Como plantar e como cuidar da Zamioculca

Compartilhe...
Tempo estimado para leitura: 8 minutos

A exuberante e frondosa Zamioculca pode ser uma planta difícil de pronunciar e de lembrar o nome, mas não poderia ser uma planta de interiores mais fácil de cultivar e cuidar.

A Zamioculca exibe pequenas folhas brilhantes em caules que podem crescer até 1 metro de comprimento, mesmo em ambientes fechados, se desenvolve bem em condições de pouca ou muita luz e com quantidades de água frequentes ou muito menos frequentes.

Enfim, não é a planta perfeita para iniciantes em jardinagem ou para quem é descuidado?

Descubra tudo o que você precisa saber sobre a Zamioculca

A Zamioculca é originária da Tanzânia, África, onde se desenvolve sob as copas das árvores, o que já evidencia sua preferência por não receber sol direto. Por ser uma planta de pequeno porte, geralmente não ultrapassa 1 metro de altura em ambientes internos, mas na natureza, eventualmente, pode atingir até 2 ou 3 metros de altura.

Seu nome científico é Zamioculcas zamiifolia (única da espécie) e ela pertence à família Araceae, da qual fazem parte plantas como os antúrios e os copos-de-leite, todas elas plantas de meia-sombra e que podem ser cultivadas em interiores.

Ela é uma planta que pode florescer, mas suas flores bem são raras e discretas. O seu grande atrativo é mesmo a sua folhagem de um verde brilhante e lustroso e muito vistosa.

Diferente das outras plantas resistentes como ela, a Zamioculca, por sua origem africana parece uma planta exótica e de difícil manutenção, mas é resistente como poucas plantas, prosperando em qualquer lugar com apenas um pouco de cuidado.

Por isso mesmo ela se tornou uma das favoritas (se não a favorita), entre as pessoas que cultivam plantas dentro de casa e que adoram a vegetação de interiores que não requer muita atenção e que não precisa de um ambiente de crescimento perfeito, sob pena de sofrerem e até morrerem.

Além disso, a Zamioculca tem sido muito usada para atrair prosperidade e boas energias pelos adeptos da ciência do Feng Shui.

Principais características da Zamioculca

A Zamioculca é uma herbácea perene e é muito apreciada por sua folhagem deslumbrante, que é tão verde e brilhante que quase parece que foi polida com óleo.

É uma planta de rizoma (plantas em que o caule cresce horizontalmente, de modo subterrâneo e rica em reservas, mas que também pode ter partes acima da superfície) que é uma verdadeira alegria crescendo e ficando exuberante dentro de uma casa.

Muitas pessoas relatam que ela é uma planta de crescimento lento, realmente ela é, no entanto, seu crescimento mais rápido vai depender das condições de como ela está sendo cultivada. Afinal, ela é uma planta muito resistente, mas como todos os seres vivos, quanto melhores as condições nutricionais oferecidas, mais ela vai se desenvolver.

A rapidez com que ela crescerá vai depender da quantidade de luz solar que receberá e dos nutrientes oferecidos no solo, mas fica um alerta desde já, nunca tente cultivá-la sob a luz solar direta.

A Zamioculca até tolera pouca luz, luz forte e diferentes níveis de rega, no entanto, a quantidade de regas dependerá da quantidade de luz que ela recebe, siga a regra: mais luz, mais água; menos luz, menos água.

Seu crescimento acontece de forma semelhante a plantas de árvores ou palmeiras e tem caules com muitas folhas crescendo a partir desses caules.

Alguns desses caules da mesma planta crescem retos e outros ficam arqueados, você pode optar por podar os caules de aparência estranha para manter a planta cheia e bem formada.

Suas folhas são carnudas e enceradas, crescem alternadamente e diretamente ao longo do caule, podendo atingir até 10 centímetros de comprimento.

A cor da folha é tipicamente verde escura, mas pode variar dependendo da cultivar, havendo variedades verdes mais claras e brilhantes.

Embora seja reconhecidamente uma folhagem, a Zamioculca pode ocasionalmente produzir flores na forma de espátulas de cor creme, semelhantes às do lírio da paz.

As flores são pequenas e geralmente ficam escondidas sob a base das folhas.

Essa folhagem é um excelente purificador de ambiente, filtrando toxinas transportadas pelo ar, como xileno, tolueno e benzeno.

É muito fácil de propagar a partir da divisão de estacas ou de folhas.

Pode ser cultivada ao ar livre no verão ou durante todo o ano em climas mais quentes.

Cresce a partir de rizomas espessos que armazenam água, reduzindo a necessidade de rega frequente.

É importante saber que a Zamioculca é uma planta tóxica, todas as suas partes são tóxicas se consumidas, portanto deve ser cultivada com cuidado e, de preferência fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Entretanto, isso não significa que se você tem animais domésticos não pode cultivá-la, pois ela não é atraente para eles, o consumo seria acidental mesmo.

Também procure usar luvas ao manusear a Zamioculca, para evitar irritações na pele.

Onde cultivar a Zamioculca

A Zamioculca prefere luz indireta desde fraca até forte, se adapta a todos os níveis. A luz solar filtrada de qualquer janela será boa para ela. Apenas evite a luz solar direta, pois suas folhas vão queimar. Se você não tem janelas iluminadas, não tem problema, ela se desenvolve até mesmo com iluminação artificial comum.

Qual a temperatura preferida pela Zamioculca?

Cultivada dentro de casa, a Zamioculca prefere temperaturas médias entre 15 e 24ºC. Se você for colocar sua planta ao ar livre durante o verão, certifique-se de protegê-la novamente dentro de casa quando as temperaturas começarem a cair, pois ela se fragiliza com temperaturas abaixo de 10ºC.

Qual a umidade adequada para a Zamioculca?

Os níveis médios normais de umidade de dentro de casa são bons, mas evite colocar sua Zamioculca perto de saídas de ar condicionado e de aquecedores de ambientes, pois ambos podem secar o ar e causar escurecimento das folhas e até murchar a planta.

Qual o solo ideal para a Zamioculca?

Preencha o vaso de cultivo da Zamioculca com uma mistura de envasamento bem drenada, evite solos argilosos que mantenham muita umidade e você pode incluir perlita na mistura, pois isso vai auxiliar muito na drenagem.

Como regar a Zamioculca?

Como já explicamos, é muito difícil matar uma Zamioculca, mas uma das raras maneiras de conseguir fazer isso é regando em exagero. Durante a estação de crescimento ativo, que vai da primavera até início do outono, regue apenas a cada duas semanas ou quando a parte superior do solo estiver seca. No outono e no inverno, regue com menos frequência.

Em todas as estações, se você estiver cultivando sua planta em condições de pouca luz, procure regar muito pouco, somente quando perceber o solo seco.

Como adubar a Zamioculca?

Como as Zamioculcas podem armazenar muitos nutrientes em suas raízes e caule subterrâneo, elas não precisam de fertilização frequente. Faça a adubação ou fertilização cada mês ou até um pouco mais durante a primavera e o verão usando um fertilizante de planta de casa diluído à metade da quantidade recomendada pelo fabricante. Não fertilize sua Zamioculca no outono e no inverno.

Cuidados com as folhas da Zamioculca

Para manter a sua folhagem sempre bonita e brilhante, limpe as folhas com um pano úmido conforme necessário para remover a poeira. Borrifar as folhas ocasionalmente também reduzirá o acúmulo de poeira sobre elas. Procure manter sua planta sempre livre de poeira, pois além de ficar mais bonita e brilhosa isso também é bom para sua saúde, vai facilitar a fotossíntese e as folhas poderão absorver mais luz.


Como replantar a Zamioculca?

Como a Zamioculca é uma planta de crescimento lento e não tem sua saúde afetada se for cultivada em locais apertados, você não precisará replantá-la com frequência.

Se você quiser manter sua planta do mesmo tamanho, replante-a a cada dois anos ou mais para refrescar o solo e melhorar a drenagem, colocando-a de volta no mesmo recipiente depois de aparar raízes e caules crescidos.

Se você quiser que sua planta cresça mais do que o tamanho que atingiu em seu vaso atual, coloque-a em um novo vaso um pouco mais espaçoso do que seu vaso atual.

Como os rizomas da Zamioculca se espalham lateralmente, sua largura é controlada mais pelo diâmetro do vaso do que pela sua profundidade.

Quando e porque podar a Zamioculca

A poda da Zamioculca, diferentemente da imensa maioria das outras plantas de interiores, não estimulará um novo crescimento acelerado. Você pode podá-la apenas para melhorar a sua forma (retirar um caule que esteja crescendo de forma desordenada) ou para remover as folhas amareladas ou danificadas.

Se sua planta estiver grande demais e você acha que está desproporcional ao seu espaço, apesar disso não ser um problema para ela, você pode remover caules inteiros cortando-os na base com uma faca afiada ou uma tesoura de poda. Certifique-se de usar luvas para evitar o contato da planta com a pele.

Como propagar a Zamioculca?

As Zamioculcas podem ser propagadas de três maneiras, mas alertamos que sua propagação é lenta e você pode ficar frustrado por achar que não deu certo, mas se ela não morrer isso significa que vai dar certo, é precis0 muita calma e paciência.

Por Divisão: divida os rizomas em touceiras com pelo menos um talo de folha e replante as divisões em novos vasos cheios de terra fresca. Um bom momento para fazer isso é quando você está replantando sua Zamioculca ou transferindo para um vaso maior.

Por Estacas de Folhas: ao tirar estacas de folhas, deixe um pouco do caule junto e insira as hastes diretamente em um solo úmido. Coloque-os em uma área quente e bem iluminada e regue ocasionalmente. As estacas começarão a formar raízes após vários meses – sim, é uma propagação demorada. Um bom momento para fazer isso é quando você for podar ou moldar sua planta.

Por Talo de Folha: um método de propagação mais rápido é cortar um talo de folha inteiro na base e colocá-lo na água até que as raízes se formem.

Problemas que afetam a Zamioculca

Folhas amarelas: geralmente as folhas amareladas são um sinal de excesso de água, especialmente se os caules estiverem ficando marrons e moles. Apare as partes estragadas e espere até que o solo da sua planta seque bem antes de retomar as regas. Pode ser que você precise substituir o solo e replantar sua planta para evitar a podridão das raízes.

Folhas marrons: diferentemente das folhas amarelas, isso acontece provavelmente devido à baixa umidade, ou à exposição à luz solar intensa. Mova sua planta para um local que receba luz indireta e, se o ar estiver seco, borrife as folhas de vez em quando.

Planta inclinada para um lado: o excesso de água é a causa mais comum, resultando em raízes encharcadas que não podem mais fornecer um bom suporte. Sua planta também pode estar buscando por mais luz. Se for isso, tente aproximá-la de uma janela ou coloque-a sob uma iluminação fluorescente ou luzes LED.

Infestação de pragas: as Zamioculcas geralmente são livres de pragas, mas ocasionalmente podem ser infestadas por cochonilhas, pulgões e ácaros. Uma boa forma para se livrar dessas pragas é lavar as folhas com sabão inseticida e aplicar óleo de nim orgânico ou óleo mineral.

Simbolismos e significados espirituais das Zamioculcas

O significado da origem do nome Zamioculca é difícil de rastrear. Culcas é um nome antigo para outro gênero, Colocasia. A espécie zamiifolia tem folhas que lembram samambaias Zamia, e as folhas emplumadas são características de ambas as plantas. Portanto, acredita-se que o seu nome acabou sendo uma mistura dessas duas espécies.

A Zamioculca é um tipo de planta simples: não derrama, não cresce rapidamente e é a personificação da estabilidade. Esse ar tranquilo significa que é uma a planta que pode fornecer um ponto focal útil para meditações.

Entre os benefícios atribuídos a essa planta podem ser destacados equilibrar as energias, atrair prosperidade, sorte, abundância, proteção, saúde e paz.


Leia também:
Para que serve, como plantar, cultivar e cuidar da camomila
Como plantar e como cuidar da jiboia (Epipremnum aureum)
Como cultivar babosa (aloe vera)
Poda de raízes, o que fazer quando as raízes tomam conta do vaso?
Como limpar as plantas de dentro de casa?
Benefícios, como plantar e como cuidar da Ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata)

Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *