar uma residência em poucos minutos.

Selecionamos abaixo uma lista das causas mais comuns que desencadeiam esses incêndios domésticos, os danos que eles podem causar e como evitá-las.

Não encontramos estatísticas precisas sobre incêndio doméstico no Brasil, portanto selecionamos algumas estatísticas norte americanas para ajudar você a entender a gravidade de cada uma delas. Certamente, os números do Brasil, proporcionalmente, devem coincidir.

De acordo com estatísticas divulgadas pela National Fire Protection Association (NFPA) – organização internacional sem fins lucrativos que se dedica a diminuir mortes e ferimentos, proteger propriedades e diminuir perdas econômicas causadas por incêndios e problemas elétricos -, a cada ano há mais de 350.000 incêndios domésticos nos Estados Unidos, que causam mais de 2.500 mortes.

Esses incêndios podem ser iniciados de várias maneiras, mas a maioria deles se enquadra em um desses dois motivos: incêndios provocados ​​por materiais combustíveis que inflamaram na presença de calor e incêndios causados ​​por reações químicas.

Nossas casas estão repletas de objetos e materiais que podem entrar em combustão sob condições favoráveis a que isso aconteça. Algumas das causas comuns de incêndios domésticos são bem conhecidas de todos, enquanto outras podem realmente ser surpreendentes.

Identificar quais são essas causas e reduzir os riscos ajuda a diminuir a chance de incêndio em uma casa, preservando a saúde dos moradores e diminuindo custos com danos materiais.

O perigo dos incêndios relacionados à cozinha

Segundo a NFPA, os incêndios iniciados na cozinha estão entre os acidentes domésticos mais comuns, eles são os causadores de cerca de 49% de todos os incêndios residenciais e a segunda causa de mortes em incêndios domésticos. Esse tipo de incêndio muitas vezes é causado por gorduras que superaquecem na chama do fogão ou no forno.

A gordura é altamente inflamável quando aquecida em demasia, um óleo aquecido a cerca de 315°C pode entrar em combustão espontaneamente mesmo sem contato direto com o fogo.

Quando a gordura arde em chamas é muito difícil e perigoso abafá-las. Portanto nunca deixe a cozinha sem vigilância ao utilizar óleo ou quando estiver cozinhando alimentos que produzam gordura, como o bacon e outras carnes gordas.

A maioria dos incêndios de cozinha se inicia porque o fogo ficou aceso sem supervisão no fogão ou no forno. Nesses casos, quando o fogo é percebido, geralmente é tarde demais para agir.

Para diminuir esse risco, além de evitar deixar fogões acessos sem a presença de um adulto responsável, procure manter suas panelas que vão ao fogo sempre limpas e livres de gorduras externas.

Quando o óleo de cozinha estiver muito quente, ele começará a soltar fumaça e explodirá em chamas. Se você observar nuvens de fumaça sobre a panela, será necessário agir rápido para evitar que o fogo acenda.

O que fazer quando a gordura pega fogo?

Se o óleo ou a gordura que você estiver utilizando na cozinha atear fogo acidentalmente, o que você deve fazer? Primeiro elimine imediatamente a fonte de calor, a seguir cubra a panela que está com o óleo incendiando com uma tampa de metal para abafá-lo. Caso isso não seja suficiente, despeje bicarbonato de sódio generosamente sobre a gordura que está queimando.

Se o fogo tomar uma proporção maior, não corra riscos desnecessários, se tiver um extintor de pó químico seco Classe B você pode utilizá-lo, caso contrário evacue o local e chame o corpo de bombeiros.

E o que você NÃO DEVE fazer? Nunca utilize água para apagar fogo de óleo, ela só vai espalhar o fogo mais ainda e pode provocar acidentes graves, além disso, não tente transferir a panela ainda quente para outro lugar. Apenas o bicarbonato de sódio pode ser utilizado e nenhum outro material.

Aparelhos de cozinha portáteis, como torradeiras e grelhas elétricas também podem se transformar em uma fonte de incêndio. Nunca deixe esses aparelhos ligados sem supervisão e certifique-se de que estejam frios ao toque antes de guardá-los em um espaço de fácil combustão. As torradeiras devem ser limpas regularmente de migalhas que podem pegar fogo ao se acumularem dentro do aparelho.

Tome cuidado também com panos de prato perto das chamas do fogão, eles podem iniciar um incêndio com muita facilidade.

O risco de incêndio provocado por aquecedores portáteis



Os aquecedores portáteis são a segunda principal causa de incêndios e queimaduras ocorridos em residências. A razão pela qual eles provocam tantos incêndios é que muitas pessoas não respeitam os requisitos de espaço exigidos para a utilização desses aparelhos.

Os aquecedores de ambiente são responsáveis ​​por aproximadamente 12% de todos os incêndios domésticos. De acordo com a Consumer Products Safety Commission (CPSC) – agência governamental do congresso norte americano para a segurança do consumidor -, esses aparelhos causam cerca de 25.000 incêndios domésticos no país todos os anos, provocando mais de 300 mortes.

Os aquecedores têm instruções específicas na caixa ou na etiqueta para que seus usuários saibam o quão perto eles podem ser colocados de outros objetos, móveis, tecidos ou paredes. Ao utilizar um aquecedor portátil é importante estar ciente de que não são apenas recomendações, são requisitos básicos que foram testados e que sua observância é necessária para garantir o seu uso seguro e sem riscos.

Esteja ciente também de que aquecedores que usam combustível, como querosene por exemplo, têm maior probabilidade de causar incêndio em uma casa do que os aquecedores elétricos. Já os aquecedores elétricos não devem ser ligados em qualquer tomada, certifique-se de que a tomada onde ele vai estar plugado suporta a energia que ele irá demandar.

Com a grande variedade de opções e tipos de aquecedores de ambiente existentes é importante sempre saber as diretrizes de segurança do modelo que você está utilizando para manter você e sua família protegidos de qualquer incêndio potencial causado por ele.

Colocar um aquecedor de ambiente próximo a uma pilha de roupas ou a uma parede pode causar um aumento gradual de calor que resultará na ignição do material inflamável, peça de mobília ou parede. Se uma parede pegar fogo, você deve evacuar o local o mais rápido possível, não arrisque sua vida tentando apagar esse tipo de fogo.

Incêndios causados por eletricidade

Os incêndios causados ​​em residências por tomadas elétricas com problemas ou por fiação defeituosa, ou inadequada, e que por isso provocam curto-circuito, também são responsáveis ​​por uma grande parte dos incêndios domésticos.

De acordo com a Electrical Safety Foundation International (ESFI) – organização sem fins lucrativos da Virgínia, EUA, dedicada exclusivamente à promoção da segurança elétrica em casas, escolas e locais de trabalho -, os incêndios elétricos são responsáveis ​​por ​​cerca de 10% de todos os incêndios residenciais, ocorrendo mais de 51.000 incêndios domésticos, com 1.400 feridos e mais de 500 mortes por ano nos EUA.

Apesar de representar apenas 10% dos incêndios, o fogo causado por problemas elétricos costumam ser mortais, sendo responsável por cerca de 18% das mortes causadas por incêndios domésticos. A causa disso provavelmente seja porque os curtos-circuitos costumam ocorrer em locais escondidos e se transformam em grandes incêndios antes que possamos perceber, além disso, esses incêndios frequentemente podem começar no momento em que estamos dormindo ou fora de casa.

Os curtos-circuitos geralmente são provocados por instalações elétricas sobrecarregadas, causando o superaquecimento dos fios. Isso gera faíscas que inflamam os materiais de construção ou outros materiais inflamáveis que sejam alcançados por essas faíscas.

Como evitar incêndios provocados por eletricidade

Para evitar possíveis acidentes elétricos que possam resultar em um incêndio, verifique a situação de suas tomadas e da fiação elétrica periodicamente, principalmente se você mora em um imóvel muito antigo. Se você perceber tomadas ou fios elétricos esquentando isso pode ser indício de uma sobrecarga elétrica.

Outra medida importante é não ligar equipamentos que exijam mais energia que uma tomada possa suportar e não deixar plugado na tomada equipamentos que possam causar um curto-circuito. Carregadores de celulares, por exemplo, se não estiverem em uso devem ser retirados da tomada.

Incêndios provocados por cigarros

O hábito de fumar dentro de casa, cigarros, charutos, cachimbos, entre outros, são a principal causa de mortes em incêndios domésticos, embora representem apenas 5% de todos os incêndios em que ocorrem em residências.

De acordo com a National Fire Protection Association (NFPA), incêndios provocados por tabagismo são a causa de quase 1.000 mortos e 3.000 feridos a cada ano nos Estados Unidos. Isso representa cerca de 23% de todas as mortes por incêndios no país.

Vários são os motivos que transformam o hábito de fumar dentro de casa em um perigo. Entre eles está o fato de que os cigarros são relativamente pequenos e fáceis de esquecer. Outro motivo é que várias pessoas usam o fumo como uma atividade relaxante, portanto há uma probabilidade dessas pessoas adormecerem enquanto fumam, deixando o cigarro aceso cair ao chão e atear fogo em carpetes ou outros materiais inflamáveis.

Por isso, o hábito de fumar na cama é especialmente perigoso e deve ser evitado a todo custo. Uma única cinza ainda ardente pode ser suficiente para atear fogo em um colchão, cobertor, lençol, cortina, tapete ou uma peça de roupa.

Se você é fumante, procure fazer isso ao ar livre sempre que possível ou fume longe de objetos inflamáveis usando um cinzeiro para ajudar a reduzir o risco de incêndio. Se você não quer deixar esse hábito fora de sua casa, nunca largue seu cigarro aceso sem vigilância, ou seja, se você está fumando mantenha-se em alerta o tempo inteiro.

A maioria das mortes por incêndios provocados por cigarro começa na sala de estar, no escritório, na sala de jantar ou no quarto. Se você fuma, certifique-se de apagar totalmente as pontas acesas e não apenas jogá-las fora.

As mortes relacionadas ao tabagismo acontecem mais comumente devido ao fumante ter adormecido e não acordado com rapidez suficiente para evitar o pior.

Incêndios domésticos provocados por velas acesas

Muitas pessoas têm o hábito de acender velas em casa. As velas são usadas para comemorar aniversários, enxergar no escuro para suprir uma eventual falta de energia elétrica, para decorar, para criar um clima romântico, ou apenas para relaxar e perfumar um ambiente.

Se você é uma pessoa que tem esse hábito, não deve esquecer que as velas acesas são uma chama dentro de nossa casa com potencial enorme para provocar incêndios.

Estima-se que as velas sejam responsáveis ​​por 6% dos incêndios domésticos e causem 3% de todas as mortes em incêndios desse tipo, com uma média de 81 mortes e 677 feridos por ano nos EUA. Além disso, aproximadamente um terço de todos os incêndios domésticos provocados por velas têm início no quarto.

Velas acesas nunca deve ficar muito próximas de materiais inflamáveis, nunca devem ser deixadas sem vigilância e sempre devem ser apagadas quando um ambiente for ficar sem a presença de um adulto responsável ou, no caso de quartos, antes de dormir.

Para emergências, como a falta de eletricidade por exemplo, considere outras opções de iluminação, como lanternas movidas a bateria. Hoje todos os celulares têm uma função de lanterna.

Os fósforos e isqueiros usados ​​para acender as velas são igualmente perigosos se deixados em um lugar onde crianças tenham acesso. Portanto, se você tiver crianças pequenas em casa, mantenha os fósforos e isqueiros longes do seu alcance e em um local seguro.

Comemorações como o Ano Novo e o Natal concentram grande parte do volume de incêndios causados ​​por velas.

Enfim, evitar incêndios domésticos devem ser uma preocupação constante. Se você fizer isso, pode ter certeza de que estará protegendo e muito as pessoas que você ama. Afinal, há sensação melhor do que ter a certeza de estar mantendo a sua família em segurança?


Se você gostou deste assunto, provavelmente também vá gostar dessas outras postagens:
Como adaptar uma casa para pessoas idosas
5 plantas para cultivar dentro de casa
Você já passou dos 40 anos? Veja essas 12 dicas para emagrecer com saúde
A jardinagem e a saúde física e mental
Como alegrar sua casa usando plantas na decoração
Por que o Desodora funciona?
Algumas maneiras para melhorar o seu senso de equilíbrio! Teste rápido…
Quais os principais benefícios do vinho para sua saúde?

Compartilhe...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *